Promessas para idiotas

Por: Felipe Mello, Roberto Ravagnani
01 Setembro 2010 - 00h00

Sidarta, de Hermann Hesse, descreve a jornada cumprida pelo protagonista que dá nome à obra. Seu processo de iluminação o conduz a atitudes libertárias, uma delas representada por uma frase provocativa: dada uma situação, Sidarta diz a um interlocutor: “o gesto da sua mão me interessa mais que as suas opiniões”.
Períodos eleitorais me causam estranhezas. Talvez porque a eleição seja a materialização de uma escolha, supostamente parida após um processo digestivo do eleitor, a partir de elementos que engole espontânea ou forçosamente.

As próximas linhas não serão dedicadas ao momento atual de eleições de representantes políticos, até porque a Justiça Eleitoral poderia reagir caso eu decidisse publicar minhassinceras opiniões. Um pouco de Sócrates para temperar o cozimento, quando ele diz que mais que parir corpos, precisamos aprender a parir espíritos. Quem elege apenas com o corpo perpetua a tragédia; quem elege com o corpo e o espírito amplia as chances de transcendência e cumprimentodo seu destino.

Perdão pelas referências políticas. O cidadão pretensamente inconformado que mora em mim exigiu esse pedágio antes da entrega ao tema desejado: atitudes cotidianas a partir de escolhas lúcidas. Como dizem, “peguei o gancho” – aliás, que gancho é esse sobre o qual todos falam? – da eleição para chegar às eleições menos espalhafatosas, porém mais determinantes, que diariamente somos convidados a fazer. A ética do dia a dia, o saber comum que nutre mais que intoxica, a ação mais protagonista que desgovernada. Algo que os gregos chamavam de phronesis, que para Aristóteles era a sabedoria na prática. O tema é recorrente entre grandes pensadores, possivelmente porque o foco nas grandes decisões regionais ou nacionais se transforma em algo muitovago quando não há lucidez no microcosmo das relações mais próximas.

Immanuel Kant falou sobre o esclarecimento, a lucidez. De forma assertiva, acreditava que a maioridade existencial só poderia ser alcançada pelo indivíduo que se tornasse um cuidador, saindo do papel de vítima e avançando em sua caminhada,apropriando-se dos seus passos e oferecendo a si e ao mundo o melhor que ele pode ser a partir do que ele é.

A observação do cotidiano revela que anda faltando paixão na vida das pessoas. Não a paixão no sentido atual, que quase se transformou em antítese do amor, sendo aquelaruim e este nobre. Basta conferir que a origem da palavra é pathos em grego e passio em latim. Atualmente, patologia é o estudo das doenças, evidenciando a decadência do conceito.

Indivíduos que não estão apaixonados por nada escolhem praticamente como soluçam ou suspiram, sem compreendera extensão das escolhas. Ainda, tornam-se presas fáceis aos interesses alheios.

Fico com Madre Tereza de Calcutá e sua proposta de “amor em ação”. Faz lembrar o phronesis defendido por Aristóteles, embora, com todo o respeito ao seu papel histórico, prefira a Tereza, que tinha a ambição de fazer bem feito ao que estava por perto, sem a pretensão de explicar ou conquistar o mundo. Aliás, decisões pequenas e coerentes que respeitam a vida caminham muito mais no sentido de explicar e corrigir o mundo do que a erudição cientificista, que não consegue mais dar conta do sentido da existência. Para decidir, entretanto, há de se ter sentimento. Sentir a vida, o entorno, estabelecendo um diálogo contínuo e honesto
entre o de dentro e o de fora. A anestesia está para o protagonismo assim como o Coringa está para o Batman. Até a etimologia coloca lenha no debate, pois anestesia significa“sem sentimento”. Viktor Frankl se abraça a Nietzsche em seu livro Em busca do sentido, após passar cinco anos em Auschwitz, campo de concentração nazista, lembrando que “o modo de ser depende das decisões, e não das condições”. Nietzsche havia dito que “quem tem pelo que viver, aguenta qualquer como”. Relação nítida, clamor pela causa, paixão.
A palavra idiota significava, em sua origem grega, idiotes,a pessoa que não ocupava cargos públicos, estando dedicado a questões particulares, como família e trabalho. Mais um conceito que se alterou com os anos, sendo a principalalteração o fato de muitas pessoas serem duplamente idiotas, ou seja, não participarem da vida pública e também seguirem anestesiadas em sua vida individual, alheias, alienadas
às eleições essenciais traduzidas em oportunidades de transformação das atitudes e, por consequência, dos locais por onde transitam. Repito: tornam-se presas fáceis aos interesses alheios.

Chegou ao fim a era dos super-heróis, que detonam os inimigos com golpes mirabolantes e irreais. Essas promessas só persistem em programas eleitoreiros em busca de incautos. Arsenal importante mesmo na era atual é a lucidez do cidadão comum, que escolhe não ser idiota e decide ser o melhor que se pode ser, em sua vida privada ou pública. Bem antes de exigir voto consciente, parece fazer mais sentido trabalhar pela consciência em ação. Caso contrário, continuará o espetáculo das carroças puxando os bois.

Tudo o que você precisa saber sobre Terceiro setor a UM CLIQUE de distância!

Imagine como seria maravilhoso acessar uma infinidade de informações e capacitações - SUPER ATUALIZADAS - com TUDO - eu disse TUDO! - o que você precisa saber para melhorar a gestão da sua ONG?

Imaginou? Então... esse cenário já é realidade na Rede Filantropia. Aqui você encontra materiais sobre:

Contabilidade

(certificações, prestação de contas, atendimento às normas contábeis, dentre outros)

Legislação

(remuneração de dirigentes, imunidade tributária, revisão estatutária, dentre outros)

Captação de Recursos

(principais fontes, ferramentas possíveis, geração de renda própria, dentre outros)

Voluntariado

(Gestão de voluntários, programas de voluntariado empresarial, dentre outros)

Tecnologia

(Softwares de gestão, CRM, armazenamento em nuvem, captação de recursos via internet, redes sociais, dentre outros)

RH

(Legislação trabalhista, formas de contratação em ONGs etc.)

E muito mais! Pois é... a Rede Filantropia tem tudo isso pra você, no plano de adesão PRATA!

E COMO FUNCIONA?

Isso tudo fica disponível pra você nos seguintes formatos:

  • Mais de 100 horas de videoaulas exclusivas gratuitas (faça seu login e acesse quando quiser)
  • Todo o conteúdo da Revista Filantropia enviado no formato digital, e com acesso completo no site da Rede Filantropia
  • Conteúdo on-line sem limites de acesso no www.filantropia.ong
  • Acesso a ambiente exclusivo para download de e-books e outros materiais
  • Participação mensal e gratuita nos eventos Filantropia Responde, sessões virtuais de perguntas e respostas sobre temas de gestão
  • Listagem de editais atualizada diariamente
  • Descontos especiais no FIFE (Fórum Interamericano de Filantropia Estratégica) e em eventos parceiros (Festival ABCR e Congresso Brasileiro do Terceiro Setor)

Saiba mais e faça parte da principal rede do Terceiro Setor do Brasil:

Acesse: filantropia.ong/beneficios

BAIXE GRATUITAMENTE
E-book Como começar uma⠀ONG

BAIXE GRATUITAMENTE

BAIXE GRATUITAMENTE
E-book 18 PASSOS essenciais para ajudar sua ONG

BAIXE GRATUITAMENTE

PARCEIROS VER TODOS