Amigos da Escola - Todos pela Educação

Por: Francine Mendonça
01 Novembro 2002 - 00h00
A comemoração dos 500 anos de Descobrimento do Brasil não motivou apenas a criação de novos programas na Rede Globo. Nessa ocasião, a empresa elegeu a educação como foco de seus investimentos sociais e promoveu uma série de seminários para debater o tema como alternativa de desenvolver o País. Participaram grandes educadores e também o Instituto Ayrton Senna. Dessas discussões, surgiu, em agosto de 1999, o Amigos da Escola.Com o objetivo de orientar os estabelecimentos de ensino público, tanto municipais quanto estaduais, a partir do recebimento de um material didático, o Amigos da Escola nasceu ainda com a proposta de ensinar voluntários sobre como poderiam influenciar positivamente o desempenho dos alunos e sobre como mobilizar a sociedade para trabalhar nas escolas pela melhoria da educação.O projeto foi desenvolvido em parceria com o Comunidade Solidária para fortalecer as ações que as escolas já vinham desenvolvendo ou para ajudá-las a iniciar novas ações com a participação comunitária. Pouco antes de seu lançamento, o Amigos da Escola recebeu o endosso das secretarias municipais e estaduais de Educação no sentido de incentivar as escolas a se inscreverem no então recém-criado programa.Inicialmente, 60 mil escolas, que constavam do cadastro de colégios com associações de Pais e Mestres do MEC, foram convidadas por carta a integrarem o programa e a preencherem uma ficha cadastral. Em 2000, 20 mil escolas já haviam se cadastrado. “Atualmente, são 27 mil escolas participantes, mas o cadastramento continua e recebemos umas 50 inscrições por semana,” conta Lacy Barca, gerente de Projetos Sociais da Rede Globo.Ao todo, hoje são beneficiados pelo programa 17 milhões de alunos. A empresa não tem uma estimativa de quantos voluntários participam porque a gestão deles é tarefa das próprias escolas e o registro dessa participação é sazonal e flutuante. “Voluntários vêm e vão o tempo todo, é a natureza do trabalho voluntário”, explica a gerente da Rede Globo.
Na teoria e na prática
Depois de efetuarem seu cadastramento no programa, as escolas recebem, em nome do diretor, publicações didáticas explicando passo-a-passo sobre o que devem fazer para oferecerem uma boa escola com o apoio da comunidade.O volume “Voluntários e Parceiros”, por exemplo, explica o projeto, quais são as características do trabalho voluntário e como a participação da comunidade pode contribuir para a melhoria da escola, ensinando ainda como estabelecer parcerias, quem pode participar e como fazer a comunidade participar. Já o “Gestão Escolar” indica ações para ajudar a atender integralmente o aluno, evitar a evasão escolar e sobre como incentivar a criação de grêmios e grupos de cooperação com a escola.O “Reforço Escolar” trata sobre acompanhamento de alunos por pais, professores, profissionais liberais ou alunos mais velhos, enquanto o “Estímulo à Leitura” dá exemplos de atividades de formação de leitores e criação de bibliotecas não só para os alunos, mas para a comunidade de uma forma geral. O “Artes e Esportes” indica como desenvolver a criatividade, a auto-estima, habilidades individuais, valores, fortalecer posturas cidadãs e a identidade cultural, valorizando a cultura.Por sua vez, o volume “Com Vocês, as Artes” discorre sobre a arte da palavra e explica o porquê o Português é um patrimônio nacional. O “Saúde e Qualidade de Vida” orienta sobre como prevenir problemas de saúde, ensinando também as escolas a criarem e desenvolverem atividades relacionadas ao meio ambiente. Por último, o “Instalações e Equipamentos” explica como tornar o ambiente escolar propício ao aprendizado.
