Segundo ONU, acabar com trabalho infantil pode ajudar na erradicação da pobreza

Por: Thaís Iannarelli
11 Novembro 2013 - 12h43

Iniciativas que acabem com o trabalho infantil no campo podem ter uma influência positiva sobre a erradicação da pobreza na América Latina e no Caribe, de acordo com o segundo relatório sobre o trabalho rural da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), em conjunto com a Organização Internacional do Trabalho (OIT). De acordo com o documento, 48% das 12,5 milhões de crianças da região que trabalham estão na agricultura familiar ou de subsistência. Essa porcentagem varia: 61,5% na região andina, 42,7% na América Central e 38,4% no Cone Sul. “A única solução real para evitar que as crianças trabalhem é avançar na erradicação da pobreza, da insegurança alimentar e da exclusão social”, explicou o representante regional da FAO, Raúl Benitez, que destacou que “em curto prazo existem medidas legais, de educação e sensibilização que os governos podem implantar para garantir que as crianças permaneçam nas escolas e não se exponham aos riscos do trabalho”. Por isso, o relatório assinala que os governos da América Latina e do Caribe devem avançar rumo à erradicação total do trabalho infantil na região, pois uma resposta que permita tirar as crianças do trabalho estará estreitamente vinculada à erradicação da pobreza, permitindo assim romper com o ciclo reprodutivo da miséria.


www.onu.org.br

PARCEIROS VER TODOS