Amigos da Escola - Todos pela Educação

Por: Francine Mendonça
01 Novembro 2002 - 00h00
A comemoração dos 500 anos de Descobrimento do Brasil não motivou apenas a criação de novos programas na Rede Globo. Nessa ocasião, a empresa elegeu a educação como foco de seus investimentos sociais e promoveu uma série de seminários para debater o tema como alternativa de desenvolver o País. Participaram grandes educadores e também o Instituto Ayrton Senna. Dessas discussões, surgiu, em agosto de 1999, o Amigos da Escola.Com o objetivo de orientar os estabelecimentos de ensino público, tanto municipais quanto estaduais, a partir do recebimento de um material didático, o Amigos da Escola nasceu ainda com a proposta de ensinar voluntários sobre como poderiam influenciar positivamente o desempenho dos alunos e sobre como mobilizar a sociedade para trabalhar nas escolas pela melhoria da educação.O projeto foi desenvolvido em parceria com o Comunidade Solidária para fortalecer as ações que as escolas já vinham desenvolvendo ou para ajudá-las a iniciar novas ações com a participação comunitária. Pouco antes de seu lançamento, o Amigos da Escola recebeu o endosso das secretarias municipais e estaduais de Educação no sentido de incentivar as escolas a se inscreverem no então recém-criado programa.Inicialmente, 60 mil escolas, que constavam do cadastro de colégios com associações de Pais e Mestres do MEC, foram convidadas por carta a integrarem o programa e a preencherem uma ficha cadastral. Em 2000, 20 mil escolas já haviam se cadastrado. “Atualmente, são 27 mil escolas participantes, mas o cadastramento continua e recebemos umas 50 inscrições por semana,” conta Lacy Barca, gerente de Projetos Sociais da Rede Globo.Ao todo, hoje são beneficiados pelo programa 17 milhões de alunos. A empresa não tem uma estimativa de quantos voluntários participam porque a gestão deles é tarefa das próprias escolas e o registro dessa participação é sazonal e flutuante. “Voluntários vêm e vão o tempo todo, é a natureza do trabalho voluntário”, explica a gerente da Rede Globo.
Na teoria e na prática
Depois de efetuarem seu cadastramento no programa, as escolas recebem, em nome do diretor, publicações didáticas explicando passo-a-passo sobre o que devem fazer para oferecerem uma boa escola com o apoio da comunidade.O volume “Voluntários e Parceiros”, por exemplo, explica o projeto, quais são as características do trabalho voluntário e como a participação da comunidade pode contribuir para a melhoria da escola, ensinando ainda como estabelecer parcerias, quem pode participar e como fazer a comunidade participar. Já o “Gestão Escolar” indica ações para ajudar a atender integralmente o aluno, evitar a evasão escolar e sobre como incentivar a criação de grêmios e grupos de cooperação com a escola.O “Reforço Escolar” trata sobre acompanhamento de alunos por pais, professores, profissionais liberais ou alunos mais velhos, enquanto o “Estímulo à Leitura” dá exemplos de atividades de formação de leitores e criação de bibliotecas não só para os alunos, mas para a comunidade de uma forma geral. O “Artes e Esportes” indica como desenvolver a criatividade, a auto-estima, habilidades individuais, valores, fortalecer posturas cidadãs e a identidade cultural, valorizando a cultura.Por sua vez, o volume “Com Vocês, as Artes” discorre sobre a arte da palavra e explica o porquê o Português é um patrimônio nacional. O “Saúde e Qualidade de Vida” orienta sobre como prevenir problemas de saúde, ensinando também as escolas a criarem e desenvolverem atividades relacionadas ao meio ambiente. Por último, o “Instalações e Equipamentos” explica como tornar o ambiente escolar propício ao aprendizado.
