Cisão parcial de entidades sem fins lucrativos - aspectos contábeis e tributários

Por: Ivan Pinto
01 Novembro 2010 - 00h00

A cisão de uma entidade sem fins lucrativos não implica a extinção da entidade cindida, uma vez que a própria lei prevê a possibilidade de cisão parcial. A cisão parcial está prevista na lei nº 6.404/76, artigo 229, e sempre corresponderá à diminuição do patrimônio líquido da cindida.

O parágrafo 1º do artigo 229, da lei nº 6.404/76, dispõe sobre a forma de sucessão das obrigações da entidade cindida. No caso de cisão total, em que ocorre a extinção do ente, as entidades que absorverem parcelas do patrimônio líquido do ente cindido sucederão a este na proporção do patrimônio líquido transferido, ou seja, sucederá a entidade cindida nos direitos e obrigações referentes àquela determinada porção de patrimônio que foi transferida. Na hipótese de cisão parcial, a situação é similar, devendo-se ressaltar, entretanto, que a entidade cindida permanece existindo. Desse modo, a sucessão de direitos e obrigações só se dará quanto à parcela de patrimônio que foi transferida à outra entidade.

É conveniente ressaltar ainda que, “havendo cisão onde a parcela do patrimônio será transferida para uma entidade nova, a operação será deliberada pela assembleia geral; se a entidade que for absorver a parcela do patrimônio da entidade cindida já existir, serão obedecidas as regras da incorporação” (lei nº 6.404/76, artigo 227).

Nota-se que o motivo alegado pela maioria das entidades sem fins lucrativos que possuem o Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social (Cebas) para o processo de cisão é a proteção do patrimônio dos associados, em função do rigor da fiscalização (SRFB, MPF e outros órgãos).

Neste artigo, serão abordados os aspectos contábeis e tributários de um processo de cisão parcial de uma entidade sem fins lucrativos, em que será transferida parte de seu patrimônio a uma entidade nova.

Aspectos importantes

A Assembleia Geral Extraodinária dos associados, com finalidade específica de tratar desse processo de cisão parcial, deverá, antes de tudo, aprovar essa situação. Posteriormente, elaborará um protocolo e justificativas de intenção de cisão parcial, nos quais deverá constar (no mínimo):

  • os elementos de ativos e passivos que formarão cada parcela do patrimônio no caso de cisão;
  • os critérios de avaliação do patrimônio líquido, a data-base de sua avaliação e o tratamento das variações patrimoniais posteriores;
  • o valor do patrimônio líquido das entidades a serem criadas ou do aumento ou redução das entidades que forem parte na operação;
  • o projeto de estatuto, ou de alterações estatutárias, que deverão ser aprovados para efetivar a operação;
  • os motivos ou fins da operação e o interesse da entidade em sua efetivação;
  • a empresa que será contratada para elaboração do laudo de avaliação patrimonial (obrigatório);
  • todas as demais condições acordadas entre as partes.

Aspectos contábeis

Primeiramente, devemos fazer um estudo de viabilidade econômico-financeira da entidade cindida e do novo ente, com enfoque no princípio contábil da continuidade, para ambas as entidades.

Na cisão, seja ela total ou parcial, a contabilidade dará o devido tratamento para separar o que pertence às entidades dos interesses residuais de seus associados.

A lei nº 9.249/95 define que, em um evento de cisão, no laudo técnico contábil devem constar os bens e direitos da parte cindida, que serão avaliados pelo valor contábil ou de mercado. O dispositivo legal está redigido nos seguintes termos:

Art. 21. A pessoa jurídica que tiver parte ou todo o seu patrimônio absorvido em virtude de incorporação, fusão ou cisão deverá levantar balanço específico para esse fim, no qual os bens e direitos serão avaliados pelo valor contábil ou de mercado.
Inc. 1º - O balanço a que se refere este artigo deverá ser levantado até 30 dias antes do evento.
Inc. 4º - A pessoa jurídica incorporada, fusionada ou cindida deverá apresentar a declaração de rendimentos correspondente ao período transcorrido durante o ano-calendário, em seu próprio nome, até o último dia útil do mês subsequente ao do evento.

Por fim, elaboramos um passo a passo quanto aos aspectos contábeis e respectivos lançamentos que devem ser efetuados pelas entidades em um processo de cisão parcial, para que este seja efetivado nos termos da legislação tributária e societária vigente.

