Tecnologia social reaproveita água utilizada nas casas do Semiárido

Por: Thaís Iannarelli
03 Junho 2016 - 17h32

O Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário padronizou mais uma tecnologia social para a produção de alimentos por meio do Programa Cisternas: o Sistema de Tratamento e Reuso de Água Cinza Domiciliar. Além de captar a água da chuva para consumo, as famílias do sertão brasileiro poderão reaproveitar ao máximo a água da cozinha e do chuveiro na produção de alimentos e criação de animais.

O sistema capta água dos chuveiros, lavatórios, pias de cozinha, tanques e máquinas de lavar das casas, com exceção da água do vaso sanitário. Em seguida, a água passa por um sistema hidráulico (com tubos de PVC), por uma caixa de gordura e segue para um filtro biológico com húmus de minhoca, raspas de madeira, areia lavada, brita e seixo, coberto com telas. O húmus é aproveitado no plantio. Após a filtragem, a água é direcionada para um tanque de reuso, também confeccionado com placas de alvenaria, sendo então transportada por meio de uma bomba elétrica para uma caixa d'água para ser utilizada na plantação ou na criação de animais.

A tecnologia foi criada a partir de um projeto do Centro Feminista 8 de Março, do Rio Grande do Norte, com mulheres assentadas rurais e a Universidade Rural do Semiárido (UFERSA), que buscava alternativas de convivência com a estiagem no semiárido. O projeto “Água Viva: Mulheres e o redesenho da vida no semiárido do Rio Grande Norte” foi premiado pela Fundação Banco do Brasil em 2015.

Fonte: Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário

BAIXE GRATUITAMENTE
E-book Como começar uma⠀ONG

BAIXE GRATUITAMENTE

BAIXE GRATUITAMENTE
E-book 18 PASSOS essenciais para ajudar sua ONG

BAIXE GRATUITAMENTE

PARCEIROS VER TODOS