Voluntariado Internacional: Além das Fronteiras

Por: Silvia Naccache
05 Maio 2015 - 00h00

voluntariado-internacional

Beatriz participou de programas da AIESEC Brasil, nas cidades de Antofagasta, no Chile, e em Lima, no Peru.

Iniciativa é oportunidade de conhecer outras culturas em prol de um bem maior

Em todas as partes do mundo, com trabalhos mais ou menos especializados, existem oportunidades de participação voluntária. É possível conhecer outras culturas, participar de projetos de campo, conviver com outras realidades, enfim, existem centenas de oportunidades de trabalho voluntário.

O voluntariado internacional é uma área especifica do voluntariado: é desenvolvido por voluntários, por períodos mais ou menos longos, em países terceiros, designadamente em processo de desenvolvimento. Esta atividade é promovida por organizações que desenvolvem projetos de voluntariado internacional, quer pela via da cooperação, quer pela via da assistência internacional. O que os números mostram é que esta ação é realizada  fora das organizações.

Depois da experiência do programa de voluntariado da FIFA e do Ministério dos Esportes para a Copa do Mundo de 2014, e com a abertura para o voluntariado nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, reacendeu-se a discussão sobre o papel do voluntariado e os benefícios deste tipo de trabalho. A ideia de ser voluntário implica em fazer algo em prol de alguém, grupo ou causa sem receber nenhum tipo de recompensa financeira por  isso. Porém, muitos entendem que, não havendo lucro monetário,  não há nenhum tipo de ganho para o voluntário neste  processo. Grande engano! Veja, a seguir, como o voluntariado pode melhorar suas chances no mercado de trabalho, ampliar sua rede de contatos e ajudá-lo a aprender ou a melhorar suas habilidades em um idioma estrangeiro.

O voluntariado no exterior é uma modalidade de intercâmbio que apresenta todas as vantagens já citadas, e ainda agrega ao currículo profissional uma experiência de porte internacional e a oportunidade de aperfeiçoar ou aprender um idioma estrangeiro. Muitos não sabem, mas é possível candidatar-se para ser voluntário em vários eventos de grande porte ao redor do mundo, esportivos ou não, que só são realizados graças à ajuda de voluntários. Instituições internacionais voltadas a causas sociais, como a ONU e a Cruz Vermelha, possuem um ativo programa de voluntariado, e, em alguns casos, os voluntários recebem algum tipo de ajuda de custo para gastos básicos. Além do ganho profissional, quem investe no voluntariado internacional leva em consideração a experiência pessoal envolvida no processo, já que muitos se dirigem a áreas menos favorecidas a fim de ajudar comunidades ou grupos em situação de risco, geralmente em países da África, Ásia e América Latina.

Segundo Beatriz Louzã Naccache, jovem de 24 anos formada em Relações Públicas pela Faculdade Cásper Libero, esta foi uma experiência que levará em seu coração e para sua vida profissional para sempre! “Fiz dois intercâmbios sociais para o Chile e para Peru, com o objetivo de me descobrir e contribuir para algo maior. Voltei depois de quatro meses sabendo falar espanhol, mas principalmente sabendo que podemos conviver com outras culturas e aprender muito sobre nós mesmos e sobre elas! Quando se é voluntario em outro país você não só está contribuindo para o desenvolvimento de um grupo de pessoas com quem convive.

Você se torna representante do seu país, e acaba conhecendo até mais sobre sua própria cultura. Ao dar aulas, descobri como as crianças nos ensinam e nos recordam de como ser mais delicados uns com os outros. Descobri, nas casas das famílias onde morei, sobre a generosidade, sobre respeitar diferenças, sobre o que realmente precisamos. Aprendi que as pessoas entram nas nossas vidas e nos transformam, e que no voluntariado essa transformação é maravilhosa! O voluntário internacional contribui para um mundo com mais tolerância, mais cultura de paz, mais amizade e respeito às diferenças”.

Para estar apto a realizar trabalhos voluntários no exterior é necessário ser maior de 18 anos, ter conhecimento intermediário de inglês ou do idioma do país escolhido e estar disposto a comprometer-se com as atividades propostas dentro do período estipulado. Uma boa notícia para os interessados é que este tipo de intercâmbio pode ter duração mais curta, sendo mais fácil organizar as finanças para viver esta experiência única.

DIREITOS DOS VOLUNTÁRIOS:

  • Desenvolver um trabalho de acordo com os seus conhecimentos, experiências e motivações;
  • Ter acesso a programas de formação inicial e contínua;
  • Receber apoio no desempenho do seu trabalho, com acompanhamento e avaliação técnica;
  • Ter ambiente de trabalho favorável e em condições de higiene e segurança;
  • Participar das decisões que dizem respeito ao seu trabalho;
  • Ser reconhecido pelo trabalho que desenvolve com acreditação e certificação;
  • Acordar com a organização promotora um programa de voluntariado que regule os termos e condições do trabalho que vai realizar.