INCENTIVO AO APRENDIZADO
A TV Globo, a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) e várias instituições parceiras do Amigos da Escola realizaram o Dia Temático de Saúde e Qualidade de Vida, em outubro. Durante esse dia, alunos de escolas cadastradas no Amigos da Escola do Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Manaus (AM), Belém (PA), Recife (PE) e Porto Alegre (RS) visitaram museus e exposições, assistiram a palestras e fizeram atividades de estímulo à discussão de temas sobre saúde e qualidade de vida.No Rio, estudantes de dez escolas foram visitar a Fiocruz, viram a simulação da fabricação das vacinas e conheceram a oficina de dengue. Em São Paulo, os alunos visitaram o Instituto Butantã, enquanto, em Porto Alegre foram ao Museu de Ciência e Tecnologia da PUC. Já em Manaus, a visita foi ao Centro de Pesquisas Leônidas e Maria Deane e, em Recife, ao Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães, ambos da Fiocruz. Por sua vez, os alunos de Belém conheceram o Museu Paraense Emílio Goeldi.
Centro de referência
Após essa “catequização”, as boas notícias foram chegando e as 113 emissoras da Rede Globo divulgam as melhores e convocam os voluntários por matérias. As listas das escolas participantes estão na Internet e em todos os correios do País. Paralelamente, as emissoras em todo o Brasil articularam em suas comunidades a criação de 89 núcleos locais. Eles acompanham 750 escolas, instituições, parceiros e voluntários e desenvolvem ações permanentes envolvendo voluntários e parceiros e garantindo a sustentabilidade do projeto em todo o País.“Tudo é direcionado para que a escola volte a ser um centro de referência para a comunidade, para que preste um serviço muito maior do que a educação propriamente dita, com exemplos transmitidos de pais para filhos e com a efetiva participação dos alunos e moradores da região”, explica Lacy. Um grande reconhecimento foi a adoção do projeto como programa corporativo de voluntariado de companhias como a Açominas, a administradora de condomínios Apsa e a Petrobras.Mas as atividades do Amigos da Escola não terminam por aí. O programa também orienta as escolas a proporcionarem espaços e recursos para seus voluntários, dá dicas práticas sobre como elas podem avaliar suas ações, sobre como registrarem suas experiências e sobre como devem dividir as tarefas, além de divulgar a Lei do Voluntariado. “É uma rede permanente”, diz a gerente de Projetos Sociais da Rede Globo.
Participação
Lacy conta que alguns pais se uniram à escola para obterem a doação de tintas e que conseguiram tantas latas, que cada sala ganhou uma cor diferente. Em Brasília, o movimento escoteiro promoveu um acampamento educativo de quatro dias para 200 crianças das escolas do Distrito Federal. Em Minas Gerais, foi organizado um coral. No Paraná, a paixão pelo futebol uniu alunos e moradores na criação de uma escolinha do esporte, com direito a medalhas e uniformes. Em Sergipe, peças de teatro produzidas por familiares dos alunos foram apresentadas para estimular a comunidade a ser voluntária.No Rio de Janeiro, trabalhou-se a segurança no trânsito para alunos e comunidade. Em Salvador, dentistas, enfermeiros, assistentes sociais e médicos atendem e orientam voluntariamente pais e alunos, que têm ainda aulas de cabeleireiro, futebol, capoeira, caratê, dança, pintura, reforço escolar e Inglês. São bons exemplos as escolas Doutor Luiz Pinto de Almeida, Francisco Estroparo, General Freitas Brandão, Escola Santa Maria Goretti e Célia Mata Pires. Santa Catarina e a Bahia adotaram o projeto como programa de governo da rede estadual de Educação e todas as escolas dos estados participam com orientação da Secretaria de Educação.
Um resultado e tanto
O Amigos da Escola foi convidado pela United Nations Volunteers da ONU para transferir a metodologia e adaptá-la na Namíbia, na África, um dos países mais pobres do mundo, com alto índice de contaminação de Aids e sistema educacional ineficiente. A idéia é elevar o índice de desenvolvimento humano (IDH), com foco na educação e no voluntariado. A Rede Globo vai capacitar voluntários, articular com o Ministério da Educação do país, traduzir o material didático e trabalhar a divulgação na mídia mais popular de lá, que é o rádio.
