Cuidando da saúde

Por: Marcio Zeppelini
01 Setembro 2004 - 00h00
Apreocupação em levar cuidados médicos a futuras mães de Petrolina foi o que impulsionou o surgimento da Associação Petrolinense de Amparo à Maternidade e à Infância (Apami). Desde 1948, quando começou como instituição, já proporcionava atendimento médico às gestantes, com exames de pré-natal e, após o parto, acompanhamento aos recém-nascidos. Ainda na década de 40, a associação criou o primeiro lactário (estabelecimento que fornece leite) de Petrolina. Também interiorizou o atendimento médico na região, com a criação de maternidades rurais, de forma a prestar assistência às mães que não residem próximo à cidade e, conseqüentemente, distantes de atendimento médico-hospitalar.Em tantos anos de história, a Apami vem aumentando seu raio de ação. Além de prestar atendimento materno-infantil com serviços médico-odontológicos, realiza ações de prevenção e assistência ao portador de câncer de Petrolina, e atendimento a cidades circunvizinhas de Pernambuco, Bahia e Piauí, abrangendo um universo estimado em 2 milhões de habitantes. Atualmente, é o maior centro de diagnóstico e tratamento em oncologia da região.Em 1972, inaugurou a primeira creche da cidade, que funciona até hoje, e mantém cerca de 300 crianças carentes.Diversidade na atuaçãoOs projetos da Apami passaram a englobar outras vertentes, pois a vocação pela filantropia não os permitia somente trabalhar com o atendimento à maternidade. Com a abrangência maior, foi também necessário dividir fisicamente o atendimento. Atualmente, a Apami conta com diversas unidades de tratamento e diagnóstico:Central de Diagnósticos - A Central de Diagnósticos oferece à população serviços de radiologia, ultra-sonografia, eletrocardiografia, eletroencefalografia, endoscopia digestiva alta e baixa, colonoscopia, broncoscopia e ortopedia. O objetivo é oferecer um serviço de qualidade, com o máximo conforto e segurança à população.Unidades rurais - Localizadas em regiões de pouquíssima ou nenhuma infra-estrutura, as unidades rurais constituem um marco no processo de interiorização do atendimento médico, tendo contribuído significativamente para a redução da mortalidade puerperal e neonatal na região. Hoje, as unidades rurais fornecem atendimento médico e odontológico aos moradores dessas localidades, e encontram-se funcionando em regime de co-gestão com as prefeituras municipais de Petrolina e Dormentes, além de manter o atendimento de Rajada e Cristália.Centro de Saúde Dr. Izaías - O Centro de Saúde dispõe de seis consultórios médicos e três odontológicos, além de uma sala para pequenas cirurgias. Realiza curativos, nebulização, esterilização, serviço de colposcopia e de prevenção do câncer. No Centro de Saúde funciona também um Laboratório de Análises Clínicas e Citopatologia, onde são realizados exames de hematologia, bioquímica, imunologia, microbiologia e parasitologia, colpocitologia oncótica e biópsias.Centro de Oncologia Dr. Muccini - Com enfoque na prevenção e tratamento do câncer, o centro tem capacidade para oferecer sessões de quimioterapia, tratamentos de hormonioterapia e imunoterapia, além de oferecer assistência social, psicológica, nutricional e médica a pacientes portadores de neoplasias malignas de Petrolina e região. Em parceria com algumas instituições, promove campanhas para esclarecer sobre os tipos de câncer mais comuns na região, como de colo uterino, mama, boca, laringe, pênis, pele e próstata.Casa da Criança - Presta assistência social gratuita e integral com atendimento a crianças de seis meses a seis anos, provenientes de famílias em situação de precariedade socioeconômica. Nesse espaço, as crianças recebem assistência psicológica, nutricional, pedagógica, médica e odontológica, bem como orientações sobre boas maneiras, higiene, música, recreação e lazer.Captação de recursos com suorComo todas as entidades que dependem do SUS para o pagamento de suas despesas, a Apami precisa driblar as dificuldades a fim de conseguir equalizar as despesas e receitas.Durante as crises, a associação criou formas criativas para enfrentar situações difíceis. Por exemplo, a criação do POP, um programa de retribuição direta dos usuários não-cadastrados ao SUS, que garante que a população mais pobre pague um preço mínimo e tenha acesso a consultas e exames mais caros, como raios-X e ultra-sonografias. Assim, o programa consegue atender os que têm remuneração muito baixa e, ao mesmo tempo, sustenta a manutenção dos serviços.Há, ainda, o Movimento de Combate ao Câncer (MCC), uma iniciativa de mulheres da região. O movimento destina a renda proveniente de trabalhos artesanais, confeccionados por elas, ao Centro de Oncologia, especialmente com doação de medicamentos.Outra forma de captação é o telemarketing, que, pelo telefone, viabiliza pedidos de auxílio à população local, com doações em dinheiro esporádicas e periódicas. Atualmente, a entidade está implantando um Departamento de Comunicação que objetivará principalmente a ampliação da visibilidade da entidade na região e no restante do Brasil, e, conseqüentemente, aumentar a captação de recursos.A implantação do departamento resolverá também um grave problema anteriormente detectado: a falta de prestação de contas aos colaboradores diretos e indiretos da associação motivo que leva diversas instituições a caírem em descrédito e afugentar potenciais doadores.

PARCEIROS VER TODOS