Fernando Rossetti

Por: Daniela Tcherniacowski
01 Janeiro 2005 - 00h00

Cientista social com especialização em Direitos Humanos pela Columbia University, de Nova York (EUA), Fernando Rossetti, 42 anos, é o novo diretor-executivo do Grupo de Institutos, Fundações e Empresas (Gife), uma das mais importantes ONGs de estímulo ao investimento social privado no Brasil.

Sua prestigiada trajetória na área social confunde-se com a própria criação da expressão “Terceiro Setor”. Como jornalista, cobriu principalmente o tema da educação ao longo da década de 90, cuja atuação marcante lhe rendeu o Grande Prêmio Ayrton Senna de Jornalismo e o título de Jornalista Amigo da Criança, concedido pela Agência de Notícias dos Direitos da Infância (Andi).

Junto ao também jornalista Gilberto Dimenstein, fundou a ONG Cidade Escola Aprendiz, instituição que pesquisa e dissemina inovações em educação, na qual foi diretor executivo durante quatro anos.

Nos últimos dois anos, trabalhou como consultor de entidades como Andi, Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e da prefeitura de Boa Vista (capital de Roraima).

Em entrevista à Revista Filantropia, Fernando Rossetti aponta, entre diversos fatores, a necessidade do Terceiro Setor de se profissionalizar para contribuir efetivamente com o desenvolvimento social do Brasil.

“Muitas vezes vejo bons projetos que, por não terem a compreensão, por exemplo, das políticas públicas, acabam com um impacto muito pequeno. Os desafios sociais e ambientais brasileiros são bastante complexos neste século 21 e por isso é preciso tornar mais complexo e profissionalizado o trabalho do Terceiro Setor”.

Revista Filantropia: Como o senhor começou sua carreira no Terceiro Setor?

Fernando Rossetti: Fui repórter da área social, cobrindo principalmente o campo da educação, na Folha de S.Paulo, de 1990 a 1999. Nesse período, tive o privilégio de acompanhar o surgimento da própria expressão “Terceiro Setor” no Brasil, e a enorme expansão dessa atividade, que ocorreu principalmente na segunda metade da década de 90.

Depois, dirigi a ONG Cidade Escola Aprendiz, fundada pelo jornalista Gilberto Dimenstein, em 1997. Ao mesmo tempo, assumi a coordenação do programa Educação pela Comunicação do Instituto Ayrton Senna, onde fiquei até meados de 2000.

Saí do Aprendiz no final de 2002, quando passei a atuar com consultorias em projetos que envolvem educação, comunicação, juventude e cidadania – em geral com perspectiva de políticas públicas. Nessa atividade, trabalhei com organizações importantes do Terceiro Setor, desde internacionais, como Unicef e UN Foundation, até brasileiras, como a Andi, o Cenpec e o Instituto Criar, entre muitas outras.

Filantropia: Como o senhor via a educação no Brasil na época em que cobria o tema como jornalista?

FR: A educação no Brasil na década de 90 viveu grandes transformações: de gestões meramente populistas, predominantes no Regime Militar, para gestões mais tecnicamente fundamentadas, começando com Paulo Freire na Secretaria Municipal de São Paulo (1989-90), passando por diversas e influentes gestões nos planos municipais, nas cidades de Belo Horizonte e Porto Alegre, por exemplo, estaduais, como Ceará e São Paulo, e federal.

O que posso dizer dessa experiência é que sempre me chamaram a atenção a qualidade precária da educação brasileira e a enorme dificuldade do país em conseguir enfrentar esse desafio. Cobri a renovação completa da legislação na área, mas ainda não vi um efeito significativo dessas reformas na própria qualidade do ensino.

Minha avaliação, desde então, é que o maior problema para a educação – na verdade, para toda a área social no Brasil – é a descontinuidade dos projetos. Boas idéias e iniciativas têm surgido, mas elas são quase sempre fechadas pelo próximo gestor, que, por sua vez, inicia outros projetos e reformas. Enquanto a educação não for vista como um projeto de Estado, de toda a sociedade brasileira, e não apenas de um governo ou partido, não será possível melhorar significativamente a situação.

Aprendi ainda que o tempo da educação se mede em gerações e, por isso, é necessário promover, além de projetos consistentes tecnicamente, políticas públicas de longo prazo.

