Como anda julgando as pessoas?

Por: Marcio Zeppelini
13 Outubro 2014 - 20h23

shutterstock 145092925 1

O vendedor de queijos

Certa vez, em uma cidade do interior de Minas, um padeiro foi ao delegado e deu queixas do vendedor de queijos que segundo ele estava roubando, pois vendia 800 gramas de queijo e dizia estar vendendo 1 quilo.

O delegado pegou o queijo de 1 quilo e constatou que só pesava 800 gramas e mandou então prender o vendedor de queijos sob a acusação de estar fraudando a balança.

O vendedor de queijos ao ser notificado da acusação, confessou ao delegado que não tinha peso em casa e por isso, todos os dias comprava dois pães de meio quilo cada, colocava os pães em um prato da balança e o queijo em outro e quando o fiel da balança se equilibrava ele então sabia que tinha um quilo de queijo.

O delegado para tirar a prova mandou comprar dois pães na padaria do acusador e pode constatar que dois pães de meio quilo se equivaliam a um quilo de queijo. Concluiu o delegado que quem estava fraudando a balança era o mesmo que estava acusando o vendedor de queijos.

O juiz também é réu

Temos vícios e erros. Mas muitas vezes julgamos os outros sem antes olharmos para dentro de nós mesmos. Julgamos os vícios dos outros sem perceber que temos vícios iguais ou piores. E, assim, com a mesma voracidade que você julga, um dia será condenado.

Se você busca a melhoria de algum fato que faz parte de sua vida, faça uma auto-crítica antes de criticar os demais. Quais são os pontos que você pode melhorar? Quais são seus erros e como pode consertá-los? Feito isso, você terá melhor capacidade e argumentos mais fundamentados.

Pense nisso! Aproveite o final de semana para fazer uma auto-crítica de suas atitudes!

Abraços sustentáveis,

Marcio Zeppelini

 

Uma faca tem dois lados. O do corte e o do cabo de madeira. Ambos são úteis, mas ambos podem te machucar.

(MARCIO ZEPPELINI)

PARCEIROS VER TODOS