Aspectos tributários

O departamento contábil da entidade cindida deve providenciar a apresentação das seguintes informações econômico-fiscais, relativas ao evento de cisão, que devem ser entregues até o último dia útil do mês subsequente ao do referido evento:

  • Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica (DIPJ);
  • Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte (DIRF);
  • Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF); e
  • Demonstrativo de Apuração de Contribuições Sociais (Dacon).

Conclusão

A cisão de entidades tem sido praticada por distintos motivos e sob as mais variadas formas. Porém, diante da complexa legislação brasileira, cabe aos gestores das entidades considerar todos os aspectos necessários a um processo de cisão, uma vez que, conforme a estratégia utilizada (jurídica, contábil e fiscal) para operacionalizá-la, poderão ocorrer problemas tributários, principalmente para as titulações e certificações que as entidades sem fins lucrativos usufruem, com isso, refletindo diretamente na manutenção da imunidade e/ou isenção tributária.

Dentro desse enfoque, sugere-se um planejamento tributário e financeiro, pois tais atitudes visam eliminar, minimizar ou postergar eventuais riscos no processo de cisão parcial de uma entidade sem fins lucrativos.

EDITAIS FILANTROPIA PLATAFORMA ÊXITOS
10.460
Oportunidades Cadastradas
8.193
Modelos de Documentos
2.283
Concedentes que Repassam Recursos
Prazo
19 Out
2018
Fomento à Pós-Graduação Stricto Sensu da UFFS
Prazo
19 Out
2018
Seleção de Entidades e Organizações da Sociedade...
Prazo
19 Out
2018
Seleção de organização da sociedade civil para...
Prazo
20 Out
2018
Edital - A ponte – Cena do Teatro Universitário
Prazo
22 Out
2018
WORLDLABS - Elevating Ideas Competition
Prazo
23 Out
2018
III Concurso de Crônicas Ivone dos Santos
Prazo
25 Out
2018
Concurso KOHQ 2
Prazo
25 Out
2018
Concurso Literário Benfazeja 2019
Prazo
26 Out
2018
Prêmio Brasil Ambiental
Prazo
28 Out
2018
Comitê de Zonas Úmidas
Prazo
30 Out
2018
Revista Poesia Agora
Prazo
30 Out
2018
23º Edital Cultura Inglesa
Prazo
30 Out
2018
Festival de Cinema Se Liga Aí
Prazo
31 Out
2018
International Photography Award 2018-2019
Prazo
31 Out
2018
Santa Cruz da Conceição: Cidade em Movimento
Prazo
31 Out
2018
Prêmio Livro-Reportagem Amazon
Prazo
31 Out
2018
Mahathir Science Award
Prazo
31 Out
2018
Cinema Sem Fronteiras 2019
Prazo
31 Out
2018
Prêmio Nacional de Jornalismo em Seguros - 2018
Prazo
31 Out
2018
Empowering People Award 2019
Prazo
9 Nov
2018
Concurso de Cartazes para Dia Mundial da Alimentação...
Prazo
20 Nov
2018
Virada Cultural 2019
Prazo
23 Nov
2018
Chamada CNPq/SNSF
Prazo
30 Nov
2018
Programa Selos Postais
Prazo
1 Dez
2018
The Prince Claus Fund 2nd Open Call: First Aid to Documentary...
Prazo
11 Dez
2018
Concurso Literário Prêmio Poesia Agora - Verão
Prazo
15 Dez
2018
The Awesome Foundation - Awesome Disability
Prazo
31 Dez
2018
Credenciamento de Artistas
Prazo
1 Jan
2019
Prêmio Arte Original Tordos Azuis
Prazo
19 Fev
2019
Programa de Apoio à Realização de Eventos Científicos...
Prazo
21 Mar
2019
Seleção de Projetos Esportivos - Lei de Incentivo
Prazo
30 Jun
2019
Chamada Pública Bilateral FINEP-CDTI para projetos...
Prazo
21 Set
2019
Crédito De Pesquisa Para Comitês Técnico-Científicos
Prazo
Contínuo
Leia para uma criança
Prazo
Contínuo
Revista Científica de Direitos Humanos - Submissão...
Prazo
Contínuo
Programa de Desenvolvimento Científico Regional –...
Prazo
Contínuo
Política de Patrocínios da CEMIG
Prazo
Contínuo
Chamada Pública ANCINE-FSA - Coinvestimentos Regionais
Prazo
Contínuo
Filiação ao Departamento de Informação Pública...

PARCEIROS VER TODOS