O bloqueio judicial pode ocorrer em conta de entidades sociais? E quanto às pessoas físicas?

Por: Revista Filantropia
01 Janeiro 2008 - 00h00

As entidades do Terceiro Setor, quando executadas em execução judicial, podem, sim, ter suas contas bloqueadas, após determinação judicial. Sendo assim, é fundamental que as organizações fiquem atentas para evitar que tal ato se concretize. No caso de pessoas físicas, se a conta bancária não se destina unicamente ao depósito de salário, recebendo também créditos de outras origens, a mesma poderá sofrer bloqueio judicial em execução, desde que se preserve o valor do salário depositado. É esse o recente entendimento da 7ª Turma do TRT-MG, que manteve o bloqueio de conta-corrente do executado para posterior penhora do crédito devido ao reclamante, preservando somente o valor lá depositado a título de salário. A lei proíbe unicamente a penhora de salário.

Conteúdo Relacionado

EDITAIS FILANTROPIA PLATAFORMA ÊXITOS
20.245
Oportunidades Cadastradas
9.597
Modelos de Documentos
3.592
Concedentes que Repassam Recursos
Prazo
31 Dez
2020
Patrocínios e Doações - Instituto Usiminas
Prazo
Matchfunding Enfrente o Corona
Prazo
31 Dez
2020
IberCultura Viva 2020
Prazo
30 Nov
2020
Stop Slavery Award 2021
Prazo
Patrocínio BS2
Prazo
Paranapanema - Doações e Patrocínios
Prazo
Aceleradora P&G Social
Prazo
20 Set
2020
Edital de Patrocínio - Banco da Amazônia
Prazo
2 Out
2020
Arte em Toda Parte
Prazo
20 Set
2020
Prêmio 99 de Jornalismo

PARCEIROS VER TODOS