Voluntariado Empresarial: alavanca poderosa para gerar impacto social na educação

Por: Paula Crenn Pisaneschi
19 Maio 2022 - 00h00

 9831-abertura

É muito bom poder falar, de forma poética e real, sobre o poder do voluntariado como estratégia para construir pontes, conectar pessoas, gerar benefícios sociais e diversidade, desenvolver competências, ampliar consciências e causar impacto social. Isso mesmo! O voluntariado é uma alavanca às ações coletivas e individuais que, somadas a outros atores desse ecossistema do bem, geram impacto amplo e transformador em realidades inteiras, enfrentando as desigualdades.

O voluntariado faz bem para a autoestima porque empodera o ser humano e mostra a ele que é capaz de fazer a diferença. Desde doações e contação de histórias para crianças até a mentoria para jovens, revitalização de espaços, planejamento estratégico, pró-bono para organizações sem fins lucrativos, campanhas de arrecadação, investimento financeiro em projetos sociais ou comunidades... Tudo é importante e revela a melhor parte do ser humano: a sua capacidade de se doar.

Com a pandemia de COVID-19, o voluntariado precisou ser reinventado e acontecer, muitas vezes, no formato digital. Também foi essencial para atender às emergências da crise sanitária para mitigar os efeitos negativos desse complexo momento na vida de pessoas em situação de vulnerabilidade social. Nunca se fez tanto coletivamente como nestes tempos. Nesse contexto — como em tantos outros —, o papel do voluntariado empresarial foi e tem sido decisivo.

Os retornos do voluntariado empresarial

Eu atuo na sede brasileira da United Way, organização fundada há mais de 130 anos nos EUA, sendo considerada a maior instituição filantrópica do mundo, que nasceu e se sustenta a partir de uma grande rede colaborativa e coletiva em que o voluntariado é uma frente estratégica central, mobilizando quase 3 milhões de pessoas. No Brasil, a United Way foi fundada em 2001 e sua origem é semelhante à da organização-mãe, porque nasceu do desejo de um grupo de empresários voluntários em fazer mais pelo país. A união de ideias e iniciativas, de forma coordenada, foi a base da estrutura que temos hoje na United Way Brasil, cuja causa social é atuar pelas novas gerações brasileiras, ou seja, primeira infância e juventude. O voluntariado empresarial é o terceiro pilar de nosso trabalho, tendo papel importante e transversal para a realização dos programas que implementamos para garantir o desenvolvimento integral de crianças de 0 a 6 anos e de jovens, assim como o bem-estar de suas famílias. 

Sabemos, pelo nosso dia a dia na organização, o quanto o voluntariado empresarial tem potencial de transformação dentro e fora dos muros corporativos. Sabemos, também, que o tema tem sido discutido nas companhias e pela sociedade, passando por uma evolução que atenda às necessidades atuais. O voluntariado avançou e não se limita mais a uma estratégia para desenvolver habilidades e engajamento. Hoje, é considerado ativo para o impacto social e área robusta para o investimento social das empresas.

A PYXERA Global lançou uma pesquisa, em 2020, sobre o Estado da Prática Pro-Bono Global que confirma essa percepção. Análise feita junto a diferentes corporações, entre os anos de 2014 e 2020, mostra que, em meados dos anos 2000, o tema voluntariado concentrava suas forças no desenvolvimento de habilidades. Nos últimos anos da aplicação da pesquisa, o foco já era trabalhar ações para gerar impacto social.

Motivos não faltam para essa “virada” conceitual e prática. Quando a empresa assume o papel de agente de impacto social via voluntariado, estimulando suas equipes a abraçarem uma causa e protagonizando ações estruturadas e articuladas com diferentes atores, ela pode promover:

  • Impacto social sustentável nas comunidades onde está inserida — com cartões-alimentação, as empresas associadas e voluntários investidores da United Way Brasil conseguiram apoiar mais de 2 mil famílias das cidades em que atuam para que pudessem garantir nutrição de qualidade a seus filhos e filhas na primeira infância durante a pandemia (apoio a projetos sociais).
  • Aperfeiçoar habilidades de liderança e oportunizar espaço de engajamento para seus colaboradores utilizarem e fortalecerem suas competências — por meio de mentorias, colaboradores das empresas parceiras da United Way Brasil puderam apoiar jovens em situação de vulnerabilidade social na construção de projetos de vida e compartilhar experiências para a construção de uma jornada profissional inclusiva (mentorias voluntárias).
  • Aumentar a satisfação dos funcionários, lealdade à empresa e diminuir a rotatividade dos profissionais — as avaliações realizadas pela United Way Brasil junto aos funcionários das empresas parceiras, que envolvem suas equipes em ações de voluntariado, têm sido bastante positivas.

O voluntariado corporativo promove a cidadania e a ampliação da visão sobre o meio, desenvolve empatia e, especialmente, gera impacto positivo na sociedade. Por isso, merece ser destaque na pauta das áreas de RH e responsabilidade social e nos comitês de diversidade e equidade, por exemplo, sempre com a perspectiva não só de promover mudanças sistêmicas e sustentáveis nas comunidades, como também agregar valor ao negócio e à marca, gerando impacto social dentro e fora dos muros das empresas.

 

PARCEIROS VER TODOS