Paratletas em destaque

Por: Renata Centelhas
01 Julho 2007 - 00h00

Quando Diego Lucas Madeira entra na pista é como se estivesse fora do mundo. Ele, que se considera uma pessoa ligada no 220 volts 24 horas por dia, diz ter algo na pista que o acalma. “O atletismo mexe muito comigo, não sei explicar essa sensação, só sei que é muito boa e não consigo parar”, afirma o atleta de 24 anos, portador de mielomeningocele, que participou pela primeira vez dos Jogos Parapan-americanos, representando a Associação Desportiva para Deficientes (ADD).
“Foi uma notícia ótima ter sido convocado. Parei de treinar por um tempo e só de ter voltado já estava feliz. Agora, fazer parte da seleção é muito bom”, conta. A ADD atende cerca de 2,8 mil deficientes, promove o desenvolvimento da pessoa com deficiência por meio do esporte, educação e cursos de capacitação, além de apoiar os atletas em seis modalidades. “A Associação ajuda mais nos treinamentos. Ela tem uma ótima estrutura e um dos melhores times de basquete do país”, explica Diego.
A terceira edição dos Jogos Parapan-americanos aconteceu no Rio de Janeiro, de 10 a 19 de agosto, e, pela primeira vez na história, foram disputados na mesma cidade e logo após o Pan-americano. “Isso faz com que o paratleta seja reconhecido como um verdadeiro atleta. Conseqüentemente, passamos a ter uma responsabilidade maior”, diz entusiasmado Diego.
Para Joon Sok Seo, que tem seqüelas de poliomielite e compete na natação, isso os dará mais visibilidade. “Como utilizamos toda a organização, teremos um maior desenvolvimento do paradesporto no Brasil”, explica. Esta sua terceira participação
em um Parapan, competindo nas provas de 50 e 100 metros livres, 50 metros costas e
50 metros borboleta. “A convocação significou mais uma conquista individual e do grupo ao qual faço parte. Fiquei muito contente não só pela minha participação, mas também pelos meus colegas, que conseguiram pela primeira vez”. Além dele, outros três atletas de natação e um do atletismo estiveram no Rio.

Incentivo ao paradesporto
Joon é presidente da Associação para Integração Esportiva do Deficiente Físico (Ciedef), fundada em 1991. Por meio dela, recebe toda a estrutura de treinamento até a participação em competições. “O Ciedef oferece aos atletas um trabalho pós-reabilitação, apoio psicológico, ajuda de custo para viagens, entre outros. A integração social obtida por meio dos treinos e dos eventos da associação é fundamental para o desenvolvimento do atleta. Sempre que um competidor passa por alguma dificuldade, existe um esforço em conjunto para resolvermos o problema”, explica Fernanda Maretti, coordenadora da entidade.
Ainda segundo ela, foi uma grande vitória para o paradesporto os jogos acontecerem no mesmo lugar que o Pan, porém, ressalta Fernanda, ele ainda enfrenta muitas dificuldades. “A falta de recursos destinados ao paradesporto e de estrutura são algumas delas. Entretanto, muitas ações já foram realizadas nessa área e acreditamos que a tendência é melhorar cada vez mais. Para isso, precisamos contar com o interesse de órgãos públicos, privados e de toda população.”

Superando os limites
Segundo o último censo do IBGE, cerca de 10% da população mundial é portadora de alguma deficiência. Aqui no Brasil, são mais de 24 milhões, e a maior parte dos deficientes têm menos de 30 anos. Gilberto Lourenço da Silva e Augusto Carvalho dos Santos, companheiros do vôlei sentado, foram os dois atletas convocados do Projeto Próximo Passo (PPP) e fazem parte dessas estatísticas.
Gilberto sofreu um acidente em 2003, no qual acabou tendo que amputar parte de uma perna. E foi com o esporte que ele ‘voltou a viver’. “Antes de conhecer o vôlei sentado me perguntava o porquê de ter sofrido o acidente. Mas com o esporte, me sinto valorizado e percebi que a vida não acabou. O vôlei mudou totalmente a minha vida e agora não penso em parar nunca mais”, conta Gilberto.
Já a entrada de Augusto no esporte foi, segundo ele, engraçada. “Eu não conhecia o vôlei sentado e fui convidado pelo meu primo para participar. Ainda achei que era uma brincadeira dele na época. Comecei a treinar já no segundo dia e estou até hoje, após quatro anos. Aconselho as pessoas que estão em casa, principalmente os deficientes físicos, a participarem também”, conta o paratleta, que foi atropelado aos 18 anos e perdeu uma das pernas.
Os dois atletas treinam na Fórmula Academia, de São Paulo, que cede a quadra esportiva. Eles também são apoiados por empresas privadas, além de receberem o suporte e incentivo do PPP, que conta hoje com 85 atletas.