INCENTIVO AO APRENDIZADO
A TV Globo, a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) e várias instituições parceiras do Amigos da Escola realizaram o Dia Temático de Saúde e Qualidade de Vida, em outubro. Durante esse dia, alunos de escolas cadastradas no Amigos da Escola do Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Manaus (AM), Belém (PA), Recife (PE) e Porto Alegre (RS) visitaram museus e exposições, assistiram a palestras e fizeram atividades de estímulo à discussão de temas sobre saúde e qualidade de vida.No Rio, estudantes de dez escolas foram visitar a Fiocruz, viram a simulação da fabricação das vacinas e conheceram a oficina de dengue. Em São Paulo, os alunos visitaram o Instituto Butantã, enquanto, em Porto Alegre foram ao Museu de Ciência e Tecnologia da PUC. Já em Manaus, a visita foi ao Centro de Pesquisas Leônidas e Maria Deane e, em Recife, ao Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães, ambos da Fiocruz. Por sua vez, os alunos de Belém conheceram o Museu Paraense Emílio Goeldi.
Centro de referência
Após essa “catequização”, as boas notícias foram chegando e as 113 emissoras da Rede Globo divulgam as melhores e convocam os voluntários por matérias. As listas das escolas participantes estão na Internet e em todos os correios do País. Paralelamente, as emissoras em todo o Brasil articularam em suas comunidades a criação de 89 núcleos locais. Eles acompanham 750 escolas, instituições, parceiros e voluntários e desenvolvem ações permanentes envolvendo voluntários e parceiros e garantindo a sustentabilidade do projeto em todo o País.“Tudo é direcionado para que a escola volte a ser um centro de referência para a comunidade, para que preste um serviço muito maior do que a educação propriamente dita, com exemplos transmitidos de pais para filhos e com a efetiva participação dos alunos e moradores da região”, explica Lacy. Um grande reconhecimento foi a adoção do projeto como programa corporativo de voluntariado de companhias como a Açominas, a administradora de condomínios Apsa e a Petrobras.Mas as atividades do Amigos da Escola não terminam por aí. O programa também orienta as escolas a proporcionarem espaços e recursos para seus voluntários, dá dicas práticas sobre como elas podem avaliar suas ações, sobre como registrarem suas experiências e sobre como devem dividir as tarefas, além de divulgar a Lei do Voluntariado. “É uma rede permanente”, diz a gerente de Projetos Sociais da Rede Globo.
Participação
Lacy conta que alguns pais se uniram à escola para obterem a doação de tintas e que conseguiram tantas latas, que cada sala ganhou uma cor diferente. Em Brasília, o movimento escoteiro promoveu um acampamento educativo de quatro dias para 200 crianças das escolas do Distrito Federal. Em Minas Gerais, foi organizado um coral. No Paraná, a paixão pelo futebol uniu alunos e moradores na criação de uma escolinha do esporte, com direito a medalhas e uniformes. Em Sergipe, peças de teatro produzidas por familiares dos alunos foram apresentadas para estimular a comunidade a ser voluntária.No Rio de Janeiro, trabalhou-se a segurança no trânsito para alunos e comunidade. Em Salvador, dentistas, enfermeiros, assistentes sociais e médicos atendem e orientam voluntariamente pais e alunos, que têm ainda aulas de cabeleireiro, futebol, capoeira, caratê, dança, pintura, reforço escolar e Inglês. São bons exemplos as escolas Doutor Luiz Pinto de Almeida, Francisco Estroparo, General Freitas Brandão, Escola Santa Maria Goretti e Célia Mata Pires. Santa Catarina e a Bahia adotaram o projeto como programa de governo da rede estadual de Educação e todas as escolas dos estados participam com orientação da Secretaria de Educação.
Um resultado e tanto
O Amigos da Escola foi convidado pela United Nations Volunteers da ONU para transferir a metodologia e adaptá-la na Namíbia, na África, um dos países mais pobres do mundo, com alto índice de contaminação de Aids e sistema educacional ineficiente. A idéia é elevar o índice de desenvolvimento humano (IDH), com foco na educação e no voluntariado. A Rede Globo vai capacitar voluntários, articular com o Ministério da Educação do país, traduzir o material didático e trabalhar a divulgação na mídia mais popular de lá, que é o rádio.
