Estabilidade à gestante

Por: Revista Filantropia
01 Maio 2008 - 00h00

Não há perda da estabilidade da gestante devido ao falecimento de seu filho. Os legisladores nada previram sobre isso nem condicionaram a estabilidade ao nascimento com vida da criança. Esse foi o entendimento da 5ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho ao julgar o recurso de revista de uma funcionária carioca demitida quando estava com aproximadamente dois meses de gravidez. Enquanto a ação tramitava, a gestante teve parto prematuro aos seis meses e, cinco dias depois do nascimento, sua filha faleceu. A decisão garantiu à trabalhadora a estabilidade por cinco meses, tendo como marco inicial a data do parto.

www.tst.gov.br

EDITAIS FILANTROPIA PLATAFORMA ÊXITOS
22.766
Oportunidades Cadastradas
9.597
Modelos de Documentos
4.060
Concedentes que Repassam Recursos
Prazo
3 Mai
2021
25º Concurso Inovação no Setor Público
Prazo
26 Abr
2021
15º Edital Funcultura Audiovisual
Prazo
Contínuo
Super Desafio COVID-19 - Startups
Prazo
21 Mai
2021
Projetos Sociais por Leis de Incentivo 2021
Prazo
14 Mai
2021
Edital de Seleção - Projetos Sociais
Prazo
11 Mai
2021
Prince Claus Seed Awards 2021
Prazo
10 Mai
2021
Para Mulheres na Ciência 2021
Prazo
Contínuo
Adobe Creative Residency Community Fund
Prazo
17 Mai
2021
PhotoContest 2021
Prazo
23 Mai
2021
9ª Convocatoria de Ayudas

PARCEIROS VER TODOS