Filantropia: E em relação aos tempos atuais, como se configura a educação brasileira? Houve avanços, na sua opinião?

FR: Ocorreram muitos avanços. O principal foi a virtual universalização do acesso ao ensino fundamental para crianças de 7 a 14 anos. O ensino superior também está cada vez mais acessível para os brasileiros, porém, enquanto não houver, de fato, um movimento nacional pela educação, com visão de longo prazo e de responsabilidade social dos gestores políticos, sociais e empresariais, o avanço será muito mais lento do que poderia ser.

Filantropia: Qual o papel da educação para o desenvolvimento social? É o principal meio transformador de uma sociedade pobre e desigual como a brasileira?

FR: Repetindo uma máxima do campo da educação: sem ela não se consegue quase nada, nem no plano individual, nem no coletivo. Mas só educação não garante o desenvolvimento econômico e social – vide Argentina, por exemplo, cuja população chegou aos anos 90 muito bem educada. A questão hoje é que, com a revolução das tecnologias de informação e comunicação e com o surgimento do que está sendo chamado de “sociedade do conhecimento”, a educação se torna um fator cada vez mais importante. Atualmente, até mesmo os postos de gasolina de São Paulo exigem formação secundária para os frentistas. Isso significa que não só os professores como todos os cidadãos precisam ter formação continuada.

Filantropia: Como consultor, quais são as principais questões levadas ao senhor?

FR: Dos mais variados tipos, desde como conduzir oficinas com jovens em liberdade assistida até apoio no planejamento estratégico de redes sociais e políticas públicas. Os campos em que mais me aprofundei nos últimos anos, além da questão da gestão de organizações e de redes, foram projetos que reúnem comunicação e educação e temas relacionados à juventude, Terceiro Setor e cidadania, em geral com perspectiva de política pública.

Filantropia: O que signifi ca para o senhor comandar uma ONG como o Gife?

FR: Ter o privilégio de contribuir com as melhores práticas de investimento social privado do Brasil e de promover o incremento do Terceiro Setor, a partir de uma das organizações mais qualificadas da área.

Filantropia: Quais ainda são os maiores desafi os do Terceiro Setor?

FR: Em primeiro lugar, a profissionalização desse tipo de trabalho – e nisso o Gife tem papel fundamental. Há um grande voluntarismo no Terceiro Setor que, a princípio, é muito bom. No entanto , para a transformação social efetiva, não é suficiente. Muitas vezes vejo bons projetos que, por não terem a compreensão, por exemplo, das políticas públicas, acabam com um impacto muito pequeno. Os desafios sociais e ambientais brasileiros são bastante complexos neste século 21 e, por isso, é preciso tornar mais complexo e profissionalizado o trabalho do Terceiro Setor.

Filantropia: E as maiores conquistas?

FR: O Terceiro Setor ganhou enorme legitimidade na sociedade brasileira. Isso decorre do processo de democratização do país, que permitiu o surgimento de novos atores sociais – desde voluntários individuais até empresários que levam seu conhecimento de negócios para aprimorar e ampliar os resultados do trabalho no campo social.

Além disso, o Terceiro Setor trouxe a lógica da co-responsabilidade, de que Estado, sociedade civil e empresas precisam atuar de forma conjunta para vencer os desafios sociais brasileiros.

Mas, voltando aos desafios e ao próprio papel do Gife, há ainda um bom caminho pela frente para dimensionar melhor a sustentabilidade dos muitos e bons projetos que vêm surgindo.

Filantropia: As empresas estão cumprindo efetivamente seu papel social?

FR: Depende de como se concebe o papel social delas. Para mim, não há papel mais importante para as empresas do que buscarem ser bem sucedidas: produzirem, gerarem empregos e lucro, pagarem impostos e, com isso, proporcionarem desenvolvimento econômico.

Quanto ao social, é importante destacar a diferença entre o conceito de responsabilidade social e o de investimento social privado.

Responsabilidade social envolve todos os fazeres da empresa – desde sua relação com o meio ambiente, funcionários, fornecedores, acionistas e clientes, com o governo, até suas ações comunitárias. Já investimento social privado relaciona-se mais especificamente a esse último aspecto comunitário. Tem a ver com a decisão de investir recursos para o desenvolvimento do bem comum, em projetos de interesse público, seja diretamente ou por meio de institutos ou fundações. É com essa dimensão específica que o Gife trabalha.

