Brasil reduziu a pobreza, mas enfrenta crescimento da violência

Por: Thaís Iannarelli
06 Dezembro 2013 - 13h08

A redução de desigualdades no Brasil e na América Latina não levou a redução da violência. “O diagnóstico correto seria: menor desigualdade tende à menos violência”, diz o sociólogo e cientista político Emir Sader. “O maior paradoxo é estarmos em um país que diminuiu a pobreza, mas tem intensificado a violência”, acrescentou. Esse ponto de vista será posto para debate na sexta-feira, dia 13 de dezembro, no Fórum Mundial de Direitos Humanos. O evento acontecerá em Brasília de 10 a 13 de dezembro. Sader fará parte da mesa Por uma Cultura de Direitos Humanos, junto com a professora argentina Alicia Cabezudo e a presidenta da Comissão Nacional para os Direitos Humanos e Cidadania de Cabo Verde, Zelinda Cohen. O debate será sobre o papel da educação em direitos humanos para o desenvolvimento e emancipação do cidadão. Um levantamento feito pelo país em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), mostra que três em cada dez brasileiros que vivem em cidades com mais de 15 mil habitantes dizem ter sofrido ao longo da vida algum tipo de crime ou ofensa.


www.agenciabrasil.gov.br

PARCEIROS VER TODOS