Continuidade Contábil II

Por: Dialogo Social
01 Julho 2009 - 00h00
Não fosse a existência do Princípio Contábil da Continuidade, simplesmente não seria possível ter uma boa parte das despesas antecipadas, ou, ainda, o imobilizado registrado pelo valor de aquisição. Na hipótese da descontinuidade, a única forma possível de avaliar os elementos ativos de um patrimônio é com base nos possíveis valores a serem obtidos em caso de sua efetiva alienação ou liquidação. Verifica-se, portanto, como o Princípio da Continuidade é importante, já que permite o efetivo confronto entre as receitas e as despesas para apuração do lucro mais próximo da realidade em cada período contábil (Princípio da Competência).
www.iob.com.br

PARCEIROS VER TODOS