A Filantropia no Século 21

Por: Instituto Filantropia
10 Novembro 2014 - 23h48

Há aproximadamente 20 anos, a expressão “Terceiro Setor” passou a identificar iniciativas privadas com objetivos sociais. Eram iniciativas sociais fora da ação dos governos (de onde surgiu a expressão “não governamental”) e já não se limitavam apenas a ações de grupos religiosos ou de dedicadas senhoras voluntárias.
Entre os anos de 1990 e 2000, tivemos uma verdadeira explosão social. Cada vez mais pessoas resolveram se dedicar de maneira profissional às áreas social, cultural, ambiental, de saúde, esportiva, de direitos humanos e tantas outras. Quem não conhece a Fundação Abrinq, o Greenpeace, o Grupo de Apoio ao Adolescente e a Criança com Câncer (GRAAC), os Doutores da Alegria, o Instituto Ayrton Senna, entre tantas outras entidades? Ou a Fundação Itaú Social, a Fundação Bradesco, a Fundação Iochpe, o Instituto Gerdau, a Fundação Vale do Rio Doce? No Brasil, claramente, os institutos e fundações empresariais ganharam destaque por sua forte atuação social, diversamente do que ocorreu em outros países, onde a atuação social é mais pessoal do que empresarial.
Pois bem, estamos em 2014. Hoje vemos um movimento social mais maduro e integrativo. Cada vez mais pessoas físicas estão se dispondo a ser protagonistas de uma mudança social. Pessoas bem-sucedidas, em uma fase mais madura de suas vidas, até jovens entre 25 e 30 anos, estão cada vez mais interessadas em montar seus “negócios sociais”. No mundo empresarial, discute-se hoje sobre como integrar mais as ações sociais da organização com a área dos negócios. É uma semente de mudança na forma de pensar a atividade empresarial na nossa economia.
Cada vez mais pessoas estão pensando em nosso legado para as próximas gerações e em como diminuir o sofrimento que temos no mundo atual.
Os mais maduros se dispõem a doar não somente seus recursos materiais, mas também seu capital intelectual, sua rede de contatos, para realmente fazer a obra social apoiada por eles mudar de patamar e atingir maior qualidade e sustentabilidade financeira.
Os mais jovens se dispõem a montar negócios que tragam um impacto social positivo, levando mudanças necessárias e serviços úteis (a preços acessíveis) à população. O negócio em si não depende de doações para subsistir, e seus idealizadores se satisfazem com um bom salário e com o prazer de atuar em algo que faça a diferença para a sociedade.
Em uma fase ou noutra, as pessoas estão querendo dar outro significado a sua atividade profissional. E com isso estão se permitindo enfrentar alguns novos desafios. Como dar sustentabilidade financeira a uma boa solução social, sem gerar dependências? Como transformar o trabalho de um líder social numa grande causa que seja abraçada por mais pessoas? Como dar escala a um projeto que gere grande impacto, sem perder a qualidade? Como compartilhar soluções para problemas parecidos? Como reunir diferentes iniciativas voltadas para um mesmo interesse de forma a otimizar os recursos e gerar soluções de maior abrangência?
É preciso responder a esses importantes desafios do novo patamar da filantropia no Brasil. Responder com coragem e, ao mesmo tempo, com inteligência e seriedade, de forma a não pôr em risco nem a atividade social em si nem o patrimônio pessoal de quem assumiu a gestão da atividade social.
Quem investe no social o faz para resolver o problema dos outros, mas, ao mesmo tempo, não quer, obviamente, criar problemas para si. Há, pois, de se investir de forma correta. As associações e fundações que se dedicam a uma causa social são pessoas jurídicas com direitos e obrigações como qualquer outra empresa, mas que acabam sendo mais controladas do que as empresas. Quando recebem benefícios fiscais e recursos públicos, estão sujeitas a uma maior fiscalização por parte do Poder Público, que tem o dever de fiscalizar se o dinheiro público e as isenções tributárias estão sendo corretamente aplicados.
Nessa área, por isso mesmo, tem se desenvolvido cada vez mais a assessoria jurídica preventiva e especializada. A assessoria se estende às pessoas físicas que querem ter presença no Terceiro Setor e às próprias organizações não governamentais (ONGs), associações e fundações, que atuam como empresas e ainda têm de prestar contas a órgãos governamentais.
A assessoria jurídica no Terceiro Setor, além do atendimento direto às pessoas e às entidades, individualmente, evoluiu para ajudar no atendimento ao setor como um todo, institucionalmente. O Terceiro Setor cada vez mais tem se organizado para propor ao governo alterações legislativas que gerem mudanças, facilitem o trabalho, garantam transparência e, ao mesmo tempo, estimulem a sociedade a investir no social. Exemplos mais importantes disso são: a) a recente mudança na legislação que regulamenta a imunidade das contribuições sociais das instituições de educação, saúde e assistência social; b) a ampliação dos incentivos fiscais para as áreas de esportes e de saúde voltadas para oncologia e deficiência (Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica — PRONON — e Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência — PRONAS/PCD); c) o trabalho de advocacy em favor de causas de direitos humanos, meio ambiente e contra o consumo infantil; d) o projeto de lei que cria o Simples Social; e) o projeto de lei que cria os Fundos Patrimoniais Vinculados, similares aos Fundos de Endowment que no exterior garantem às ONGs e universidades recursos para pesquisa, inovação e perenidade de áreas fundamentais da sociedade; e f) o projeto de legislação para facilitar a criação de negócios sociais cujas discussões estão agora começando.
Neste início de século 21, é espetacular o potencial transformador que em grande parte se encontra na filantropia, na arte de fazer o bem. O calor humano que vem do idealismo e do prazer de servir ao próximo; quando se mistura com a responsabilidade, a visão e a experiência de quem está no mundo dos negócios (das empresas), produz como resultante, magicamente, ações sociais importantes e necessárias que podem realmente fazer a diferença que o mundo precisa.