Os jogos
Os Jogos Parapan-americanos foram organizados pelo Co-Rio, em parceria com o Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB), de acordo com as regras do Comitê Paraolímpico das Américas (APC) e do Comitê Paraolímpico Internacional (IPC). As competições foram disputadas nas mesmas instalações dos Jogos Pan-americanos, garantindo a qualidade dos equipamentos esportivos. Os apartamentos da Vila foram projetados já em vista de sua utilização pelas pessoas com deficiência, e as instalações foram adaptadas para os paratletas.
São cerca de 1.300 atletas e 700 membros de delegações, sendo que a seleção brasileira é composta por 230 atletas. Nesta terceira edição, dez esportes integraram o programa dos Jogos:
• Atletismo: Os participantes competem em provas de pista, salto, arremesso/ lançamento de peso, disco e dardo, rua e combinadas (pentatlo). Alguns utilizam cadeira de rodas, outros, próteses. Atletas cegos ou com deficiência visual competem com um guia.
• Natação: Atletas com deficiência físico-motora e visual competem nos quatro estilos: livre, peito, costas e borboleta, além das provas individuais e de revezamento, não sendo permitido o uso de próteses. Os nadadores cegos recebem um aviso, por meio de um bastão com uma ponta de espuma, quando estão se aproximando das bordas.
• Basquetebol em cadeira de rodas: A quadra não sofre nenhum tipo de adaptação para receber os atletas.
• Halterofilismo: Os participantes são divididos por dez categoria de peso. O objetivo é levantar o maior peso possível.
• Futebol de 5: A bola possui um guizo interno para que os jogadores cegos possam localizá-la. Apenas o goleiro, por motivos de segurança, tem visão normal.
• Futebol de 7: Todos os participantes têm paralisia cerebral (deficiência motora).
• Tênis de mesa: Atletas dos mais diferentes grupos de deficiência (exceto com deficiência visual) competem divididos em 11 classes.
• Tênis em cadeira de rodas: É praticado por atletas que têm perda de função substancial ou total em uma ou ambas as pernas.
• Judô: Atletas com deficiência visual são divididos em categorias por peso.
• Voleibol sentado: Os participantes devem manter a pelve em contato com o solo durante todo o jogo e apresentar um grau mínimo de deficiência exigido pelo esporte.

O Brasil foi o grande vencedor dos Jogos Parapan-americanos Rio 2007, conquistando 228 medalhas no total, sendo 83 de ouro, 68 de prata e 77 de bronze. Em segundo lugar ficou o Canadá, com 49 medalhas de ouro, e, em terceiro, os EUA, com 37 ouros.
Em 2011, os Jogos Parapan-americanos serão realizados em Guadalajara, México, mesma cidade que sediará os próximos Jogos Pan-americanos.

Histórico do Parapan-americano
Os primeiros Jogos Parapan-americanos aconteceram em 1967, em Winnipeg, no Canadá, e foram disputados por Estados Unidos, Argentina, México e Trinidad e Tobago. A edição seguinte aconteceu no ano de 1969, em Buenos Aires, e contou com a primeira participação brasileira. Outras edições:1971, em Kingtong (Jamaica); 1973, em Lima (Peru); 1975, na Cidade do México (México); 1978, no Rio de Janeiro (Brasil); 1982, em Halifax (Canadá); 1986, em Aguadillas (Puerto Rico); 1990, em Caracas (Venezuela); e 1995, em Buenos Aires (Argentina).
Em 1999, no México, ocorreu a primeira edição dos Jogos sob a chancela do Comitê Paraolímpico Internacional (IPC), recebendo o nome de 1º Jogos Parapan-americanos. Mil participantes, de 19 países, disputaram quatro esportes: atletismo, natação, tênis de mesa e basquetebol em cadeira de rodas.
Já a segunda edição aconteceu em 2003, em Mar del Plata, na Argentina, com a participação de 1.300 pessoas, de 22 países, em nove esportes: atletismo, natação, bocha, basquetebol em cadeira de rodas, voleibol sentado, hipismo (adestramento), esgrima, tênis em cadeira de rodas e ciclismo.

