O mundo é das mulheres

Por: Felipe Mello, Roberto Ravagnani
01 Maio 2009 - 00h00

Homens e mulheres vêm experimentando caminhos evolutivos diferentes. Embora convivendo desde a sua origem, apresentam características distintas, especialmente quando são observadas as questões comportamentais. Percorrendo a história de forma veloz e singela, fica nítido o aperfeiçoamento da mulher em termos relacionais. Afinal, enquanto ela ficava com a prole, ele saía em busca de alimentos com longos períodos de silencioso isolamento.

Depois de inúmeras gerações, cá estamos, no século 21, com a mulher se mostrando mais preparada para entender, e acolher, gente. Claro que toda generalização é burra, mas um olhar atento demonstra o estágio mais avançado de desenvolvimento das habilidades emocionais delas. Em casa, no trabalho ou na sociedade, as mulheres se mostram mais prontas para exercer competências essenciais neste momento da história, tais como resiliência e solidariedade.

Capacidade de superação

Resiliência é um termo primeiramente utilizado pela física, demonstrando a capacidade de um material voltar ao seu estado normal após ser submetido a alguma sorte de pressão. As ciências humanas utilizam esse termo para qualificar a capacidade de um indivíduo possuir uma conduta sã em um ambiente insano, ou seja, a capacidade de sobrepor-se e construir-se positivamente frente às adversidades.

Ao longo da história, as mulheres vêm demonstrando a sua capacidade de superação. Exemplo óbvio são as épocas de guerras, que infelizmente vêm permeando toda a história humana. Nessas oportunidades, legiões de homens foram e não voltaram, deixando a elas a tarefa de erguer a geração seguinte.

O poder da comoção

O verbo comover é visto, regularmente, de forma distorcida. O seu sentido mais potente é o de mover-se junto (“co-mover”). E essa postura de vida é alimentada pela capacidade de se colocar no lugar do outro e se solidarizar.

O voluntariado é a expressão prática da solidariedade, atividade que desde 1532 (primeiro registro na Santa Casa de Misericórdia de Santos/SP) vem cumprindo papel fundamental para a redução das injustiças no Brasil. Se o país já é injusto com o exercício do voluntariado, fique à vontade para pensar em um caos ainda maior se ele não existisse.

Na prática voluntária, quem é o personagem protagonista? Sim, a mulher. Raro é o programa social que não tem em sua liderança uma mulher. Um exemplo é o caso dos Doutores Cidadãos, voluntários que desde 1999 utilizam a figura do palhaço para levar alegria e cidadania a mais de 40 hospitais na Grande São Paulo. Neste grupo, 74,5% dos mais de mil voluntários treinados são mulheres. Fato adicional: muitos homens chegaram ao grupo em função de alguma conhecida já estar atuando.

Cuidando das cuidadoras

Seja a partir deste texto ou em função da observação cotidiana, o papel social das mulheres na travessia rumo ao futuro é inquestionável. Cabe às instituições perceber a imensa contribuição emocional, profissional e social que as habilidades e competências que brotam naturalmente nelas podem realizar.

Entretanto, a saúde das mulheres não anda bem, colocando em xeque este papel protagonista. As causas dessa degradação estão associadas a diversas questões, sendo que a busca incessante pela equidade nas funções parece não estar sendo conduzida de forma saudável. Alguns argumentos: nos últimos cinco anos, mais de 1,2 milhão de mulheres deram entrada no Sistema Único de Saúde (SUS) em função de complicações resultantes de abortos ilegais. Outra prova vem do coração, que está sofrendo muito mais – inclusive no sentido literal – nos dias atuais: entre 1997 e 2007, o número de internações de mulheres por infarto agudo do miocárdio subiu 46%, com taxa de mortalidade chegando a quase 17% (levantamento realizado pelo Instituto Nacional de Cardiologia nos hospitais conveniados do SUS).

