Captação de recursos efetiva

Por: Instituto Filantropia
24 Junho 2013 - 18h01

Ceami Reabilitação compartilha experiência de captação de recursos por meio do Siconv

A Ceami Reabilitação é uma comunidade terapêutica na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais, que atua há 16 anos. O foco principal da instituição é a prevenção e o combate ao uso de drogas. Jovens de várias partes do Brasil são encaminhados à Ceami para internação, permanecendo durante nove meses e submetendo-se ao projeto terapêutico da casa.
Funcionando estritamente dentro das normas e leis que regem a área, a Ceami está inserida em Lei de Utilidade Pública nos níveis municipal, estadual e federal. Conta com um quadro de funcionários de 18 pessoas, entre cozinheiros, motoristas, auxiliares administrativos, administrador/contador, assistente social, psicólogo, entre outros.
Nestes 16 anos de funcionamento, a Ceami tem devolvido ao seio das famílias e ao mercado de trabalho milhares de jovens, restaurados, provando que o vício em drogas pode ser vencido. Atualmente, temos convívio estreito com chefes de família que há oito, dez e até 12 anos têm suas vidas totalmente libertas, exercendo a sua cidadania com responsabilidade, trabalhando, casando, frequentando igrejas, tornando-se cidadãos produtivos, longe daquele mundo decaído em que viveram.
Nesse contexto, há anos desejávamos promover um curso sobre direitos humanos que esclarecesse as particularidades e minúcias de tão controverso tema, assim como que servisse como estímulo para cada participante engajar-se na luta contra as injustiças sociais e o não cumprimento dos direitos do cidadão, assegurados em lei.
Como diretor da Ceami, o desejo era muito forte de levar tal projeto adiante, mas esbarrávamos na falta de recursos financeiros para viabilizá-lo. Afinal, pensávamos, um curso desta natureza deveria ser muito bem estruturado, contar com a participação de professores universitários, representantes dos diversos segmentos sociais, do povo, de políticos, advogados, promotores e juízes. Deveríamos trazer alguém especializado no tema, oriundo de Brasília e Belo Horizonte (a capital do Estado), acostumados aos trâmites das secretarias e ministérios que lidavam com o tema diariamente. A ideia, portanto, era fazer algo verdadeiramente de valor, que mudasse conceitos e atitudes.
Foi quando tomamos conhecimento do Siconv, o Sistema de Convênios criado pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, que tem como uma de suas finalidades facilitar as apresentações de projetos aos programas ofertados pelo Governo Federal. Descobrimos que entidades privadas sem fins lucrativos (como era o nosso caso) poderiam também ser assistidas por tal Sistema.
Desse modo, o processo, ou seja, organizar tudo, atender às exigências do Siconv e partir para o efetivo planejamento, foi uma batalha ferrenha, mas muito agradável. Afinal, tudo o que queríamos naquele momento era viabilizar o nosso curso de diretos humanos. Recorremos à Ordem dos Advogados do Brasil (Subseção 13 – Uberlândia/MG), sendo muito bem recebidos, com uma parceria sendo efetivada. A Universidade Federal de Uberlândia também abraçou a causa, portanto agendamos reuniões e logo uma força de trabalho de alto nível havia sido levantada em torno do projeto. É bom lembrar que nosso maior respaldo veio da Secretaria Especial de Direitos Humanos, do Ministério da Justiça, em Brasília.
Assim, em 9 de abril de 2010, uma sexta-feira, às 18 horas, no Anfiteatro do Campus Santa Mônica, da Universidade Federal de Uberlândia, aconteceu a abertura do tão sonhado curso, contando com a presença de representantes da sociedade local e autoridades. O curso intitulou-se “Educação em e para os direitos humanos – ‘o cuidador’”. Visava à construção do conhecimento em educação popular e, ao mesmo tempo, ao incentivo ao processo de participação do cidadão em ações coletivas no contexto dos direitos humanos, tendo a cidadania democrática como foco central. Objetivava, ainda, estimular o processo de sensibilização e formação de consciência crítica direcionada às questões dos direitos humanos, orientando os indivíduos ao encaminhamento de reivindicações e formulação de propostas para as políticas afins.
O curso transcorreu dentro do planejado, com boa aceitação e assistência populares, como também presença significativa da comunidade universitária. Foi desenvolvido em cinco módulos, abrangendo as mais diversificadas áreas, que, de alguma forma, tinham ligação com o tema. Um verdadeiro batalhão de pessoas, entre professores, auxiliares, advogados, pessoal de logística etc., foi mobilizado para que tudo acontecesse da melhor maneira possível, o que de fato ocorreu. Finalizamos o curso em maio de 2010, com um resultado bastante positivo. Ouvimos palavras animadoras de pessoas e instituições participantes. A sociedade foi tocada por tal projeto e percebemos que os nossos objetivos foram alcançados. Tudo isso foi viabilizado pela ajuda do Sincov, se não houvesse seu apoio jamais teríamos saído do planejamento para a prática. O custo para arregimentar pessoas de alto nível, profissionais ligados à área e toda logística e materiais necessários, foi bastante alto.
O impacto que esta realização causou na instituição Ceami Reabilitação foi fantástico. O curso forneceu mais visibilidade à entidade e a colocou, definitivamente, entre as instituições reconhecidamente engajadas na luta para o bem social e para a promoção da dignidade humana. Agora temos liberdade para transitar entre as autoridades políticas, educacionais e judiciárias de nosso município, como um parceiro à altura e disposto a participar e cooperar.

BAIXE GRATUITAMENTE
E-book Como começar uma⠀ONG

BAIXE GRATUITAMENTE

BAIXE GRATUITAMENTE
E-book 18 PASSOS essenciais para ajudar sua ONG

BAIXE GRATUITAMENTE

PARCEIROS VER TODOS