Banho radicalizador

Por: Felipe Mello, Roberto Ravagnani
01 Março 2010 - 00h00

Domingo, 17 de janeiro de 2010, às 19h30: o grupo de 30 pessoas formado por integrantes dos Doutores Cidadãos e Encantadores, grupos de voluntários do Canto Cidadão1, chega à sede da organização.

Após um dia intenso de percepção, ação e sensação, o chuveiro se abre e acontece um banho radicalizador. Radical como a raiz, origem deste adjetivo.

Domingo, 17 de janeiro de 2010, às 7h30: o grupo deixa a sede da organização com destino a São Luiz do Paraitinga, município localizado a 170 quilômetros da capital de São Paulo. O objetivo, possível pretensão, era circular pelas ruas da cidade com os personagens palhaços distribuindo palavras, gestos, sorrisos e olhares aos moradores e voluntários que trabalhavam pela recuperação do local, castigado pelas fortes chuvas do início do ano. A altura da água ultrapassara os fios da rede de energia, deixando marcas de lama nas paredes das casas e emoções latentes em todos os moradores e visitantes.

Este tipo de banho até pode ser tomado com água morna ou quente. Contudo, a temperatura confortável muitas vezes impede o indivíduo de perceber as oportunidades de radicalizar em suas atitudes. A escolha da água fria desafia o lugar comum, cria oportunidade de arrepios e despertares. Radical: palavra oriunda do latim “rádis”, raiz. Mais seres radicalmente éticos, condição indispensável para qualquer esperança de civilidade.

Os voluntários conquistaram o seu espaço em um cenário desafiador, interagindo com idosos, adultos e crianças. Muitos outros protagonistas sociais também estavam por lá executando tarefas variadas. Nos locais de triagem das doações, a quantidade de mantimentos era a prova inequívoca da capacidade de ação solidária que o povo brasileiro possui. O potencial está latente, ainda que reativo. De que tamanho (especialmente no campo moral) poderá ficar este país quando a reação virar ação consciente e regular, antecipando os problemas com o olhar atento e protagonista.

No primeiro momento que a água fria atinge a nuca, o corpo inteiro estremece e rapidamente vem o desejo de acionar a torneira quente, restabelecendo a sensação confortável. Mas o enfrentamento da nova e adversa condição conduz a pessoa ao momento seguinte, em que a cabeça se ergue e a face passa a receber as gotas de aviso: desvendar de oportunidades.

A expedição social a São Luiz do Paraitinga comprovou o poder do gesto, da ética gentil em ação. Assumir o compromisso individual possível e diário da civilidade e gentileza em cargas crescentes em função dos desafios prementes. Momentos antes do retorno à capital, para onde os olhos mirassem era possível ver narizes vermelhos colorindo rostos e acendendo olhares2. Que venha um novo tempo para esta cidade e seu povo. Que venha um novo tempo para a família humana (resultante muito mais de direção correta que alta velocidade), que tem consigo o potencial. As tragédias têm o potencial de revelar este poder incubado em nossa espécie, o que desnuda a maior tragédia de todas: a necessidade delas para despertar a verdadeira boia de resgate que cada um carrega consigo. Ser voluntário é antecipar-se à tragédia, construindo aos poucos e sempre para não ter de reconstruir às pressas. Saúde e paz ao povo de Paraitinga.

O banho chegou ao fim. Banho radicalizador tomado de água fria. A torneira é fechada. Quem toma este banho verdadeiro deixa de ser a vítima dele. Passa a ser nova torneira, despertando atitudes por onde passa.

 

Tudo o que você precisa saber sobre Terceiro setor a UM CLIQUE de distância!

Imagine como seria maravilhoso acessar uma infinidade de informações e capacitações - SUPER ATUALIZADAS - com TUDO - eu disse TUDO! - o que você precisa saber para melhorar a gestão da sua ONG?

Imaginou? Então... esse cenário já é realidade na Rede Filantropia. Aqui você encontra materiais sobre:

Contabilidade

(certificações, prestação de contas, atendimento às normas contábeis, dentre outros)

Legislação

(remuneração de dirigentes, imunidade tributária, revisão estatutária, dentre outros)

Captação de Recursos

(principais fontes, ferramentas possíveis, geração de renda própria, dentre outros)

Voluntariado

(Gestão de voluntários, programas de voluntariado empresarial, dentre outros)

Tecnologia

(Softwares de gestão, CRM, armazenamento em nuvem, captação de recursos via internet, redes sociais, dentre outros)

RH

(Legislação trabalhista, formas de contratação em ONGs etc.)

E muito mais! Pois é... a Rede Filantropia tem tudo isso pra você, no plano de adesão PRATA!

E COMO FUNCIONA?

Isso tudo fica disponível pra você nos seguintes formatos:

  • Mais de 100 horas de videoaulas exclusivas gratuitas (faça seu login e acesse quando quiser)
  • Todo o conteúdo da Revista Filantropia enviado no formato digital, e com acesso completo no site da Rede Filantropia
  • Conteúdo on-line sem limites de acesso no www.filantropia.ong
  • Acesso a ambiente exclusivo para download de e-books e outros materiais
  • Participação mensal e gratuita nos eventos Filantropia Responde, sessões virtuais de perguntas e respostas sobre temas de gestão
  • Listagem de editais atualizada diariamente
  • Descontos especiais no FIFE (Fórum Interamericano de Filantropia Estratégica) e em eventos parceiros (Festival ABCR e Congresso Brasileiro do Terceiro Setor)

Saiba mais e faça parte da principal rede do Terceiro Setor do Brasil:

Acesse: filantropia.ong/beneficios

BAIXE GRATUITAMENTE
E-book Como começar uma⠀ONG

BAIXE GRATUITAMENTE

BAIXE GRATUITAMENTE
E-book 18 PASSOS essenciais para ajudar sua ONG

BAIXE GRATUITAMENTE

PARCEIROS VER TODOS