Negros e mulheres ainda são minoria em cargos executivos

Por: Thaís Iannarelli
19 Julho 2016 - 15h38

O Instituto Ethos, em cooperação com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), realizou novo levantamento sobre o perfil do trabalhador brasileiro dentro das maiores empresas atuantes no país. O resultado desse trabalho é o estudo Perfil Social, Racial e de Gênero nas 500 Maiores Empresas do Brasil e suas Ações Afirmativas, que confirma um quadro já conhecido desde a última pesquisa realizada pela entidade em 2010: a representatividade de mulheres e negros nas empresas não reflete a composição social do país. Menos de 5% dos cargos do alto escalão das 500 maiores empresas brasileiras é ocupado por negros. Mesmo em cargos mais baixos, a presença de negros no mercado de trabalho não reflete a representatividade desse grupo, que corresponde a 52,9% da população brasileira, segundo dados do último censo realizado pelo IBGE.

No quadro funcional, acima apenas de estagiários e trainees, a presença de negros é de 35,7%, contra 62,8% de brancos. Conforme a hierarquia dos cargos aumenta, a presença de negros diminui: entre os supervisores, os afrodescendentes são apenas 25,9%, e entre os gerentes o número cai para 6,3%. Quadro semelhante ocorre com as mulheres, que são 51,4% da população, mas que ainda encontram barreiras para se verem representadas nas hierarquias mais altas das empresas. No quadro funcional, elas são apenas 35,5%, no grupo dos gerentes a presença dela cai para 31,3% e despenca para 13,6% nos altos quadros executivos. Estas são as principais conclusões do estudo, que avaliou também a presença de pessoas com deficiências físicas e maiores de 45 anos, bem como mapeou o índice de escolaridade dos empregados brasileiros. Além disso, foi pesquisada a existência de ações afirmativas para aumentar o número de integrantes de diversos grupos vulneráveis.

O levantamento apontou que a maior parte das grandes companhias presentes no Brasil não tem ações afirmativas para incentivar a presença de mulheres e negros em seus quadros. Quando tem, são em maior parcela ações pontuais, e não políticas com metas e iniciativas planejadas. Em contrapartida, expressivas parcelas dos principais gestores percebem como adequada a participação de mulheres e negros em praticamente todos os níveis hierárquicos. O estudo completo está disponível no site do Instituto Ethos e o material inclui o questionário aplicado nas empresas. Dessa maneira, outras companhias podem realizar um censo interno para avaliar como estão no que se refere à diversidade e à equidade entre seus dirigentes e funcionários.

Fontes: Instituto Ethos e Gife

EDITAIS FILANTROPIA PLATAFORMA ÊXITOS
16.515
Oportunidades Cadastradas
9.597
Modelos de Documentos
3.222
Concedentes que Repassam Recursos
Prazo
30 Abr
2020
Prêmio Melhores ONGs
Prazo
30 Abr
2020
Dubai International Best Practices Award
Prazo
1 Mai
2020
World Food Prize 2020
Prazo
8 Mai
2020
15ª edição do prêmio Para Mulheres na Ciência
Prazo
21 Mai
2020
Zayed Sustainability Prize 2021
Prazo
26 Mai
2020
UNESCO - Prize for Girls’ and Women’s Education...
Prazo
1 Jun
2020
Sophie Danforth Conservation Biology Fund
Prazo
18 Jun
2020
Global Health Security & Pandemics Challenge
Prazo
30 Jun
2020
Prêmio Internacional de Seguros Julio Castelo Matrán
Prazo
31 Dez
2020
Patrocínios e Doações - Instituto Usiminas

PARCEIROS VER TODOS