Consciência Coletiva

Por: Joana Mao
01 Março 2011 - 00h00
Untitled DocumentConsciência Coletiva
As redes sociais e o trânsito para um pensar sustentável

Há alguns anos, a internet era a grande promessa de revolução na vida. E de fato foi, embora não soubéssemos como isso iria acontecer. Apenas se especulava. Hoje, com o Facebook, Twitter e outras redes sociais, mais do que a troca de informações, a conexão entre as pessoas se tornou a grande marca dessa revolução. A rede, como é hoje, quebrou a regra da presença de um ponto central como fonte geradora de conhecimento. Nela, a igualdade para opinar e a complementaridade de informações tornaram-se aspectos básicos.
Na teoria das Ciências Sociais, o conceito de rede pode ser definido como o conjunto de relações sociais entre um
grupo de atores e entre eles próprios. Na prática, ela tem sugerido fluxo, movimento e acesso. O mais surpreendente disso é a aproximação das mais variadas áreas de conhecimento, além da formação de uma consciência coletiva virtual extensa e democrática. Parece não ser por acaso a contemporaneidade das redes sociais com a necessidade da incorporação definitiva da sustentabilidade. Necessidade que
trata de uma tomada de consciência que só tem sentido se for coletiva, mas que depende da ativação do indivíduo para o diálogo e sua consequente participação. Um assunto global que, com a internet, não precisa mais se restringir a um comitê gestor. No ambiente da internet, as barreiras territoriais, grupos, categorias e hierarquias não existem, e as interações setoriais, imprescindíveis na ideia de
sustentabilidade, tornam-se possíveis. Com elas, é possível imaginar não mais comitês gestores fazendo parte das organizações, mas redes sociais ao vivo interagindo com seus públicos de interesse. Conforme nos movemos para a era da web 2.0, em que muitos stakeholders enunciam suas preocupações e se unem, indivíduos e organizações têm a chanace de estar engajados em uma mesma causa. É possível supor
um pensar e fazer coletivos, a partir da interação de diversos agentes da sociedade, partícipes de empresas e governos.
Redes que ligam organizações com o seu entorno de forma sistêmica não serão apenas uma forma de proteção de marca, mas com um potencial muito maior: a formação de uma rede criativa, de transformação econômica e social. O designer norte-americano Alex Bogusky, ex-sócio da agência Crispin + Porter – polêmica em razão de suas ações on-line –, lançou no começo deste ano a rede Common, que é, acima de tudo, uma marca, e tem como objetivo se constituir em uma rede on-line de resposta rápida para oportunidades de melhoria social por meio do pensar criativo.
Pessoas conectadas, pensando criativamente, geram protótipos para solucionar causas. A Common enxergou a potencialidade da discussão da sustentabilidade em um ambiente virtual e, a partir daí, a geração de soluções que beneficiam pessoas, comunidades e o ambiente, como vantagens de negócio. Agora está um passo a frente, expressando-se como uma marca que transita da vantagem competitiva para a vantagem colaborativa. Uma prova de que as redes permitem acesso para lidar com o novo, para pensar e viver cada vez mais em grupo.
A variedade de assuntos e possibilidades que articulamos com os outros pode contribuir – e muito – para o desenvolvimento sustentável. Ao contrário do paradigma individualista que vínhamos seguindo, o pensar da sustentabilidade é maior do que as fronteiras individuais. É transpassar a individualidade e o solucionar sozinho para assumir uma consciência coletiva, criando-se, assim, espaço para uma revitalização dos movimentos sociais, nos quais, em rede, pensar é maior.
EDITAIS FILANTROPIA PLATAFORMA ÊXITOS
10.704
Oportunidades Cadastradas
8.309
Modelos de Documentos
2.338
Concedentes que Repassam Recursos
Prazo
23 Nov
2018
31º Concurso de Contos Cidade de Araçatuba 2018
Prazo
5 Dez
2018
Poetize 2019
Prazo
15 Dez
2018
UNWG Charity Programme 2019
Prazo
31 Dez
2018
Universidade Aberta do Brasil e Proeb.
Prazo
28 Nov
2018
Apoio á Criação Artística – Linguagem Música
Prazo
30 Nov
2018
Concurso Literário - Clarín Régio
Prazo
30 Nov
2018
Edital de Publicação de Histórias em Quadrinhos
Prazo
28 Nov
2018
Desenvolvimento de Roteiro Audiovisual de Longas-Metragens
Prazo
29 Nov
2018
Apoio à Digitalização de Acervos
Prazo
1 Dez
2018
Submissão de Trabalhos - Fake news e Saúde
Prazo
25 Nov
2018
Edital nº 264 - Programa Computadores para Inclusão
Prazo
8 Dez
2018
Prêmio Quirino da Animação Ibero-Americana
Prazo
31 Dez
2018
Credenciamento de Entidades Aptas A Celebrar Acordo...
Prazo
31 Dez
2018
International Gender Equality Prize 2019
Prazo
31 Dez
2018
VI Prêmio Serviço Florestal Brasileiro em Estudos...
Prazo
23 Nov
2018
25º Edição - Prêmio Açorianos de Literatura Adulta...
Prazo
29 Mar
2019
The Diana Award 2018
Prazo
24 Nov
2018
Prêmio Literário – “Memórias do lugar onde eu...
Prazo
21 Fev
2019
Concurso de curtas audiovisuais – 2018 - “Comunidades...
Prazo
Contínuo
Estabelecimento de Parcerias para Coedições de Livros...
Prazo
Contínuo
Leia para uma criança
Prazo
11 Dez
2018
Concurso Literário Prêmio Poesia Agora - Verão
Prazo
19 Fev
2019
Programa de Apoio à Realização de Eventos Científicos...
Prazo
Contínuo
Programa de Desenvolvimento Científico Regional –...
Prazo
1 Jan
2019
Prêmio Arte Original Tordos Azuis
Prazo
20 Nov
2018
Virada Cultural 2019
Prazo
30 Nov
2018
Programa Selos Postais
Prazo
1 Dez
2018
The Prince Claus Fund 2nd Open Call: First Aid to Documentary...
Prazo
Contínuo
Política de Patrocínios da CEMIG
Prazo
23 Nov
2018
Chamada CNPq/SNSF
Prazo
31 Dez
2018
Credenciamento de Artistas
Prazo
30 Jun
2019
Chamada Pública Bilateral FINEP-CDTI para projetos...
Prazo
21 Mar
2019
Seleção de Projetos Esportivos - Lei de Incentivo
Prazo
Contínuo
Revista Científica de Direitos Humanos - Submissão...
Prazo
21 Set
2019
Crédito De Pesquisa Para Comitês Técnico-Científicos
Prazo
15 Dez
2018
The Awesome Foundation - Awesome Disability
Prazo
Contínuo
Chamada Pública ANCINE-FSA - Coinvestimentos Regionais
Prazo
Contínuo
Filiação ao Departamento de Informação Pública...

PARCEIROS VER TODOS