Programas De Voluntariado

Por: Silvia Naccache
22 Fevereiro 2018 - 00h00

3037-abertura

Será que eles realmente importam e conseguem vencer os desafios?

Não há como estar envolvido com programas de voluntariado e não conviver com alguns desafios, como:

  • consolidação da vocação transformadora do voluntariado por meio de práticas contínuas e permanentes, com indicadores, metas e resultados;
  • conscientização de que o cenário não é necessariamente feliz, que não é simples nem fácil;
  • quebra dos paradigmas como "voluntariado é sacrifício", "em voluntariado tudo é de graça" e "basta boa vontade";
  • carência de organização do programa de voluntariado de forma eficiente, com orçamento, liderança, comunicação e ferramentas de gestão;
  • falta de ações de reconhecimento e de valorização do trabalho dos voluntários e compartilhamento de resultados;
  • adaptação à novos modelos de atuação e às diferentes expectativas das pessoas por meio de ações mais criativas, variadas e inovadoras;
  • melhoria e aprimoramento da comunicação dos programas. Isso sem contar com os questionamentos diários:
  • Será que o trabalho voluntário é uma atitude ingênua e infantil de quem acha que pode fazer a diferença com pequenas ações?
  • Esse tipo de trabalho é válido pela experiência de viver algo desafiador?
  • Será que voluntariado se resume a apenas trabalhar sem remuneração?
  • Será que é uma atividade para pessoas mais idosas que possuem tempo livre? Ou, quem sabe, é para os jovens que precisam de créditos ou não sabem o que fazer da vida?
  • Será uma forma de não pagar por um serviço?
  • Será que o voluntariado verdadeiramente importa para as pessoas e a sociedade?

Apesar das dúvidas inquietantes, é fato que o voluntariado importa e é importante!

Ele importa porque é oportunidade de fazer algo que ninguém fará por mim e qualquer um pode realizar. É a chance de fazer a diferença na minha vida e na vida das pessoas que me rodeiam por meio de uma atitude, uma ação. Existe uma atividade voluntária para cada um. É oferecer o que tenho de mais precioso e que é único e invisível aos olhos: talentos, habilidades, conhecimento, originalidade, energia e tempo.

Ele importa porque traz benefícios e gera impacto em quem faz.

Há um crescente número de pesquisas mostrando que o voluntariado está associado a melhores resultados de saúde física e mental. Existe ainda um estudo realizado por cientistas da Universidade Carnegie Mellon, nos Estados Unidos, que rastreou 1.100 adultos durante quatro anos para determinar o efeito do voluntariado sobre a pressão arterial. Descobriram que aqueles que relataram 200 horas ou mais de trabalho voluntário por ano eram 40% menos propensos a desenvolver hipertensão do que aqueles que não se voluntariaram.

Mas os benefícios vão além do resultado físico de sentir-se melhor e mais saudável. Em 2011, em pesquisa realizada pelo IBOPE, 77% dos entrevistados que afirmaram fazer trabalho voluntário alegaram altíssimo grau de satisfação e quase 90%, um forte desejo de continuar a realizar. Quem realiza um trabalho voluntário certamente é beneficiado pelo estímulo à capacidade de trabalhar com diferentes culturas, pessoas e opiniões; pela experiência de gestão em ambientes diversos; e por facilitar a inovação com a busca de soluções em outros contextos. Por meio do trabalho voluntário acontece o fortalecimento do espírito de equipe, o desenvolvimento de lideranças, a promoção e a sensibilização para a participação e colaboração em desafios globais e locais.

O voluntariado é fundamental porque gera impacto no coletivo. Ele traz inúmeros benefícios para organizações, espaço público e causas, no fortalecimento dos serviços e programas, otimização dos recursos materiais e humanos. Gera acréscimo de novos saberes, talentos e conhecimentos; ajuda no aprimoramento dos serviços; estimula a ampliação da relação com a comunidade e também com investidores e parceiros. Também gera impacto positivo nas empresas com o aumento do grau de identificação dos funcionários com a companhia em que trabalham. Quando se observa a área de recursos humanos, nota-se o desenvolvimento de competências e habilidades diversas, a promoção do relacionamento com comunidades, e o fortalecimento da imagem institucional.

E na sociedade, ocorre a troca de experiências e competências, o desenvolvimento social, o aumento da visibilidade, além da capacidade de ampliar as ações e transformá-las em políticas públicas.

Hoje, sabemos que o voluntariado também gera valor econômico: desde o ano 2012, promove-se a valoração da hora voluntária por meio da a normativa contábil ITG2002, que em seu § 19 diz que "O trabalho voluntário deve ser reconhecido pelo valor justo da prestação do serviço como se tivesse ocorrido o desembolso financeiro".

Em suma, o voluntariado é uma declaração suprema de amor, de dignidade, de uma ação que não é negociada nem barganhada! Importa porque nos define como seres livres e humanos.

O trabalho voluntário é uma união de esforços de pessoas que enxergam a vida diferente e que se propõe a minimizar as dificuldades do outro, muitas vezes tão distantes de seu próprio entendimento e convívio. O voluntariado importa por dar sentido e propósito ao tempo e à vida de quem o realiza, e é importante e fundamental para a construção de uma sociedade mais justa, mais inclusiva, com mais qualidade de vida, mais solidária e feliz. O voluntariado é um dos meios de criar um mundo melhor para todos nós hoje e para as gerações futuras.

 

BAIXE GRATUITAMENTE
E-book Como começar uma⠀ONG

BAIXE GRATUITAMENTE

BAIXE GRATUITAMENTE
E-book 18 PASSOS essenciais para ajudar sua ONG

BAIXE GRATUITAMENTE

PARCEIROS VER TODOS