Conferência Nacional dos Bispos do Brasil

Por: Thaís Iannarelli
01 Janeiro 2005 - 00h00

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), importante representante da Igreja Católica no país, foi fundada no ano de 1952, época de renovações na vida religiosa.

O nascimento da CNBB tornou clara a importância da colegialidade entre os bispos, pois, dessa forma, havia possibilidade de cooperação de congregações e institutos. Atualmente, o estudo dos assuntos que interessam à Igreja é um dos principais focos da conferência, que pretende, com isso, promover a ação pastoral no Brasil.

A conferência também tem a incumbência de se relacionar com os poderes públicos, assim como aprofundar cada vez mais a comunhão dos bispos, entre outras funções.

Campanhas

Uma das maiores realizações da CNBB é a Campanha da Fraternidade, idealizada em 1961 e realizada pela primeira vez em 1962, na época da quaresma. A primeira edição da Campanha da Fraternidade teve adesão de apenas três dioceses. Já no ano seguinte, 16 dioceses do nordeste participaram da campanha, dando início a um projeto anual dos Organismos Nacionais da CNBB e de igrejas particulares.

O projeto foi lançado nacionalmente em 1963 e aprovado pelos bispos em 1964, mas somente no ano seguinte a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil assumiu a Campanha da Fraternidade. Até hoje, a campanha é considerada uma atividade de evangelização que leva as pessoas a viverem, com fraternidade, compromissos importantes para a transformação da sociedade.

Outro evento idealizado pela CNBB é o Mutirão Nacional de Superação da Miséria e da Fome, lançado em 2002. Criado com a intenção de combater o problema da fome, essa ação pretende diminuir o desperdício de alimentos e mudar o quadro de contradição que existe no país: a fartura para quem tem dinheiro convivendo com a desnutrição de milhões de brasileiros.

Outras realizações

Além das campanhas mencionadas, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil também tem outras iniciativas que buscam a evangelização e ajuda à sociedade. Um exemplo é a Semana Social Brasileira, que acontece desde 1991 e possui três objetivos:

  1. analisar a situação socioeconômica e político-cultural do país no cenário internacional;
  2. verifi car quais desafi os essa realidade traz para a Igreja e outros movimentos da sociedade civil organizada;
  3. construir modelos que fujam do neoliberal adotado pelas classes dominantes e mostrar maneiras de transformar a sociedade.

As semanas sociais são promovidas pelo antigo Setor Pastoral Social da CNBB – hoje Comissão para o Serviço da Caridade, Justiça e Paz –, que conta com diversos parceiros, como entidades sindicais, movimentos sociais e ONGs.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil também está envolvida em outros projetos, como a Campanha para a Evangelização, o Congresso Eucarístico, o projeto SOS Haiti /República Dominicana e a Campanha do Desarmamento.

PARCEIROS VER TODOS