ONU afirma que 1,2 bilhão não têm acesso à eletricidade

Por: Thaís Iannarelli
30 Maio 2013 - 15h24

Cerca de 1,2 bilhão de pessoas está sem acesso à eletricidade no mundo. Já 2,8 bilhões dependem da madeira e de outros tipos de biomassa para cozinhar e aquecer suas casas. Os dados fazem parte de um relatório produzido por especialistas de 15 agências das Nações Unidas (ONU) e liderado pelo Banco Mundial. O Brasil é citado entre as 20 nações que fizeram mais progressos, desde 1990, para o acesso universal à energia. A eletricidade chegou a 3 milhões de brasileiros por ano. China, Estados Unidos e Brasil estão entre as nações que mais produzem e consomem fontes de energia renovável. O Brasil foi o terceiro país onde mais cresceu o uso de combustíveis não-sólidos. Mas a nação também está na lista das que têm as maiores demandas por energia primária e onde há um dos maiores níveis de consumo. Segundo o documento, 80% das pessoas sem acesso à energia vivem em áreas rurais, a maioria na África e na Ásia. Moçambique está entre os países com maior déficit de acesso: falta luz para quase 20 milhões de pessoas. Apesar da eletricidade ter chegado às residências de 1,7 bilhão de pessoas entre 1990 e 2010, a população mundial aumentou em 1,6 bilhão de habitantes no mesmo período.

www.envolverde.com.br

PARCEIROS VER TODOS