Tendências Do Voluntariado Empresarial

Por: Roberta Rossi
07 Outubro 2015 - 12h52

O voluntariado é um movimento antigo em nossa sociedade, e vem sendo constantemente transformado: atualmente é mais consciente, consistente e alinhado com as agendas global e local.

No âmbito empresarial, o voluntariado segue a mesma linha de aprimoramento contínuo. As empresas evoluíram bastante e hoje encaram o voluntariado como uma das estratégias para seu investimento social, para a boa relação com a comunidade, como forma de motivar e formar seu público interno, entre outras possibilidades e tendências.

E o que é uma tendência? Não é uma simples previsão. É todo movimento social, espontâneo ou induzido que agrupa um grupo significativo de pessoas em torno de comportamento ou características semelhantes, identificáveis em uma série de tempo determinada.

Quando as mudanças observadas no comportamento das pessoas são incorporadas ao dia a dia da sociedade ou de uma comunidade, são consideradas comuns e deixam de ser tendências.

O voluntariado empresarial tem algumas tendências interessantes:

Ser Estratégico – Relevante Dentro E Para A Empresa

O voluntariado pode ir além de relacionar-se com a comunidade; pode fazer a empresa considerar-se parte dela e integrar o programa em sua estratégia de negócios.

Uma maneira interessante e desafiadora é estimular os funcionários a trabalharem voluntariamente nas comunidades observando as necessidades e potencialidades para o desenvolvimento de algum produto ou serviço que possa melhorar a qualidade de vida das pessoas. Essa ação, se bem orientada e planejada, pode ser a porta de entrada para a empresa inovar no negócio a partir das reais necessidades e interesses das pessoas.

Seguir A Agenda Global E Local

Relacionar-se de forma legítima com a comunidade é o maior objetivo da empresa. Sendo assim, o voluntariado deve ser direcionado para buscar e afirmar os direitos e conquistas da sociedade.

Isso pode parecer lógico, mas nem sempre é o que acontece. Ações desconectadas de grandes movimentos e legislações não são raras.

Uma novidade em 2015 será o lançamento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS): essesobjetivos substituirão os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), da ONU.

A palavra ‘voluntário’ será incluída nos ODS, o que trará um grande ganho para o movimento e para a redução dos desafios. Embora os voluntários sempre tenham estado envolvidos no alcance dos objetivos, esse reconhecimento da sua importância é essencial e legítimo.

Usar A Inovação E Tecnologia Para A Mobilização De Pessoas: Voluntariado On-line, Aplicativos E Games

O voluntariado on-line é a prática da atuação de voluntários em atividades div ersas em qualquer horário, de qualquer lugar. Com a tecnologia, podem enviar os serviços pr estados ou mesmo estar presentes virtualmente. Apesar de já ser pr aticado por algumas instituições e voluntários, ainda não faz parte da rotina da maioria. Por isso, ainda é uma tendência.

No caso de aplicativos e games, já sabemos que empr esas os desenvolvem para incentivar seus voluntários a realizarem diversas atividades sozinhos, em grupo ou competindo entr e si. É muito bacana se for bem planejada!

Porém, nem todo clique ou ação pode ser consider ado como trabalho voluntário. Uma coisa é ser ativista de sofá, e outra muito diferente é ser voluntário.

Um exemplo de aplicativo fantástico é o Be My Eyes, que conecta pessoas com deficiência visual e voluntários para a execução de tarefas do cotidiano, como ler uma bula de r emédio ou verificar uma cor de peça de roupa. O aplicativo funciona como uma espécie de Skype acessível.

Voluntariado Baseado Em Habilidades E Competências

Sempre existiu a ideia de que o trabalho voluntário apoia a formação pessoal e profissional dos indivíduos. No entanto, atualmente, as empresas descobriram como o vínculo da prática com o desenvolvimento de seus recursos humanos pode ser transformador.

Para que um programa como este seja legítimo e relevante, a empresa deve se preocupar com sua gestão e com a preparação adequada dos voluntários.

Voluntariado Internacional

Algumas empresas têm investido nesta modalidade, ou seja, estrutur ando programas para que seus funcionários realizem atividades voluntárias em outr os países.

É uma maneira de reforçar os negócios, construir relações em outr os mercados, desenvolver lideranças internas e reter funcionários. Mas necessita de inv estimento alto e não possibilita a participação de um númer o grande de pessoas.

Um exemplo interessante é a Ernst & Young, que oferece aos funcionários a oportunidade de participar de um programa de intercâmbio de três meses em países da América Centr al e da América do Sul. Os participantes realizam o mesmo trabalho que estariam fazendo em home office, mas em empresas locais menores, com problemas de gestão e que não teriam condições de pagar por uma c onsultoria. Essas são tendências que, se incorpor adas de forma responsável e organizada, podem contribuir para a melhoria dos r esultados dos programas de voluntariado empresariais tornando-os, assim, mais estratégicos.

 

PARCEIROS VER TODOS