Sustentabilidade como foco de atuação

Por: Paula Craveiro
01 Novembro 2009 - 00h00

O Grupo Santander Brasil atua no país por intermédio do Banco Santander, do Banco Real, da Aymoré Financiamentos e suas respectivas controladas. As operações, conduzidas em conjunto no mercado financeiro, o posicionam como o terceiro maior banco por ativos. Seu controlador, o Banco Santander S.A., com sede na Espanha, é o maior grupo financeiro internacional em atuação no Brasil.

Pautado pelo compromisso de aliar eficiência nos negócios ao respeito às pessoas e ao meio ambiente, a organização mantém quatro áreas de atuação: Varejo, Empresas, Santander Global Banking & Markets e Gestão de Recursos de Terceiros.

Missão e valores

De acordo com Laura Oltramare, superintendente de Desenvolvimento Sustentável, “a missão do Grupo Santander Brasil é ser uma equipe capaz de gerar boas ideias, que satisfaçam nossos clientes, sejam rentáveis para nossos acionistas e nos consolide como líder financeiro internacional e como entidade que colabora com o desenvolvimento sustentável da sociedade”.

Os valores estão inseridos no documento Nosso Compromisso, que diz: “Somos prestadores de serviços financeiros e acreditamos que a confiança deve ser a base de todos os relacionamentos. Criaremos vínculos de qualidade entre nós, funcionários, e nossos clientes e fornecedores para, juntos, buscarmos ideias inovadoras em gestão, produtos e serviços que respondam aos desafios da nossa época. Assim, seremos líderes do nosso setor e referência para o Grupo Santander, para o nosso país e para o mercado em geral”.

O início de tudo

Todo o trabalho desenvolvido pelo grupo tem como meta a inserção da sustentabilidade no dia-a-dia da organização. Essa iniciativa começou em 2001, quando os executivos do banco constataram que era preciso reinventar o modo como a organização fazia negócios. Assim, deu-se início à implantação de um método que integrasse a busca pelo lucro aliada a benefícios sociais e ambientais. Criou-se, então, a área de responsabilidade social, hoje Diretoria de Desenvolvimento Sustentável (DDS), que tem como um de seus objetivos incentivar e apoiar outras áreas a incorporarem práticas sustentáveis em seu dia-a-dia, de acordo com sua função na organização.

“A gestão de nossas ações em sustentabilidade não está toda centralizada na DDS. Temos um Conselho de Sustentabilidade, formado por representantes seniors de diversas áreas, que acompanham os planos de inserção da sustentabilidade nos produtos, serviços, processos e relacionamentos. Existe também o Comitê de Ação Social, que decide sobre as estratégias do Investimento Social Privado do grupo, delibera sobre temas relevantes da área e valida novas oportunidades de atuação”, explica a superintendente.

Conscientização

A organização trabalha com o intuito de mudar o nível de consciência dos indivíduos, para que estes promovam mudanças em toda sua rede de relacionamentos. “Acreditamos que a mudança deve começar pelo indivíduo, que transforma a empresa, que influencia o mercado, e, por sua vez, estimula a evolução da sociedade. E nosso objetivo com esse trabalho é fomentar tal mudança”, conta Laura. Para isso, a organização tem investido em treinamentos e na troca de experiências, principalmente entre seus funcionários, fornecedores e clientes.

Colaborar para o desenvolvimento sustentável faz parte da missão da empresa e se reflete em suas atividades. “Para nós, sustentabilidade é um tema que deve estar disseminado por toda a organização, permeando não só políticas, mas produtos, processos e relacionamentos”.