Dias temáticos
Volta e meia, um dia é escolhido aleatoriamente para trabalhar e discutir temas como esportes, saúde ou informática. No Rio, a doação de 100 computadores foi o ponto de partida para montar dez núcleos de Informática em dez escolas de dez estados, abertos aos alunos e à comunidade. Outro dia temático foi o do esporte, no qual foram desenvolvidos torneios esportivos em 16 cidades, com presença de atletas famosos e com a divulgação de flashs ao vivo na programação das emissoras da Rede. Já o incentivo à leitura foi promovido como dia temático em dez cidades, com presença de globais como Ana Maria Braga, que fez oficina de leitura, e do grupo humorístico Casseta & Planeta, que reformou e organizou uma biblioteca multiuso com livros, TV, vídeo e sempre vai até lá ler para a garotada, que já conhece os humoristas.
Projeto de sucesso?
Lacy acredita que o projeto ainda está começando e não pode ser considerado um sucesso porque ainda é cedo para avaliar. A expectativa é a de que essa boa experiência tenha continuidade e traga resultados para cada escola, sem cair no esquecimento. “O voluntariado ainda está engatinhando no Brasil, é muito praticado no mundo todo, mas aqui sempre foi ligado às instituições religiosas e só tem sucesso há anos na Pastoral da Criança. Fora do contexto religioso, tudo ainda é novo, tem três anos e pouco de divulgação e maior interesse e olhe lá”.Para despertar o interesse das pessoas para o voluntariado, o Amigos da Escola, em conjunto com o Comunitas, patrocinou o Portal do Voluntariado em 2001, instituído pela ONU como o Ano Internacional do Voluntário. Apesar de todas as ações desenvolvidas pelo programa, Lacy afirma ainda não estar satisfeita. Para ela, o desafio continua: fazer com que a escola volte a ser um centro cultural de referência para a comunidade.“Estudei toda minha vida em escolas públicas, mas hoje em dia não colocamos nossos filhos nelas porque o ambiente é horrível e a formação não é mais a mesma. Me sinto obrigada a melhorar a escola pública para quem não pode pagar uma escola melhor para os filhos”, afirma, categórica.
PARCERIA FORTALECE O PROJETO
No mês das crianças, o projeto Amigos da Escola recebeu 4.500 pares de tênis. Eles foram doados pela Dal Ponte, uma das maiores empresas de material esportivo da América Latina e patrocinadora da Seleção Brasileira de Futsal. Os tênis foram encaminhados para as escolas do núcleo de São Paulo do Amigos da Escola. A cerimônia de entrega foi realizada na Escola Estadual Rodrigues Alves, que fica na avenida Paulista, na Capital paulista.Durante o evento, crianças e adolescentes de várias escolas credenciadas no projeto participaram de atividades esportivas. A doação é resultado da parceria, firmada em junho deste ano, entre o projeto Amigos da Escola e a empresa Dal Ponte, com apoio da Osklen. A cada dois pares vendidos do modelo desenvolvido para a campanha, a Dal Ponte doou um para os alunos das escolas participantes do projeto.
EDITAIS FILANTROPIA PLATAFORMA ÊXITOS
15.490
Oportunidades Cadastradas
9.585
Modelos de Documentos
3.095
Concedentes que Repassam Recursos
Prazo
8 Abr
2020
Research Enrichment – Public Engagement
Prazo
7 Fev
2020
ELETROBRAS - Chamada Pública Procel Edifica? - NZEB...
Prazo
20 Mar
2020
IX Prêmio Fotografia-Ciência & Arte - CNPq
Prazo
5 Mar
2020
ONU/PNUD - Ocean Innovation Challenge
Prazo
31 Mar
2020
Edital X - Fundo Dema - Fortalecer a Agroecologia a...
Prazo
23 Jan
2020
Chamada Pública IPEA/PNPD - Projeto: “Políticas...
Prazo
20 Jan
2020
Chamamento Público para Projetos de Sustentabilidade...
Prazo
16 Fev
2020
Edital de Apoio a Organizações da Sociedade Civil...
Prazo
28 Fev
2020
Prêmio CAPES - Natura Campus de Excelência em Pesquisa...
Prazo
31 Dez
2020
Patrocínios e Doações - Instituto Usiminas

PARCEIROS VER TODOS