Uma organização está segura de demandas trabalhistas se fizer contratações sob a forma de terceirização?

Por: Revista Filantropia
17 Outubro 2008 - 00h00

O artigo 3º, da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), considera empregada toda pessoa física que prestar serviços de natureza não-eventual ao empregador, sob a dependência deste e mediante salário. Assim, haverá a caracterização do vínculo empregatício quando estiverem presentes quatro requisitos: pessoalidade, habitualidade, onerosidade e subordinação. Entende-se que, independentemente da terceirização ocorrer na forma de atividade meio ou fim, se os requisitos da relação de trabalho forem comprovados, será considerado empregado, razão pela qual será reconhecida a fraude na terceirização da atividade. As atividades são aquelas não-essenciais à empresa, que têm a finalidade de dar suporte às atividades principais. Já as atividades fim são as descritas no contrato social.

Conteúdo Relacionado

EDITAIS FILANTROPIA PLATAFORMA ÊXITOS
22.766
Oportunidades Cadastradas
9.597
Modelos de Documentos
4.060
Concedentes que Repassam Recursos
Prazo
3 Mai
2021
25º Concurso Inovação no Setor Público
Prazo
26 Abr
2021
15º Edital Funcultura Audiovisual
Prazo
Contínuo
Super Desafio COVID-19 - Startups
Prazo
21 Mai
2021
Projetos Sociais por Leis de Incentivo 2021
Prazo
14 Mai
2021
Edital de Seleção - Projetos Sociais
Prazo
11 Mai
2021
Prince Claus Seed Awards 2021
Prazo
10 Mai
2021
Para Mulheres na Ciência 2021
Prazo
Contínuo
Adobe Creative Residency Community Fund
Prazo
17 Mai
2021
PhotoContest 2021
Prazo
23 Mai
2021
9ª Convocatoria de Ayudas

PARCEIROS VER TODOS