Família acolhedora - Edição 79

Por: Ana Paula Castilho Fugita, Andressa Menezes Avelaneda, José Claudio Pereira Pita, Maraísa Castro Souza, Viviane Dos Santos Fonseca
04 Agosto 2017 - 00h00

1877-abertura

Sua importância no desenvolvimento da primeira infância

Pretende-se, por intermédio de um breve resgate histórico, não somente um estudo do passado, mas também compreender e analisar as modificações que ocorreram e, assim, assimilar o presente e contemplar, diante dos conceitos de infância e de família, o quanto é importante a criança conviver em um ambiente familiar saudável, resguardado de proteção e cuidado.

Contudo, o presente artigo fomenta a seriedade do convívio no âmbito familiar, na primeira infância, como sendo precípuo do desenvolvimento integral e, assim, assegurar que os direitos de convivência familiar e comunitária sejam efetivados – garantir que a criança que está em medida protetiva e que, por diversos motivos (violência doméstica, violência física, violência psicológica, violência sexual ou negligência) seja encaminhada a família acolhedora, como medida temporária, até que possa reintegrar a família de origem ou extensa, e nos casos quando se esgotarem todas as possibilidades, encaminhar à família substituta. Portanto, priorizar o acolhimento de crianças de até três anos de idade em família acolhedora, enfim, abster que a criança desta faixa etária seja encaminhada para o serviço de acolhimento institucional (abrigos).

Os itens a seguir tratam dos conceitos (infância e família) e as mudanças que ocorreram no aspecto jurídico para atingir uma melhor compreensão do tema abordado.

Conceito de Primeira Infância

A primeira infância tem sido um tema muito abordado atualmente, tendo em vista a importância dessa fase na vida das crianças e os benefícios de se investir nos primeiros anos de vida:

Fase do 0 aos 6 anos; é um período crucial no qual ocorre o desenvolvimento de estruturas e circuitos cerebrais, bem como a aquisição de capacidades fundamentais que permitirão o aprimoramento de habilidades futuras mais complexas. Crianças com desenvolvimento integral saudável durante os primeiros anos de vida têm maior facilidade de se adaptarem a diferentes ambientes e de adquirirem novos conhecimentos, contribuindo para que posteriormente obtenham um bom desempenho escolar, alcancem realização pessoal, vocacional e econômica e se tornem cidadãos responsáveis.1

A publicação Primeira infância: um olhar desde a Neuroeducação2 aborda a primeira infância como o período mais significativo na formação do indivíduo, visto que:

[...] Nela se estruturam as bases do desenvolvimento e da personalidade, sobre as quais as sucessivas etapas se consolidarão e se aperfeiçoaram. É justamente nesta etapa que as estruturas neurofisiológicas e psicológicas estão em pleno processo de amadurecimento e, neste sentido, a qualidade e quantidade de influências que recebem as crianças do entorno familiar, socioeconômico e cultural os moldarão de uma forma quase definitiva.3

Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora

Para adentramos a temática de família acolhedora e, assim, compreender suas características e objetivos, faz-se necessário percorrer pela conjuntura histórica da ajuda mútua entre as famílias, no cumprimento do cuidado e da proteção com suas crianças e adolescentes na sociedade brasileira.

[...] a existência de uma cultura muito antiga de ajuda mútua entre famílias brasileiras, identificada como cuidado familiar de crianças e adolescentes como "filhos de criação", assumidos por uma família ou por alguém, pertencente ou não à família extensa. Esses cuidados são também estudados como um fenômeno de circulação de crianças, que se realiza naturalmente, na grande maioria das vezes sem chegar à regularização de guarda, ou tutela, ou adoção.4

Convém observar que o acolhimento familiar, mesmo que informalmente, é um comportamento intrínseco; a utilização da rede de apoio familiar como auxílio mútuo está enraizada historicamente na sociedade. Entretanto, essa praxe torna-se uma política pública nacional, passando a ser reconhecida como "Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora", que foi ratificado em diversas legislações:

O Serviço de Acolhimento Institucional e o Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora estão inseridos na Política Nacional de Assistência Social (PNAS/2004), no Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária (PNCFC/2006) e no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), alterado pela Lei nº 12.010/2009. Suas operacionalizações estão descritas nos documentos "Orientações técnicas: serviços de acolhimento para crianças e adolescentes" (MDS/2009) e "Tipificação nacional de serviços socioassistenciais" (MDS/2009).5

1Núcleo Ciência pela Infância. Comitê Científico. Estudo nº 1: o impacto do desenvolvimento na primeira infância sobre a aprendizagem. 2014. p. 3. Disponível em: <http://www.ncpi.org.br>. Acesso em: abr. 2017.
2Disponível em: <http://iin.oea.org/pdf-iin/RH/primera-infancia-por.pdf>. Acesso em: 5 jun. 2017.
3Idem, p. 46.
4VALENTE, J. Família acolhedora: as relações de cuidado e de proteção no serviço de acolhimento. São Paulo: Paulus, 2013. p. 75.
5Idem, p. 105.

Tudo o que você precisa saber sobre Terceiro setor a UM CLIQUE de distância!

Imagine como seria maravilhoso acessar uma infinidade de informações e capacitações - SUPER ATUALIZADAS - com TUDO - eu disse TUDO! - o que você precisa saber para melhorar a gestão da sua ONG?

Imaginou? Então... esse cenário já é realidade na Rede Filantropia. Aqui você encontra materiais sobre:

Contabilidade

(certificações, prestação de contas, atendimento às normas contábeis, dentre outros)

Legislação

(remuneração de dirigentes, imunidade tributária, revisão estatutária, dentre outros)

Captação de Recursos

(principais fontes, ferramentas possíveis, geração de renda própria, dentre outros)

Voluntariado

(Gestão de voluntários, programas de voluntariado empresarial, dentre outros)

Tecnologia

(Softwares de gestão, CRM, armazenamento em nuvem, captação de recursos via internet, redes sociais, dentre outros)

RH

(Legislação trabalhista, formas de contratação em ONGs etc.)

E muito mais! Pois é... a Rede Filantropia tem tudo isso pra você, no plano de adesão PRATA!

E COMO FUNCIONA?

Isso tudo fica disponível pra você nos seguintes formatos:

  • Mais de 100 horas de videoaulas exclusivas gratuitas (faça seu login e acesse quando quiser)
  • Todo o conteúdo da Revista Filantropia enviado no formato digital, e com acesso completo no site da Rede Filantropia
  • Conteúdo on-line sem limites de acesso no www.filantropia.ong
  • Acesso a ambiente exclusivo para download de e-books e outros materiais
  • Participação mensal e gratuita nos eventos Filantropia Responde, sessões virtuais de perguntas e respostas sobre temas de gestão
  • Listagem de editais atualizada diariamente
  • Descontos especiais no FIFE (Fórum Interamericano de Filantropia Estratégica) e em eventos parceiros (Festival ABCR e Congresso Brasileiro do Terceiro Setor)

Saiba mais e faça parte da principal rede do Terceiro Setor do Brasil:

Acesse: filantropia.ong/beneficios

BAIXE GRATUITAMENTE
E-book Como começar uma⠀ONG

BAIXE GRATUITAMENTE

BAIXE GRATUITAMENTE
E-book 18 PASSOS essenciais para ajudar sua ONG

BAIXE GRATUITAMENTE

PARCEIROS VER TODOS