Desemprego e abrigos

Por: Dialogo Social
01 Setembro 2009 - 00h00
Na cidade de São Paulo, o desemprego dos pais é o principal motivo para as crianças e adolescentes viverem em abrigos. De acordo com a pesquisa Famílias de Crianças e Adolescentes Abrigados do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre a Criança e o Adolescente, da Pontifícia Universidade Católica (PUC), a falta de emprego leva 13% dos menores às instituições. A negligência vem em segundo lugar (11%), seguida pela falta de moradia (10%). Justificativas como “para não ficar na rua” (10%) e violência por parte de outra pessoa (7%) foram bastante citadas pelos entrevistados. Um dado interessante é que 98% das famílias entrevistadas têm a intenção de retirar a criança ou o adolescente dos abrigos e levá-los de volta para casa. No entanto, os menores que vivem em abrigos e têm família são aproximadamente 60%.
www.agenciabrasil.gov.br

PARCEIROS VER TODOS