O Brasil é muito criativo nessa área e as empresas que ingressam na arena social têm conseguido rapidamente desenvolver bons trabalhos. Todavia, como mencionei, há ainda o desafio de profissionalização desse tipo de atividade. E muitas delas ainda não entraram, de maneira mais consistente, no campo.

Filantropia: O que ainda é preciso ser feito para estimular o investimento social privado no Brasil?

FR: Há diversos desafios, envolvendo diferentes atores sociais: desde o ambiente legislativo e tributário até a ampla circulação de informações de qualidade na sociedade – o que envolve meios de comunicação e instituições de ensino. Tanto o empresário quanto qualquer cidadão precisa valorizar o investimento social privado. Isso demanda mecanismos de avaliação de resultados. Há um certo consenso de que a ação social das empresas contribui para o desenvolvimento da sociedade. Mas ainda não há indicadores aceitos por todos que demonstrem claramente esses resultados.

Filantropia: Até que ponto a legislação brasileira dificulta o investimento social privado?

FR: A legislação brasileira relativa ao Terceiro Setor tem evoluído bastante, mas poderia ser melhor. A atuação do Legislativo nessa área oscila muito. Por vezes, é consistente e indutora; por outras, populista. Um exemplo é o caso do recolhimento da Cofins. A medida provisória 135/03, convertida em dezembro de 2003 na lei 10.833, estabeleceu a arrecadação de 7,6% da receita de organizações sociais que antes eram isentas desta contribuição. Só se mantiveram imunes as instituições sem fins lucrativos de educação e assistência social. Para as demais organizações do Terceiro Setor, essa alíquota representa 7,6% menos recursos para aplicação em projetos sociais, além de, indiretamente, afastar doadores que têm resistência em aceitar que os recursos por eles financiados sejam gastos com tributos.

Filantropia: Como o senhor vê as parcerias intersetoriais entre empresas, Terceiro Setor e governo? Qual a importância da participação de cada uma dessas esferas para o desenvolvimento social do Brasil?

FR: Os desafios sociais brasileiros são complexos demais para serem superados com o trabalho de apenas um ou outro setor da sociedade. Educação de qualidade, por exemplo, envolve todos os setores: os estudantes e professores, as famílias e os membros da comunidade, as empresas e os espaços culturais, as universidades e as muitas instâncias do governo. Sei que é difícil fazer alianças e parcerias. Tende a ser conflituoso reunir várias lideranças em um único projeto. Mas em geral os resultados são bem maiores, e o impacto, mais profundo, quando se enfrenta o desafio do trabalho conjunto.

Filantropia: Na sua opinião, quais os principais avanços o Brasil tem tido no campo social que refletem o trabalho das entidades sociais?

FR: Os avanços são inúmeros. A própria democratização do país é resultado da ação organizada da sociedade civil brasileira. Há grandes avanços na promoção dos direitos humanos. As melhores experiências em educação também envolvem entidades sociais. A visão que os cidadãos comuns têm hoje em relação à defesa do meio ambiente deve-se a esse tipo de trabalho. Crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos em geral têm uma vida melhor quando entram em contato com essas organizações. A contribuição no campo da cultura é inestimável.

