O Que é Ter Um Coração Voluntário

Por: Silvia Naccache
06 Julho 2015 - 21h55

rF72 12

CVSP comemora 18 anos e acompanha evolução dos conceitos do voluntariado no Brasil

A prática do voluntariado tem como premissa mobilizar  múltiplos atores para que, juntos, possam promover  o bem comum. Os 18 anos de história do Centro de  Voluntariado de São Paulo (CVSP) contam também  a evolução e a mudança dos conceitos e da forma do voluntariar  em nosso país.

Segundo a última pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha,  as sensações de bem-estar, de utilidade e de gratificação pessoal  são as principais motivações apontadas por quem é voluntário. A pesquisa revelou que três em cada dez brasileiros já realizaram  ações voluntárias. Segundo a pesquisa, 28% dos brasileiros declararam  já ter participado de trabalhos voluntários, sendo que 11%  continuam atuando voluntariamente. A falta de tempo foi o principal  argumento dos que nunca atuaram e para os que deixaram  de praticar o voluntariado. Os entrevistados também apontaram  outras razões para justificar o distanciamento do tema: nunca  foram convidados a participar de uma ação voluntária (29%) ou  nunca pensaram nessa possibilidade (18%). Porém, apenas 12%  disseram não saber onde obter informações a respeito deste tema. Mas, nem sempre foi assim.

O CVSP foi fundado em maio de 1997 e, no momento de sua  constituição, solicitou ao Datafolha a realização de uma pesquisa  sobre trabalho voluntário junto à população da cidade. Naquele  ano, a pesquisa apontou que: 92% viam grande credibilidade no  trabalho voluntário; 80% nunca tinham participado; 76% consideravam  como maior obstáculo o tamanho da cidade; e 19%  tinham dúvidas sobre a idoneidade das organizações sociais.

Com base nesta avaliação de contexto, e também em pesquisa  realizada sobre o voluntariado no Brasil, o CVSP fundamentou  seu programa de ação e constatou um grande potencial para o  trabalho voluntário, desde que fosse facilitado o acesso às organizações  e projetos e desde que estes estivessem preparados para  receber voluntários.

O objetivo é incentivar e consolidar a cultura e o trabalho  voluntário na cidade de São Paulo e promover a educação para  o exercício consciente da solidariedade e cidadania por meio do  voluntariado. Suas atividades:  

  • Identificar e organizar a oferta e a demanda de trabalho voluntário;
  • Desenvolver programa de capacitação, atualização e acompanhamento de voluntários e organizações sem fins lucrativos;
  • Sensibilizar e dar suporte a empresas e escolas para o desenvolvimento de programas de voluntariado;
  • Desenvolver e dar apoio a estudos e pesquisas;
  • Incentivar e dar suporte para a criação de centros de voluntariado.

Desde o princípio, constatou-se que sensibilizar a sociedade  para a atividade voluntária era, e ainda é, fácil; difícil seria  implantar a cultura do voluntariado moderno, preocupada com  a eficiência e a qualificação deste trabalho, mostrando à sociedade  o enorme benefício que um voluntariado organizado e motivado  pode produzir.

O voluntariado é um produto histórico em permanente evolução,  assumindo características diferentes de acordo com a época  em que está inserido. As antigas concepções de voluntariado,  como ação de caridade, assistencialismo ou militância política,  estão sendo substituídas pela forma de ação cívica, que tem como  objetivo atuar, juntamente com outros setores da sociedade, pela  busca de soluções. Esta participação não vem para substituir o  Estado. O voluntário é aquele cidadão que, motivado pelos valores  de solidariedade e participação, doa tempo, trabalho e talento, de  maneira espontânea e não remunerada, para causas de interesse  social e comunitário.

Hoje, o modelo de voluntariado baseia-se e pratica o princípio  de aproximação. Afinal, quanto mais próximos estivermos de  um problema, mais adequada será a interferência e maior será a  participação de todos na busca de soluções. Por esta perspectiva,  não haverá soluções para os problemas sociais: tem de haver a  participação da comunidade; o envolvimento de todos os atores  de forma comprometida; o fomento de parcerias reponsáveis e de  processos inovadores, sustentáveis e de desenvolvimento social e  humano. Afinal, trabalho voluntário no mundo inteiro é sinônimo  também de realização pessoal.

O voluntário é, na verdade, um profissional. Antes de tudo,  precisa ser competente e responsável. As instituições que operam  com programas de voluntariado devem agir como empresas  sociais. Devem buscar eficiência e resultados.

Muitas resistências ao trabalho voluntário são baseadas em  percepções equivocadas ou parciais sobre as possibilidades e os  limites desse tipo de contribuição. É necessário esclarecer que  o trabalho voluntário não substitui o profissional remunerado  e, com isso, não elimina postos de trabalho. O voluntário doa  parte de seu tempo e assume funções definidas, liberando a  equipe remunerada para atividades específicas da sua área de  atuação. O voluntário resolve parte do problema dentro de sua  disponibilidade e seu interesse, assim como identificação com  a causa ou o projeto.

Hoje, formamos uma grande rede de voluntários que vão além  das fronteiras paulistas ou brasileiras. Com o auxílio da tecnologia  e dos conceitos do mundo globalizado, temos uma rede de organizações  com ética e compromisso com o país, visando impacto  social, inclusão e justiça. Somos articuladores e apoiadores dessas  redes do bem, e parabenizamos pessoas que tornam sonhos possíveis. Mais do que isso, gente determinada a contribuir e participar.  Gente de coração voluntário. Sem elas, nossos 18 anos de  trabalho seriam vazios. Nossos agradecimentos a todos os voluntários  que fazem parte desta história.

PARCEIROS VER TODOS