DEVERES DO VOLUNTÁRIO

Para com o público beneficiado:

  • Respeitar a vida privada e a dignidade da pessoa;
  • Respeitar as convicções ideológicas, religiosas e culturais;
  • Guardar sigilo sobre assuntos confidenciais;
  • Usar de bom senso na resolução de assuntos imprevistos, informando os respectivos responsáveis;
  • Atuar de forma gratuita e interessada, sem esperar contrapartidas e compensações patrimoniais;
  • Contribuir para o desenvolvimento pessoal e integral do destinatário;
  • Garantir a regularidade do exercício do trabalho voluntário.

Para com a organização promotora do programa

  • Observar os princípios e normas inerentes à atividade, em função dos domínios em que se insere;
  • Conhecer e respeitar estatutos e funcionamento da organização, bem como as normas dos respectivos programas e projetos;
  • Atuar de forma diligente isenta e solidária;
  • Zelar pela boa utilização dos bens e meios postos ao seu dispor;
  • Participar de programas de formação para um melhor desempenho do seu trabalho;
  • Dirimir conflitos no exercício do seu trabalho de voluntário;
  • Garantir a regularidade do exercício do trabalho voluntário.
  • Não assumir o papel de representante da organização sem seu conhecimento ou prévia autorização;
  • Utilizar devidamente a identificação como voluntário no exercício da sua atividade;
  • Informar a organização promotora com a maior antecedência possível sempre que pretenda interromper ou cessar o trabalho voluntário.

Para com as equipes locais, funcionários e outros voluntários:

  • Colaborar com os profissionais da organização promotora, potenciando sua atuação no âmbito de partilha de informação e em função das orientações técnicas inerentes ao respectivo domínio de atividade;
  • Contribuir para o estabelecimento de uma relação fundada no respeito pelo trabalho de cada um;
  • Respeitar a dignidade e a liberdade dos outros voluntários, reconhecendo-os como pares e valorizando o seu trabalho;
  • Fomentar o trabalho de equipe, contribuindo para uma boa comunicação e um clima de trabalho e convivência agradável;
  • Facilitar a integração, formação e participação de todos os voluntários.

Para com a comunidade, sociedade:

  • Fomentar uma cultura de solidariedade;
  • Difundir o voluntariado;
  • Conhecer e respeitar a realidade sociocultural da comunidade onde se desenvolve a sua atividade de voluntário;
  • Complementar a ação social das entidades das quais faz parte;
  • Transmitir, com a sua atuação, os valores e os ideais do trabalho voluntário.

Para informar-se sobre trabalhos voluntários ou outras modalidades de trabalho no exterior, é só ficar atento às atualizações de sites especializados. Seguem aqui algumas sugestões!

CENTROS E REDES DE VOLUNTARIADO

Uma espécie de classificados para quem oferece e quem procura trabalho voluntário, gera visibilidade para oportunidades de trabalho voluntário.

AIESEC Brasil
AIESEC é a maior organização sem fins lucrativos gerida por jovens, e é a única que desenvolve liderança responsável e empreendedora por meio de intercâmbios realizados em parceria com organizações, instituições e negócios ao redor do mundo, nos mais de 120 países e territórios onde está presente. Convivendo em um ambiente internacional e desafiador, e movidos pela mudança, trabalham para engajar e desenvolver todos os jovens do mundo, proporcionando experiências de alto impacto. Possibilitam que os jovens descubram e desenvolvam seus potenciais de liderança para causar um impacto positivo na sociedade, através das oportunidades de liderança, intercâmbios profissional e voluntário e participação em um ambiente global de aprendizagem.

Serviço Voluntário Europeu
O Serviço Voluntário Europeu (SVE) é uma medida do Programa Juventude em Ação, 2007-2013, criado pela Comissão Europeia, e que permite aos jovens desenvolver um projeto de voluntariado numa organização de outro país. O objetivo do SVE é desenvolver a solidariedade e promover uma cidadania ativa, bem como um entendimento mútuo entre os jovens. As oportunidades estão espalhadas pelos 27 Estados-membro e mais algumas dezenas de parceiros de todo mundo, e abrangem as mais variadas áreas. Podem candidatar-se ao SVE jovens entre os 18 e os 30 anos. A duração de cada projeto pode ser de no máximo 12 meses, e a lista de vagas é diariamente atualizada no site.

Serviço Voluntário Internacional
Organização voluntária dedicada a promover a cultura de paz através da organização de projetos de voluntariado internacionais para pessoas de todas as idades e origens. A organização tem 45 membros e um número cada vez maior de parceiros em todo o mundo. O SVI oferece uma variedade de oportunidades de trabalho voluntário para as pessoas, tais como projetos de curto, médio e longo prazo, mas também a possibilidade de se tornar ativo para uma filial local ou participar de seminários ou treinamentos.