EDITAIS FILANTROPIA PLATAFORMA ÊXITOS
12.533
Oportunidades Cadastradas
9.161
Modelos de Documentos
2.659
Concedentes que Repassam Recursos
Prazo
1 Jun
2019
Cheltenham Illustration Awards 2019
Prazo
31 Mai
2019
4th Sunhak Peace Prize
Prazo
31 Mai
2019
Skål International Sustainable Tourism Awards 2019
Prazo
30 Mai
2019
Dezeen Awards 2019
Prazo
31 Mai
2019
Le Grand Prix du Carré Hermès: Scarf Design Competition
Prazo
27 Mai
2019
University Support for Drug Demand Reduction And Substance...
Prazo
30 Mai
2019
Expo 2020 Dubai's Global Best Practice Programme
Prazo
31 Mai
2019
Coletânea Auta Verocidade
Prazo
31 Mai
2019
Antologia Crônicas de Ferro & Vapor
Prazo
30 Mai
2019
Coletânea Feéricas 2019
Prazo
31 Mai
2019
29º Cine Ceará - Festival Ibero-Americano de Cinema
Prazo
31 Mai
2019
Antologia Clichê, pra quê?
Prazo
30 Mai
2019
Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger - Edição...
Prazo
31 Mai
2019
Coletânea de Poemas Madrepérola
Prazo
31 Mai
2019
Coletânea Música que me faz...
Prazo
31 Mai
2019
Coletânea Frequência Insólita
Prazo
31 Mai
2019
Coletânea Ontem, hoje, amanhã talvez
Prazo
31 Mai
2019
5º Concurso de Poesia - Biblioteca Lydia Frayze
Prazo
31 Mai
2019
Concurso Lusófono da Trofa - Conto Infantil
Prazo
4 Jun
2019
FAPESP - ANR - Chamada de Propostas para o Programa...
Prazo
31 Mai
2019
Kurt Schork Awards in International Journalism 2019
Prazo
1 Jun
2019
Shuttleworth Foundation Fellowship
Prazo
31 Mai
2019
Antologias Editora Jogo de Palavras
Prazo
5 Ago
2019
7ª Edição do Prêmio Luiz de Castro Faria
Prazo
31 Mai
2019
Coletânea Slasher, gore & thriller - Contos sobre...
Prazo
31 Mai
2019
Innovative Small Grants Program 2019
Prazo
30 Mai
2019
Coletânea de Poesias – Pétalas da vida
Prazo
30 Mai
2019
Coletânea de Contos – Na velocidade do tempo
Prazo
1 Ago
2019
Filmmaking Grants Program
Prazo
31 Mai
2019
Coletânea Odisseia dos Dragões
Prazo
31 Mai
2019
Coletânea Epifanias - Contos e crônicas de temática...
Prazo
31 Mai
2019
Doclisboa'19 - 17º Festival Internacional de Cinema
Prazo
30 Mai
2019
Zayed Sustainability Prize 2020
Prazo
31 Mai
2019
Bolsas Rotary pela Paz 2020-21
Prazo
14 Jun
2019
Seleção de Cartões Postais Inéditos sobre Aspectos...
Prazo
17 Jun
2019
Chamada de Propostas Colaborativas FAPESP - CONICYT...
Prazo
27 Mai
2019
InovAtiva de Impacto
Prazo
30 Mai
2019
Antologia Sangue na Sombra da Noite
Prazo
8 Jul
2019
Prêmio MuniCiência 2019/2020 - 3ª Edição - CNM
Prazo
5 Jul
2019
ESD Okayama Award 2019
Prazo
15 Ago
2019
Mutchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural
Prazo
Contínuo
Concessão de Patrocínio - SUDAM
Prazo
31 Jul
2019
Antologia Chuva Literária - Volume II
Prazo
31 Mai
2019
Edital de Demanda Espontânea - Plano de Recursos Hídricos...
Prazo
10 Jun
2019
Ocupação da Casa Porto das Artes Plásticas
Prazo
19 Ago
2019
Behavioral Economics
Prazo
31 Mai
2019
Prêmio CAPES de Tese – Edição 2019
Prazo
5 Jun
2019
Revista do Arquivo Público do Estado do Espírito...
Prazo
10 Jun
2019
Ocupação do Museu Histórico da Ilha das Caieiras...
Prazo
10 Jun
2019
Ocupação do Museu Capixaba do Negro “Verônica...
Prazo
31 Mai
2019
Prêmio WEPs - Empresas Empoderando Mulheres
Prazo
3 Jun
2019
The Bloomberg Initiative - To Reduce Tobacco Use -...
Prazo
30 Jun
2019
Programa de Modernização da Agricultura e Conservação...
