Moedas sociais de comunidades brasileiras entram na era digital

Por: Thaís Iannarelli
13 Outubro 2016 - 20h12

Criadas para funcionar como instrumento de pagamento alternativo ao Real e fomentar o crescimento da economia local em comunidades carentes por todo o Brasil, as chamadas moedas sociais agora são virtuais e movimentadas por meio de telefones celulares. Nomes como Palmas, Cocais, Palmeira, Maracanã, Dendê e outras que eram usadas em forma de cédulas de papel foram incorporadas no aplicativo E-Dinheiro, desenvolvido pela plataforma de serviços financeiros digitais Moneyclip.

Com apenas um ano de atuação, a empresa já opera comercialmente em parceria com 65 bancos presentes em 18 estados e tem um contrato de exclusividade com o Banco Nacional das Comunidades para levar a iniciativa em breve às outras 48 instituições que fazem parte dos 113 membros filiados ao grupo. A entidade estima que circulem atualmente no Brasil mais de R$ 500 mil em moedas sociais, com uma estimativa de 350 mil pessoas fazendo uso delas.

O aplicativo proporciona o uso das chamadas moedas sociais em transações financeiras por meio de telefones celulares. Para isso o usuário final não precisa ter internet, conta bancária e nem cartão de crédito. Além de pagar as compras realizadas nos bares, supermercados e todos os tipos de estabelecimentos, o aplicativo permite ainda o envio e recebimento de recursos financeiros e cobranças entre usuários da plataforma.

O diretor da Moneyclip, João Bosco Santana De Lima informa que, a operação com as moedas sociais além de um negócio rentável é também uma grande ação de responsabilidade social. “O aplicativo  proporciona a inclusão financeira de pessoas que não tem acesso ao sistema bancário tradicional, auxilia no gerenciamento dos pequenos comerciantes e tem um forte componente de educação financeira na medida em que mostra aos usuários quanto e como ele está gastando em áreas como saúde, educação. Lazer, vestuário e outras. Assim as pessoas começam a aprender a fazer um melhor controle do uso do dinheiro”, disse.

Fonte: Observatório do 3º Setor

Tudo o que você precisa saber sobre Terceiro setor a UM CLIQUE de distância!

Imagine como seria maravilhoso acessar uma infinidade de informações e capacitações - SUPER ATUALIZADAS - com TUDO - eu disse TUDO! - o que você precisa saber para melhorar a gestão da sua ONG?

Imaginou? Então... esse cenário já é realidade na Rede Filantropia. Aqui você encontra materiais sobre:

Contabilidade

(certificações, prestação de contas, atendimento às normas contábeis, dentre outros)

Legislação

(remuneração de dirigentes, imunidade tributária, revisão estatutária, dentre outros)

Captação de Recursos

(principais fontes, ferramentas possíveis, geração de renda própria, dentre outros)

Voluntariado

(Gestão de voluntários, programas de voluntariado empresarial, dentre outros)

Tecnologia

(Softwares de gestão, CRM, armazenamento em nuvem, captação de recursos via internet, redes sociais, dentre outros)

RH

(Legislação trabalhista, formas de contratação em ONGs etc.)

E muito mais! Pois é... a Rede Filantropia tem tudo isso pra você, no plano de adesão PRATA!

E COMO FUNCIONA?

Isso tudo fica disponível pra você nos seguintes formatos:

  • Mais de 100 horas de videoaulas exclusivas gratuitas (faça seu login e acesse quando quiser)
  • Todo o conteúdo da Revista Filantropia enviado no formato digital, e com acesso completo no site da Rede Filantropia
  • Conteúdo on-line sem limites de acesso no www.filantropia.ong
  • Acesso a ambiente exclusivo para download de e-books e outros materiais
  • Participação mensal e gratuita nos eventos Filantropia Responde, sessões virtuais de perguntas e respostas sobre temas de gestão
  • Listagem de editais atualizada diariamente
  • Descontos especiais no FIFE (Fórum Interamericano de Filantropia Estratégica) e em eventos parceiros (Festival ABCR e Congresso Brasileiro do Terceiro Setor)

Saiba mais e faça parte da principal rede do Terceiro Setor do Brasil:

Acesse: filantropia.ong/beneficios

PARCEIROS VER TODOS