Anuário traz informações sobre a situação da educação básica no país

Por: Thaís Iannarelli
28 Junho 2016 - 15h33

Será que o país avançou nos últimos anos na melhoria da qualidade da educação? Os estudantes estão aprendendo o que tem que aprender na idade correta? Quais os desafios que os gestores e educadores enfrentam diante dos quase 50 milhões de estudantes da educação básica que hoje estão em sala de aula por todos os cantos do país? São algumas destas respostas que a quinta edição do Anuário Brasileiro da Educação Básica – lançada pelo movimento Todos Pela Educação e pela Editora Moderna – pretende trazer aos leitores.

A publicação está organizada de acordo com as 20 metas do Plano Nacional de Educação (PNE), sancionado em 2014, que devem ser alcançadas no prazo de dez anos. O que se observa, de acordo com a publicação, é o que o PNE já tem muitos êxitos, mas também dificuldades no cumprimento de metas. Porém, o principal desafio agora é se firmar como política de Estado e como agenda estratégica da Educação, independentemente das transições de governos nos âmbitos federal, estadual ou municipal.

O Anuário traz séries históricas, desde 2001, que revelam, segundo os organizadores, que os avanços na área são perceptíveis apenas quando se observa uma fotografia mais ampla. Esta edição conta ainda com artigos de especialistas da área, que falam sobre diversas temáticas do campo, como a importância do Sistema Nacional de Educação; as necessárias mudanças no Ensino Médio; a Avaliação Nacional da Alfabetização como parte de uma ação articulada; as indicações da Base Nacional Comum Curricular; entre outros.

O Anuário traz também um alerta: em 2016, entra no vermelho a contagem regressiva de prazos importantes, como o da universalização da pré-escola para crianças de quatro e cinco anos, do ensino médio para a população de 15 a 17 anos e o do aumento da taxa de escolarização para quem tem 15 anos ou mais.

Clique aqui para baixar a publicação.

Fonte: Gife

PARCEIROS VER TODOS