Quero Ser Notícia! O Que Eu Faço?

Por: Paula Craveiro
06 Dezembro 2016 - 19h25

 

Assessoria de imprensa é um recurso indispensável para a organização que pretende construir uma boa imagem e deseja ter seu trabalho divulgado nos meios de comunicação

Aparecer na mídia é, sem dúvida, uma excelente maneira de divulgar uma causa ou organização, assim como também é um ótimo modo de conquistar credibilidade e captar recursos.

Para conseguir um espaço nos meios de comunicação, é possível comprá-lo e publicar um anúncio ou informe publicitário sobre sua organização. No entanto, os custos dessa veiculação costumam ser muito altos e quase sempre estão fora do alcance das instituições do Terceiro Setor. Outra possibilidade – bem mais econômica – de ganhar esse espaço é a chamada mídia espontânea. “Conseguir um espaço de mídia espontânea é ser citado, sem custo algum, em matérias jornalísticas nos meios de comunicação. Sua aparição pode ser pequena, sendo citada apenas como exemplo de alguma situação abordada na matéria ou como fonte de referência sobre algum assunto, ou algo maior, com a divulgação da instituição propriamente dita e das causas por ela defendidas”, afirma Marcio Zeppelini, presidente do Instituto Filantropia e editor-chefe da Revista Filantropia.

Porém, conseguir um espaço nesses meios é um enorme desafio para as organizações sociais. Além do crescente número delas – estima-se que existam mais de 340 mil ONGs no Brasil –, a grande mídia tem uma extensa variedade de assuntos a tratar, e a área social ainda não tem muito peso na hora de escolher a pauta do dia.

Então, O Que Fazer?

Apesar de, neste primeiro momento, a situação não parecer muito favorável às organizações sociais, é possível, sim, alcançar essa mídia e colocar sua ONG em evidência. Para isso, é preciso contar com o respaldo de um serviço de comunicação chamado assessoria de imprensa.

“O trabalho de assessoria de imprensa consiste, de forma simplificada, no envio frequente, mas não exagerado, de informações de interesse jornalístico referentes ao seu assessorado para os veículos de comunicação em que atendam aos seus interesses institucionais. Esses veículos podem ser, por exemplo, jornais, revistas, rádios, portais de notícia, televisão, blogs especializados. Um trabalho continuado de assessoria permitirá a criação de um vínculo de confiança entre a entidade e os veículos de comunicação, e ajudará a sedimentar sua imagem de forma positiva na sociedade”, explica Aurimar Pacheco Ferreira, professor na Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação (FAPCOM) nos cursos de Comunicação Social e Filosofia.

Caso algum veículo de comunicação se interesse pelo assunto divulgado pela assessoria de imprensa, ele pode utilizar o texto recebido para publicação de notas ou agendar entrevistas com a fonte da informação. “Tanto a publicação de notas, como o agendamento de entrevistas e a publicação posterior de informações são atividades gratuitas, ou seja, são o que chamamos de mídia espontânea, pois não é necessário pagar por essa divulgação”, ele pontua.

O Que Faz Uma Assessoria De Imprensa?

“O papel da assessoria de imprensa é oferecer maior visibilidade ao cliente, serviço ou produto, tanto do ponto de vista midiático, pois torna o case mais notório junto a um público abrangente e consumidor dos veículos de comunicação, como também pode determinar as estratégias a serem seguidas para que estejam equiparadas aos outros players do mercado em que atua. Afinal, para que um assessorado amplie seu público-alvo é necessário ‘pensar fora da caixa’, e a divulgação dessas ideias, de forma qualificada e dirigida, tem sua diretriz determinada por uma equipe de assessoria de imprensa”, ressalta Thiago Paes, diretor da Retorno Comunicação Estratégica.