Dias temáticos
Volta e meia, um dia é escolhido aleatoriamente para trabalhar e discutir temas como esportes, saúde ou informática. No Rio, a doação de 100 computadores foi o ponto de partida para montar dez núcleos de Informática em dez escolas de dez estados, abertos aos alunos e à comunidade. Outro dia temático foi o do esporte, no qual foram desenvolvidos torneios esportivos em 16 cidades, com presença de atletas famosos e com a divulgação de flashs ao vivo na programação das emissoras da Rede. Já o incentivo à leitura foi promovido como dia temático em dez cidades, com presença de globais como Ana Maria Braga, que fez oficina de leitura, e do grupo humorístico Casseta & Planeta, que reformou e organizou uma biblioteca multiuso com livros, TV, vídeo e sempre vai até lá ler para a garotada, que já conhece os humoristas.
Projeto de sucesso?
Lacy acredita que o projeto ainda está começando e não pode ser considerado um sucesso porque ainda é cedo para avaliar. A expectativa é a de que essa boa experiência tenha continuidade e traga resultados para cada escola, sem cair no esquecimento. “O voluntariado ainda está engatinhando no Brasil, é muito praticado no mundo todo, mas aqui sempre foi ligado às instituições religiosas e só tem sucesso há anos na Pastoral da Criança. Fora do contexto religioso, tudo ainda é novo, tem três anos e pouco de divulgação e maior interesse e olhe lá”.Para despertar o interesse das pessoas para o voluntariado, o Amigos da Escola, em conjunto com o Comunitas, patrocinou o Portal do Voluntariado em 2001, instituído pela ONU como o Ano Internacional do Voluntário. Apesar de todas as ações desenvolvidas pelo programa, Lacy afirma ainda não estar satisfeita. Para ela, o desafio continua: fazer com que a escola volte a ser um centro cultural de referência para a comunidade.“Estudei toda minha vida em escolas públicas, mas hoje em dia não colocamos nossos filhos nelas porque o ambiente é horrível e a formação não é mais a mesma. Me sinto obrigada a melhorar a escola pública para quem não pode pagar uma escola melhor para os filhos”, afirma, categórica.
PARCERIA FORTALECE O PROJETO
No mês das crianças, o projeto Amigos da Escola recebeu 4.500 pares de tênis. Eles foram doados pela Dal Ponte, uma das maiores empresas de material esportivo da América Latina e patrocinadora da Seleção Brasileira de Futsal. Os tênis foram encaminhados para as escolas do núcleo de São Paulo do Amigos da Escola. A cerimônia de entrega foi realizada na Escola Estadual Rodrigues Alves, que fica na avenida Paulista, na Capital paulista.Durante o evento, crianças e adolescentes de várias escolas credenciadas no projeto participaram de atividades esportivas. A doação é resultado da parceria, firmada em junho deste ano, entre o projeto Amigos da Escola e a empresa Dal Ponte, com apoio da Osklen. A cada dois pares vendidos do modelo desenvolvido para a campanha, a Dal Ponte doou um para os alunos das escolas participantes do projeto.
EDITAIS FILANTROPIA PLATAFORMA ÊXITOS
16.515
Oportunidades Cadastradas
9.597
Modelos de Documentos
3.222
Concedentes que Repassam Recursos
Prazo
30 Abr
2020
Prêmio Melhores ONGs
Prazo
30 Abr
2020
Dubai International Best Practices Award
Prazo
1 Mai
2020
World Food Prize 2020
Prazo
8 Mai
2020
15ª edição do prêmio Para Mulheres na Ciência
Prazo
21 Mai
2020
Zayed Sustainability Prize 2021
Prazo
26 Mai
2020
UNESCO - Prize for Girls’ and Women’s Education...
Prazo
1 Jun
2020
Sophie Danforth Conservation Biology Fund
Prazo
18 Jun
2020
Global Health Security & Pandemics Challenge
Prazo
30 Jun
2020
Prêmio Internacional de Seguros Julio Castelo Matrán
Prazo
31 Dez
2020
Patrocínios e Doações - Instituto Usiminas

PARCEIROS VER TODOS