Qual é o entendimento do TST a respeito da jornada em turnos ininterruptos?

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) recentemente publicou a súmula nº 423, quando a 3ª Turma confirmou a validade de acordo coletivo que transformou a jornada em turnos ininterruptos de revezamento de seis para oito horas nas empresas. A decisão reconheceu a inexigibilidade do pagamento das sétima e oitava horas como extras. Ao mesmo tempo, o órgão do TST, segundo voto da ministra Maria Cristina Peduzzi, afirmou a impossibilidade de redução do intervalo intrajornada, mesmo que por meio de norma coletiva. Assim, houve a transformação da então vigente orientação jurisprudencial nº 169 da Seção de Dissídios Indivi(SDI-1) na súmula nº 423. O novo item da jurisprudência tornou expresso o entendimento majoritário do TST, que exclui o pagamento das horas extras em caso de ampliação da jornada de trabalho em turnos ininterruptos, no limite de duas horas, desde que haja respaldo em negociação coletiva válida.

PARCEIROS VER TODOS