Prazo
30 Jun
2019
Programa de Incentivo à Irrigação e à Produção...
Prazo
30 Jun
2019
Programa de desenvolvimento cooperativo para agregação...
Prazo
Contínuo
BNDES Finame - BK Aquisição e Comercialização
Prazo
Contínuo
BNDES Finame - Energia Renovável
Prazo
Contínuo
Cartão BNDES
Prazo
2 Jun
2019
D-Prize 2019
Prazo
31 Jul
2019
2019 Youth Citizen Entrepreneurship Competition
Prazo
30 Nov
2019
Lei Federal de Incentivo à Cultura
Prazo
30 Mai
2019
Biophilia Award for Environmental Communication
Prazo
15 Jul
2019
68th United Nations Civil Society Conference
Prazo
1 Nov
2019
Allard Prize Photography Competition 2019
Prazo
29 Mai
2019
Chamadas de propostas FAPESP – CONFAP – CNPq –...
Prazo
Contínuo
UN Academic Impact - UNAI
Prazo
31 Mai
2019
Chamada CNPq/MCTIC/BRICS-STI
Prazo
15 Out
2019
Patrocínios Culturais e Esportivos realizados por...
Prazo
31 Out
2019
Patrocínios Culturais realizados por meio da Lei Municipal...
Prazo
31 Out
2019
UNESCO-Hamdan bin Rashid Al-Maktoum
Prazo
1 Nov
2019
Apoio ao Fundo da Infância e Adolescência (FIA) -...
Prazo
1 Nov
2019
VOLVO - Apoio ao Programa Nacional de Apoio à Atenção...
Prazo
1 Nov
2019
VOLVO - Apoio ao Programa Nacional de Apoio à Atenção...
Prazo
1 Nov
2019
Apoio ao Fundo Nacional do Idoso - VOLVO
Prazo
20 Ago
2020
Programa Ciência na Escola - Chamada Pública para...
Prazo
27 Mai
2019
Programa Ciência na Escola - Chamada Pública para...
Prazo
1 Jun
2019
Curso Técnico em Arte Circense da Escola Nacional...
Prazo
24 Jun
2019
Programa Ciência na Escola - Chamada Pública para...
Prazo
30 Jun
2019
UNESCO Creative Cities Network 2019
Prazo
Contínuo
Programa Cidades Inovadoras - FINEP
Prazo
Contínuo
Patrocínio de Projetos Esportivos e Culturais - Cielo
Prazo
Contínuo
Patrocínio de Projetos Educativos, Culturais e de...
Prazo
20 Jun
2019
Golden Pin Concept Design Award 2019
Prazo
27 Jun
2019
Golden Pin Design Award 2019
Prazo
30 Jun
2019
Desafio Criativos da Escola 2019
Prazo
31 Mai
2019
Prêmio Professores do Brasil - 12ª Edição
Prazo
30 Set
2019
Feminist Review Trust Fund
Prazo
30 Mai
2019
1º Concurso Fotográfico da SBTMO - 40 anos de transplantes...
Prazo
1 Jul
2019
Revista RECAM – MERCOSUL Audiovisual
Prazo
20 Ago
2019
Collaborative Awards in Science
Prazo
31 Mai
2019
Rookie Awards 2019
Prazo
30 Jun
2019
Sydney Peace Prize 2020
Prazo
6 Out
2019
Melhores ONGs do Brasil 2019
Prazo
9
2019
Stockholm Water Prize 2020
Prazo
1 Out
2020
Volvo Environment Prize 2020
Prazo
6
2019
Prêmio APS Forte para o SUS: Acesso Universal
Prazo
27 Mai
2019
Prêmio Educador Nota 10 - 2019
Prazo
5 Jun
2019
Concurso Literário de Tiras: Tirinhas Brasileiras...
Prazo
31 Mai
2019
Programa de Cooperação Científica Estratégica com...
Prazo
26 Jun
2019
Auxílio à Promoção de Eventos Científicos, Tecnológicos...
Prazo
28 Mai
2019
UNESCO Prize for Girls’ and Women’s Education 2019
Prazo
15 Jun
2019
International Essay Contest for Young People
Prazo
16 Jun
2019
PLURAL+ Youth Video Festival
Prazo
23 Ago
2019
11º Concurso de Desenho e Redação
Prazo
Contínuo
Empresas Não-Residentes - Programa de Incubação...
Prazo
30 Out
2019
Fine & Country Foundation Grant
Prazo
16 Ago
2019
Programa Senado Jovem Brasileiro
Prazo
31 Mai
2019
U.S. Mission Brazil Annual Program Statement
Prazo
27 Mai
2019