Principais projetos desenvolvidos

Todos os projetos desenvolvidos pelo banco são direcionados a funcionários, clientes, fornecedores e sociedade, que têm suas necessidades avaliadas, de modo a promover a disseminação de práticas sustentáveis de maneira eficaz, valorizando o constante diálogo com todos. As ações do Grupo Santander Brasil dentro do campo da sustentabilidade podem ser mais bem compreendidas dentro de três frentes:
• Ações no Negócio, que abrangem a criação de produtos e serviços voltados à sustentabilidade (como o Fundo Ethical, Financiamentos para Sustentabilidade; Microcrédito, Créditos de Carbono e todo o trabalho desenvolvido com as universidades por meio do Santander Universidades) e o engajamento de clientes por meio de iniciativas como o Espaço Real de Práticas em Sustentabilidade e o Programa de Sustentabilidade na Construção Civil;
• Ações de Sustentabilidade na Gestão, que englobam desde iniciativas de engajamento de funcionários e fornecedores até análise de risco socioambiental para clientes corporativos e os programas de ecoeficiência;
• Ações de Investimento Social Privado, que apoiam a causa da educação e as iniciativas voltadas ao empreendedorismo e geração de renda, meio ambiente e diversidade.

Gestão e prestação de contas

Os projetos sociais são desenvolvidos e gerenciados pela área de Ação Social, subordinada à Diretoria de Desenvolvimento Sustentável do Grupo Santander Brasil, que tem como premissa acompanhar e avaliar os projetos implementados por meio de oficinas de capacitação e visitas técnicas. Os recursos investidos na operação desses programas são próprios da organização.

Segundo Laura, em relação à gestão do investimento social, “existe a preocupação em monitorar os projetos e avaliar os resultados obtidos junto aos seus beneficiários diretos e indiretos. O conhecimento desses resultados nos permite readequações e correções de rumo, visando ao aprimoramento de nossos programas sociais”.

O compartilhamento é feito com todos os públicos com os quais o banco se relaciona. Para isso, são utilizados veículos internos – intranet, TV corporativa, informativos e revista eletrônica – para a divulgação dos resultados para os funcionários do grupo; o portal de sustentabilidade e a newsletter do Espaço Real de Práticas em Sustentabilidade também trazem essas informações para clientes e não-clientes do Grupo Santander Brasil.

Conquistas e metas

O Grupo Santander Brasil considera essencial a continuidade de suas ações, avançando na incorporação da sustentabilidade na rotina das diversas áreas do banco. Também continuará trabalhando para que o tema esteja cada vez mais presente nas discussões dentro e fora da instituição. “Nesse momento, trabalhamos para que o grupo absorva o melhor dos dois bancos – Santander e Real – e torne as atividades ligadas ao desenvolvimento sustentável mais completas”, afirma a superintendente.

Entre as principais iniciativas, destacam-se o Espaço Real de Práticas em Sustentabilidade, criado para compartilhar com a sociedade, em especial com empresários, o que a organização aprendeu com o movimento de inserção da sustentabilidade no negócio. O espaço promove treinamentos presenciais para clientes corporativos e fornecedores, palestras e oficinas abertas para todos os públicos, além de cursos on-line sobre sustentabilidade e investimento social privado.

“Em relação à ecoeficiência, acabamos de obter a certificação ISO 14001 de mais três prédios administrativos e de nossa agência em Fernando de Noronha. Outros três prédios foram recertificados. A futura sede do grupo, em São Paulo, também está sendo construída para a obtenção dessa certificação e do Leadership in Energy and Environmental Design (Leed)”, conta Laura.

Outro exemplo é o microcrédito. Em cinco anos, a organização pretende aumentar em 20% o volume de recursos disponibilizados para os pequenos empreendedores. No âmbito do Investimento Social Privado, o grupo dará continuidade ao programa Amigos Real, que facilita aos funcionários, clientes e fornecedores o direcionamento de parte do IR devido a iniciativas baseadas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e ao Projeto Escola Brasil (PEB), ação de voluntariado corporativo que visa a contribuir para a melhoria da educação na escola pública.

Links
www.bancoreal.com.br/sustentabilidade

PARCEIROS VER TODOS