A longa jornada para se conquistar a tão sonhada certificação

Por: Luciano Guimarães
01 Outubro 2005 - 00h00

A emissão do Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social (antigo Certificado de Entidade de Fins Filantrópicos) começou em 1959, mais  recisamente a partir da instituição da lei 3.577, de 4 de julho. À época, o documento era expedido pelo extinto Conselho Nacional de Serviço Social (CNSS). A intenção do governo era sentar as entidades da contribuição previdenciária aos Institutos e Caixas de Aposentadoria e Pensões.

O certificado, hoje de responsabilidade do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS), é a prova de que a entidade é mesmo beneficente de assistência social, sem fins lucrativos e que atua em favor de um público alvo, reconhecido pela legislação. Em outras palavras, a certificação é a porta de acesso para requerer benefícios do governo federal, como isenção de impostos e de contribuições sociais, como o recolhimento para o INSS (exceto se tiver colaboradores remunerados).


Requisitos

Para obter o certificado – que tem validade de três anos, a contar da publicação de sua cessão no Diário Oficial da União –, a entidade precisa ser dotada de personalidade jurídica de direito privado, não ter fins lucrativos e atuar em conformidade com sua área específica, no sentido de: (a) proteger a família, a infância, a maternidade, a adolescência e a velhice; (b) amparar crianças e adolescentes carentes; (c) realizar ações para prevenção, habilitação, reabilitação e integração à vida comunitária de pessoas portadoras de deficiência; (d) promover, gratuitamente, assistência educacional ou de saúde; (e) promover a integração ao mercado de trabalho; (f) desenvolver a cultura; e (g) atender e assessorar os beneficiários da Lei Orgânica de Assistência Social (Loas), defendendo e garantindo seus direitos.

As entidades também precisam estar atentas a alguns aspectos de ordem legal, que devem ser obedecidos, no momento em que pleitearem a cessão ou a renovação do certificado. Qualquer informação imprecisa pode significar mais tempo para a obtenção do documento.

Essas características são: (a) estar legalmente constituída no país e em efetivo funcionamento, nos três anos imediatamente anteriores ao requerimento; (b) estar previamente escrita no Conselho Municipal de Assistência Social, ou no Conselho Estadual; (c) estar previamente inscrita no CNAS, o que possibilita à entidade o pedido, ao mesmo tempo, do registro e do certificado; e (d) deve aplicar anualmente, em gratuidade (desembolso financeiro da entidade com serviços gratuitos à população), no mínimo 20% da receita bruta proveniente da venda de serviços, acrescida da receita decorrente de aplicações financeiras, da locação de bens, da venda de bens não integrantes do ativo imobilizado e de doações particulares.


Documentos

Os documentos necessários para formalizar o processo e o exame do pedido de registro ou de Certificado de Entidade de Assistência Social são: requerimento (formulário fornecido pelo CNAS); cópia autenticada do estatuto; cópia da ata de eleição dos membros da atual diretoria; declaração de que a entidade está em pleno e regular funcionamento; comprovante de inscrição no CMAS de sua cidade; Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ); reconhecimento da Utilidade Pública Federal; e declaração atualizada.

A entidade também precisa apresentar relatórios de atividades; balanços patrimoniais; demonstrativos dos resultados dos exercícios; demonstração de mutação do patrimônio; demonstração das origens e aplicações de recursos; notas explicativas; e demonstrativo de serviços prestados. Todos referentes aos três exercícios anteriores à solicitação.

Caso a entidade esteja sendo fundada, é obrigada a apresentar cópia autenticada da escritura de sua instituição, registrada em cartório, ou lei sobre sua criação; e comprovante de aprovação do estatuto e alterações, se houver, pelo Ministério Público.

Tudo o que você precisa saber sobre Terceiro setor a UM CLIQUE de distância!

Imagine como seria maravilhoso acessar uma infinidade de informações e capacitações - SUPER ATUALIZADAS - com TUDO - eu disse TUDO! - o que você precisa saber para melhorar a gestão da sua ONG?

Imaginou? Então... esse cenário já é realidade na Rede Filantropia. Aqui você encontra materiais sobre:

Contabilidade

(certificações, prestação de contas, atendimento às normas contábeis, dentre outros)

Legislação

(remuneração de dirigentes, imunidade tributária, revisão estatutária, dentre outros)

Captação de Recursos

(principais fontes, ferramentas possíveis, geração de renda própria, dentre outros)

Voluntariado

(Gestão de voluntários, programas de voluntariado empresarial, dentre outros)

Tecnologia

(Softwares de gestão, CRM, armazenamento em nuvem, captação de recursos via internet, redes sociais, dentre outros)

RH

(Legislação trabalhista, formas de contratação em ONGs etc.)

E muito mais! Pois é... a Rede Filantropia tem tudo isso pra você, no plano de adesão PRATA!

E COMO FUNCIONA?

Isso tudo fica disponível pra você nos seguintes formatos:

  • Mais de 100 horas de videoaulas exclusivas gratuitas (faça seu login e acesse quando quiser)
  • Todo o conteúdo da Revista Filantropia enviado no formato digital, e com acesso completo no site da Rede Filantropia
  • Conteúdo on-line sem limites de acesso no www.filantropia.ong
  • Acesso a ambiente exclusivo para download de e-books e outros materiais
  • Participação mensal e gratuita nos eventos Filantropia Responde, sessões virtuais de perguntas e respostas sobre temas de gestão
  • Listagem de editais atualizada diariamente
  • Descontos especiais no FIFE (Fórum Interamericano de Filantropia Estratégica) e em eventos parceiros (Festival ABCR e Congresso Brasileiro do Terceiro Setor)

Saiba mais e faça parte da principal rede do Terceiro Setor do Brasil:

Acesse: filantropia.ong/beneficios

PARCEIROS VER TODOS