Um alerta adicional: a combinação de tabagismo com uso da pílula anticoncepcional aumenta o risco de um evento cardiovascular em até 39 vezes. Como último argumento, cabe citar que a maioria das internações de mulheres no mesmo SUS se deve à violência doméstica. Em tempos de Dia das Mães, sugiro reflexão sobre o valor existente na capacidade explícita de gerar vida que a mulher possui, seja em seu ventre ou na forma de olhar e agir no mundo. Mais cuidado com as cuidadoras (especialmente por parte delas mesmas) deve ocupar posição central na estratégia de reinvenção da espécie humana.

Tudo o que você precisa saber sobre Terceiro setor a UM CLIQUE de distância!

Imagine como seria maravilhoso acessar uma infinidade de informações e capacitações - SUPER ATUALIZADAS - com TUDO - eu disse TUDO! - o que você precisa saber para melhorar a gestão da sua ONG?

Imaginou? Então... esse cenário já é realidade na Rede Filantropia. Aqui você encontra materiais sobre:

Contabilidade

(certificações, prestação de contas, atendimento às normas contábeis, dentre outros)

Legislação

(remuneração de dirigentes, imunidade tributária, revisão estatutária, dentre outros)

Captação de Recursos

(principais fontes, ferramentas possíveis, geração de renda própria, dentre outros)

Voluntariado

(Gestão de voluntários, programas de voluntariado empresarial, dentre outros)

Tecnologia

(Softwares de gestão, CRM, armazenamento em nuvem, captação de recursos via internet, redes sociais, dentre outros)

RH

(Legislação trabalhista, formas de contratação em ONGs etc.)

E muito mais! Pois é... a Rede Filantropia tem tudo isso pra você, no plano de adesão PRATA!

E COMO FUNCIONA?

Isso tudo fica disponível pra você nos seguintes formatos:

  • Mais de 100 horas de videoaulas exclusivas gratuitas (faça seu login e acesse quando quiser)
  • Todo o conteúdo da Revista Filantropia enviado no formato digital, e com acesso completo no site da Rede Filantropia
  • Conteúdo on-line sem limites de acesso no www.filantropia.ong
  • Acesso a ambiente exclusivo para download de e-books e outros materiais
  • Participação mensal e gratuita nos eventos Filantropia Responde, sessões virtuais de perguntas e respostas sobre temas de gestão
  • Listagem de editais atualizada diariamente
  • Descontos especiais no FIFE (Fórum Interamericano de Filantropia Estratégica) e em eventos parceiros (Festival ABCR e Congresso Brasileiro do Terceiro Setor)

Saiba mais e faça parte da principal rede do Terceiro Setor do Brasil:

Acesse: filantropia.ong/beneficios

BAIXE GRATUITAMENTE
E-book Como começar uma⠀ONG

BAIXE GRATUITAMENTE

BAIXE GRATUITAMENTE
E-book 18 PASSOS essenciais para ajudar sua ONG

BAIXE GRATUITAMENTE

EDITAIS
23.290
Oportunidades Cadastradas
9.597
Modelos de Documentos
4.132
Concedentes que Repassam Recursos
Prazo
1 Out
2021
The Land Accelerator - América Latina
Prazo
1 Ago
2021
AAAS Kavli Science Journalism Awards
Prazo
Contínuo
Super Desafio COVID-19 - Startups
Prazo
10 Ago
2021
The Chelsea International Photography Competition 2021
Prazo
5 Jun
2021
Prêmio Excelência em Competitividade 2021
Prazo
15 Dez
2021
Premio Iteramericano a Las Buenas Práticas para el...
Prazo
15 Jun
2021
FAPESP / M-ERA.NET 2021 – Ciência de Materiais e...
Prazo
Contínuo
Adobe Creative Residency Community Fund
Prazo
15 Jun
2021
Professional Fellowship 2021
Prazo
15 Jun
2021
2º Call for Partnerships - Global Media Defence Fund

PARCEIROS VER TODOS