Links
www.add.org.br
www.ciedef.org.br
www.cpb.org.br
www.paraolimpiadas.com.br
www.ppp.org.br
EDITAIS FILANTROPIA PLATAFORMA ÊXITOS
10.287
Oportunidades Cadastradas
8.101
Modelos de Documentos
2.226
Concedentes que Repassam Recursos
Prazo
9 Out
2018
Habilitação de Entidades para Indicação dos membros...
Prazo
28 Set
2018
JBC – Janeiro Brasileiro da Comédia
Prazo
14 Out
2018
Concurso Literário “Virtudes em Prosa e Verso"
Prazo
30 Set
2018
Festival Estudantil de Teatro de Caraguatatuba
Prazo
20 Nov
2018
Virada Cultural 2019
Prazo
28 Set
2018
Polo Regional 3 - Território Sesi-SP de Arte e Cultura...
Prazo
28 Set
2018
Polo Regional 3 - Território Sesi-SP de Arte e Cultura...
Prazo
30 Nov
2018
Programa Selos Postais
Prazo
11 Out
2018
Artes Cênicas -SESI Viagem Teatral - Produções Inéditas
Prazo
28 Set
2018
SESI – Música -Série Palco Aberto
Prazo
28 Set
2018
Polo Regional 2 - Território Sesi-SP de Arte e Cultura...
Prazo
28 Set
2018
Polo Regional 2 - Território Sesi-SP de Arte e Cultura...
Prazo
28 Set
2018
Polo Regional 3 - Território Sesi-SP de Arte e Cultura...
Prazo
1 Dez
2018
The Prince Claus Fund 2nd Open Call: First Aid to Documentary...
Prazo
17 Out
2018
Banco de Projetos do Fundo de Defesa de Direitos Difusos
Prazo
23 Out
2018
III Concurso de Crônicas Ivone dos Santos
Prazo
11 Out
2018
Edital LGBT+ Orgulho
Prazo
15 Out
2018
Programa Capes/Iiasa de Pós-Doutorado
Prazo
15 Out
2018
Programa CAPES/IIASA de Doutorado Sanduíche
Prazo
Contínuo
Política de Patrocínios da CEMIG
Prazo
22 Out
2018
WORLDLABS - Elevating Ideas Competition
Prazo
10 Out
2018
Seleção e Contratação de Atividades Culturais para...
Prazo
8 Out
2018
Programa Antártico Brasileiro – PROANTAR
Prazo
9 Out
2018
Avaliação da Implementação da Rede de Cuidados...
Prazo
31 Out
2018
Prêmio Nacional de Jornalismo em Seguros - 2018
Prazo
23 Nov
2018
Chamada CNPq/SNSF
Prazo
9 Nov
2018
Concurso de Cartazes para Dia Mundial da Alimentação...
Prazo
31 Dez
2018
Credenciamento de Artistas
Prazo
15 Out
2018
Prêmio INCM - Vasco Graça Moura
Prazo
15 Out
2018
3ª Edição Prêmio Kindle de Literatura
Prazo
5 Out
2018
CNPq-MCTIC -Meninas nas Ciências Exatas, Engenharias...
Prazo
10 Out
2018
CNPQ-MCTIC-SETEC -Programa para Concessão de Bônus...
Prazo
30 Jun
2019
Chamada Pública Bilateral FINEP-CDTI para projetos...
Prazo
21 Mar
2019
Seleção de Projetos Esportivos - Lei de Incentivo
Prazo
Contínuo
Revista Científica de Direitos Humanos - Submissão...
Prazo
4 Out
2018
Chamada Pública MCTIC/FINEP/CT-INFRA – Campi universitários...
Prazo
16 Out
2018
SENASP – Ação 8855 – Segurança Pública Nos...
Prazo
21 Set
2019
Crédito De Pesquisa Para Comitês Técnico-Científicos
Prazo
15 Dez
2018
The Awesome Foundation - Awesome Disability
Prazo
Contínuo
Chamada Pública ANCINE-FSA - Coinvestimentos Regionais
Prazo
15 Out
2018
Human Rights Prize of the French Republic 2018
Prazo
31 Out
2018
Empowering People Award 2019
Prazo
Contínuo
Filiação ao Departamento de Informação Pública...
Prazo
2 Out
2018
Seleção de Boas Práticas na Temática Educação...

PARCEIROS VER TODOS