6º Prêmio Gerdau Germinar - O Desafio da Sustentabilidade
Prazo
31 Mai
2019
FineReads 15K Grant Program
Prazo
Contínuo
Programa de Apresentação de Unidades de Dessalinização...
Prazo
7 Jun
2019
Minor Foundation for Major Challenges Grants Program
Prazo
Contínuo
Programa Empreendedoras Digitais
Prazo
17 Jun
2019
Ocean Awareness Student Art Contest 2019
Prazo
23 Jul
2019
Programa Bolsa Nota 10 - FAPERJ - 2019
Prazo
14 Out
2019
Muste Institute's Social Justice Fund 2019
Prazo
1 Set
2019
Seed and Early-stage Grants to Grassroots Women’s...
Prazo
31 Ago
2019
Aesthetica Art Prize
Prazo
15 Out
2019
Embracing Our Differences
Prazo
31 Out
2019
Cadastramento de Bandas - Grupos Musicais 2019
Prazo
1 Nov
2019
Roy Scrivner Memorial Research Grants Program
Prazo
8 Dez
2019
CLUE: Light & Disruption
Prazo
Contínuo
Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica...
Prazo
Contínuo
Bolsa de Doutorado Direto
Prazo
Contínuo
Auxílio à Pesquisa - Regular
Prazo
15 Set
2019
Institutional Grants
Prazo
31 Out
2019
Mohamed Bin Zayed Species Conservation Fund 2019
Prazo
1 Set
2019
Fondation Mérieux’s Small Grant
Prazo
31 Dez
2019
FAPESP - Auxílio à Pesquisa - Projeto Temático
Prazo
30 Dez
2019
Wildlife Acoustics Scientific Product Grant
Prazo
4 Jun
2019
WorldFood Istanbul 2019
Prazo
22 Jul
2019
Fruit Attraction 2019
Prazo
26 Ago
2019
Israfood 2019
Prazo
31 Mai
2019
UN Young Champion of the Earth
Prazo
31 Dez
2019
Project Grants
Prazo
31 Mai
2019
Prêmio Mercosul - 2018
Prazo
Contínuo
Chamada Pública BRDE/FSA – Coprodução InternacionaL...
Prazo
31 Mai
2019
Selo Agro + Integridade 2019-2020
Prazo
Contínuo
Bolsa de Pesquisa no Exterior - BPE
Prazo
Contínuo
Patrocínio Net Claro Embratel
Prazo
Contínuo
Seleção de Projetos de Incentivo à Cultura - Lei...
Prazo
Contínuo
Seleção de Projetos de Incentivo ao Esporte - Lei...
Prazo
Contínuo
Bolsa de Pós-Doutorado
Prazo
1 Out
2019
LGBTI Projects Funding
Prazo
30 Jun
2019
Maypole Fund - Women to Proactively Challenge Patriarchy
Prazo
9 Out
2019
Making the Case for Nature
Prazo
9 Out
2019
Recovery of Species on the Brink of Extinction
Prazo
9 Out
2019
Conservation Technologies
Prazo
9 Out
2019
Participatory Science
Prazo
9 Out
2019
Reducing Marine Plastic Pollution
Prazo
9 Out
2019
Documenting Human Migrations
Prazo
Contínuo
Chamamento de Projetos Jornalísticos Sobre Florestas...
Prazo
Contínuo
FAPESP - Bolsa de Iniciação Científica
Prazo
Contínuo
FAPESP - Jovens Pesquisadores em Centros Emergentes
Prazo
Contínuo
FAPESP - Políticas Públicas
Prazo
Contínuo
Bolsas do Programa de Capacitação Técnica
Prazo
Contínuo
FAPESP - Bolsa de Doutorado
Prazo
Contínuo
RESOLUÇÃO Nº 191, de 21 de Dezembro de 2018
Prazo
Contínuo
Projetos - Globosat
Prazo
Contínuo
Estabelecimento de Parcerias para Coedições de Livros...
Prazo
Contínuo
Leia para uma criança
Prazo
Contínuo
Programa de Desenvolvimento Científico Regional –...
Prazo
Contínuo
Política de Patrocínios da CEMIG
Prazo
30 Jun
2019
Chamada Pública Bilateral FINEP-CDTI para projetos...
Prazo
Contínuo
Revista Científica de Direitos Humanos - Submissão...
Prazo
21 Set
2019
Crédito De Pesquisa Para Comitês Técnico-Científicos
Prazo
Contínuo
Chamada Pública ANCINE-FSA - Coinvestimentos Regionais
Prazo
Contínuo
Filiação ao Departamento de Informação Pública...

PARCEIROS VER TODOS