Entre as principais funções de uma assessoria estão, por exemplo:

  1. a criação de relações sólidas e de confiança entre os meios de comunicação e o assessorado, a fim de angariar respeito e credibilidade;
  2. a geração e a manutenção da boa imagem do cliente junto à opinião pública;
  3. a reunião e a apresentação de informações relacionadas ao assessorado, devidamente adequadas para que sejam interessantes à imprensa, distribuídas por meio de press releases, sugestões de pautas, comunidades, entre outros recursos pertinentes ao trabalho de assessoria de imprensa;
  4. a participação na definição de estratégias de comunicação; e
  5. a capacitação do assessorado para entender e lidar com a imprensa (media training – este é um dos temas abordados nesta edição especial da Revista Filantropia).

A rotina de uma assessoria de imprensa engloba, ainda, fornecer toda a estrutura para que os veículos de comunicação tenham um material amplo, atualizado e sólido a respeito de seu assessorado, de modo a garantir que este tenha destaque na mídia.

“Rapidez no atendimento aos jornalistas – afinal, o tempo de todos sempre é muito escasso, especialmente em tempos de redes sociais instantâneas –, cordialidade, linguagem de fácil entendimento ao transmitir uma informação – não achando que todos os leitores e jornalistas devam conhecer a área de atuação do cliente –, transparência e, principalmente, manter um bom relacionamento, de modo a fazer de seu cliente uma referência quando um jornalista quiser buscar dados sobre o mercado em que atua são partes essenciais do cotidiano de um assessor de imprensa”, complementa Paes.

Benefícios

O trabalho de assessoria de imprensa, geralmente realizado por profissionais graduados em Jornalismo ou Relações Públicas, quando bem executado, gera uma série de benefícios ao seu cliente. “Quando bem assessorado, o cliente passa a ter mais visibilidade; credibilidade junto à imprensa e, consequentemente, ao grande público; e vê sua marca fortalecida a partir da difusão de informações positivas”, pontua Aurimar Pacheco, da FAPCOM.

Outra vantagem desse trabalho é o aumento na procura pelo público e por possíveis parceiros, o que pode acabar contribuindo para a captação de recursos, sejam eles financeiros, humanos, tecnológicos ou materiais.

www.fapcom.edu.br | www.fb.com/retornocomunicacao | www.institutofilantropia.org.br

Tudo o que você precisa saber sobre Terceiro setor a UM CLIQUE de distância!

Imagine como seria maravilhoso acessar uma infinidade de informações e capacitações - SUPER ATUALIZADAS - com TUDO - eu disse TUDO! - o que você precisa saber para melhorar a gestão da sua ONG?

Imaginou? Então... esse cenário já é realidade na Rede Filantropia. Aqui você encontra materiais sobre:

Contabilidade

(certificações, prestação de contas, atendimento às normas contábeis, dentre outros)

Legislação

(remuneração de dirigentes, imunidade tributária, revisão estatutária, dentre outros)

Captação de Recursos

(principais fontes, ferramentas possíveis, geração de renda própria, dentre outros)

Voluntariado

(Gestão de voluntários, programas de voluntariado empresarial, dentre outros)

Tecnologia

(Softwares de gestão, CRM, armazenamento em nuvem, captação de recursos via internet, redes sociais, dentre outros)

RH

(Legislação trabalhista, formas de contratação em ONGs etc.)

E muito mais! Pois é... a Rede Filantropia tem tudo isso pra você, no plano de adesão PRATA!

E COMO FUNCIONA?

Isso tudo fica disponível pra você nos seguintes formatos:

  • Mais de 100 horas de videoaulas exclusivas gratuitas (faça seu login e acesse quando quiser)
  • Todo o conteúdo da Revista Filantropia enviado no formato digital, e com acesso completo no site da Rede Filantropia
  • Conteúdo on-line sem limites de acesso no www.filantropia.ong
  • Acesso a ambiente exclusivo para download de e-books e outros materiais
  • Participação mensal e gratuita nos eventos Filantropia Responde, sessões virtuais de perguntas e respostas sobre temas de gestão
  • Listagem de editais atualizada diariamente
  • Descontos especiais no FIFE (Fórum Interamericano de Filantropia Estratégica) e em eventos parceiros (Festival ABCR e Congresso Brasileiro do Terceiro Setor)

Saiba mais e faça parte da principal rede do Terceiro Setor do Brasil:

Acesse: filantropia.ong/beneficios

PARCEIROS VER TODOS