Tudo o que você precisa saber sobre Terceiro setor a UM CLIQUE de distância!

Imagine como seria maravilhoso acessar uma infinidade de informações e capacitações - SUPER ATUALIZADAS - com TUDO - eu disse TUDO! - o que você precisa saber para melhorar a gestão da sua ONG?

Imaginou? Então... esse cenário já é realidade na Rede Filantropia. Aqui você encontra materiais sobre:

Contabilidade

(certificações, prestação de contas, atendimento às normas contábeis, dentre outros)

Legislação

(remuneração de dirigentes, imunidade tributária, revisão estatutária, dentre outros)

Captação de Recursos

(principais fontes, ferramentas possíveis, geração de renda própria, dentre outros)

Voluntariado

(Gestão de voluntários, programas de voluntariado empresarial, dentre outros)

Tecnologia

(Softwares de gestão, CRM, armazenamento em nuvem, captação de recursos via internet, redes sociais, dentre outros)

RH

(Legislação trabalhista, formas de contratação em ONGs etc.)

E muito mais! Pois é... a Rede Filantropia tem tudo isso pra você, no plano de adesão PRATA!

E COMO FUNCIONA?

Isso tudo fica disponível pra você nos seguintes formatos:

  • Mais de 100 horas de videoaulas exclusivas gratuitas (faça seu login e acesse quando quiser)
  • Todo o conteúdo da Revista Filantropia enviado no formato digital, e com acesso completo no site da Rede Filantropia
  • Conteúdo on-line sem limites de acesso no www.filantropia.ong
  • Acesso a ambiente exclusivo para download de e-books e outros materiais
  • Participação mensal e gratuita nos eventos Filantropia Responde, sessões virtuais de perguntas e respostas sobre temas de gestão
  • Listagem de editais atualizada diariamente
  • Descontos especiais no FIFE (Fórum Interamericano de Filantropia Estratégica) e em eventos parceiros (Festival ABCR e Congresso Brasileiro do Terceiro Setor)

Saiba mais e faça parte da principal rede do Terceiro Setor do Brasil:

Acesse: filantropia.ong/beneficios

BAIXE GRATUITAMENTE
E-book Como começar uma⠀ONG

BAIXE GRATUITAMENTE

BAIXE GRATUITAMENTE
E-book 18 PASSOS essenciais para ajudar sua ONG

BAIXE GRATUITAMENTE

EDITAIS
23.290
Oportunidades Cadastradas
9.597
Modelos de Documentos
4.132
Concedentes que Repassam Recursos
Prazo
1 Out
2021
The Land Accelerator - América Latina
Prazo
1 Ago
2021
AAAS Kavli Science Journalism Awards
Prazo
Contínuo
Super Desafio COVID-19 - Startups
Prazo
10 Ago
2021
The Chelsea International Photography Competition 2021
Prazo
5 Jun
2021
Prêmio Excelência em Competitividade 2021
Prazo
15 Dez
2021
Premio Iteramericano a Las Buenas Práticas para el...
Prazo
15 Jun
2021
FAPESP / M-ERA.NET 2021 – Ciência de Materiais e...
Prazo
Contínuo
Adobe Creative Residency Community Fund
Prazo
15 Jun
2021
Professional Fellowship 2021
Prazo
15 Jun
2021
2º Call for Partnerships - Global Media Defence Fund

PARCEIROS VER TODOS