Nações Unidas
Esta sugestão não se aplica a quem quer fazer voluntariado durante as férias, por exemplo. Os projetos de voluntariado das Nações Unidas não duram menos de seis meses a um ano, e os critérios de seleção são muito exigentes: mais de 25 anos, formação superior, dois anos de experiência profissional e domínio de pelo menos uma língua estrangeira. Todos os anos, mais de 7 mil mulheres e homens qualificados e com grande experiência profissional de mais de 170 nacionalidades servem como voluntários da ONU em mais de 140 países. Eles contribuem para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio: reduzindo a pobreza, fomentando a governança democrática, promovendo políticas ambientais, fortalecendo recursos para prevenir e responder a crises e lutando contra o aumento de doenças como o HIV/AIDS

ISU – Instituto de Solidariedade e Cooperação Universitária
Organização fundada em 1989 que tem como objetivo o desenvolvimento global, acreditando que este leva à soma das conquistas dos indivíduos, a partir do estímulo das suas capacidades e competências.
Em Portugal e nos países africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), trabalha com pessoas em situação de pobreza e exclusão social. Procura, por meio da formação e de projetos continuados, adequar sua ação às necessidades identificadas. A ação do ISU se dá em torno de 4 eixos de atuação: voluntariado, intervenção social, cooperação e educação para o desenvolvimento.

Go Abroad
Pagar para trabalhar em outro país? Sim, alguns o fazem! Viajar não precisa se resumir a conhecer novos lugares, com o guia turístico em mãos. Há muita oferta de programas de voluntariado em viagens, em que os custos do deslocamento e da hospedagem são responsabilidade dos participantes. O site Go Abroad agrega 27.000 participantes neste tipo de programa de voluntariado. Entre os destinos mais populares estão a Índia, o Peru, a África do Sul, a Costa Rica, a Tailândia e o Equador. Os projetos na área da saúde, construção, conservação da natureza ou trabalho em orfanatos são os mais procurados.
www.goabroad.com

Do Something
O site Do Something, da Associação para o Desenvolvimento (TESE), é uma plataforma on-line criada para motivar jovens para causas – por exemplo, nas áreas do meio ambiente, das artes, da discriminação ou da pobreza. Depois de decidirem qual é a sua causa, são guiados na escolha de projetos em que podem fazer voluntariado. Se não houver nenhum que lhes agrade totalmente, podem criar seu próprio projeto.

Mais Valia
Este projeto de voluntariado não é voltado para jovens. A Fundação Calouste Gulbenkian criou um novo programa de voluntariado especializado destinado a pessoas com mais de 55 anos. O destino dos profissionais das áreas da saúde, educação e artes a que se dirige o programa Mais Valia são os países africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP). Cada missão tem a duração de dois meses e as candidaturas vão até ao final de abril.

AFS Intercultura Brasil
Projeto de intercâmbio de voluntários. No Brasil são quase mil voluntários trabalhando em cerca de 80 cidades com os programas do AFS Intercultura Brasil.

IYF Brasil
A Good News Corps (GNC) é uma iniciativa de voluntariado da IYF que ajuda a desenvolver a próxima geração de líderes, ampliando a visão de mundo e cultura de paz.

Links:
www.afs.org.br/seja-um-voluntario; www.aiesec.org.br; www.br.iyf.org; www.ec.europa.eu/youth/index_en.htm; www.goabroad.com; www.isu.pt; www.laredavis.org; www.pnud.org.br/UNV.aspx; www.svibrasil.ning.com; www.voluntariado.org.br; www.voluntariosonline.org.br; www.unv.org

 

EDITAIS FILANTROPIA PLATAFORMA ÊXITOS
19.064
Oportunidades Cadastradas
9.597
Modelos de Documentos
3.404
Concedentes que Repassam Recursos
Prazo
30 Jun
2020
Linha emergencial de crédito Conexsus
Prazo
Patrocínio BS2
Prazo
31 Jul
2020
GlobalGiving Accelerator - Virtual Training Program...
Prazo
30 Nov
2020
Stop Slavery Award 2021
Prazo
31 Jul
2020
AEB - Chamamento Público para lançamentos a partir...
Prazo
4 Set
2020
Ideias para o Futuro
Prazo
Matchfunding Enfrente o Corona
Prazo
1 Ago
2020
Todos os olhos na Amazônia
Prazo
1 Ago
2020
The IFREE Small Grants Program
Prazo
31 Dez
2020
Patrocínios e Doações - Instituto Usiminas

PARCEIROS VER TODOS