Onde você anda guardando o seu tesouro?

Por: Marcio Zeppelini
20 Outubro 2014 - 12h28

shutterstock 72506416 1

O tesouro roubado

Depois de uma vida de misérias e privações, o peão conseguiu juntar um tesouro, o qual enterrou longe de casa, em um lugar ermo, e colocou uma grande pedra em cima. Mas tal era o seu amor pelo dinheiro que volta e meia rondava a pedra, e a namorava como o jacaré namora os seus próprios ovos ocultos na areia. Isso atraiu a atenção de um vizinho, que o espionou e, por fim, roubou-lhe o tesouro.

Quando o peão percebeu o saque, rolou por terra desesperado, arrancando os cabelos.

- Meu tesouro! Minha alma! Roubaram minha alma! Um viajante que passava foi atraído pelos berros.

- Que é isso, homem?

- Meu tesouro! Roubaram meu tesouro!

- Mas morando lá longe você o guardava aqui, então? Que tolice! Se o conservasse em casa não seria mais cômodo para gastar dele quando fosse preciso?

- Gastar do meu tesouro!? Então você supõe que eu teria a coragem de gastar uma moedinha só, mesmo que das menores?

- Pois se era assim, o tesouro não tinha para você a menor utilidade, e tanto faz que esteja com quem o roubou ou enterrado aqui. Vamos! Ponha no buraco vazio uma pedra, que dá no mesmo. Que utilidade tem o dinheiro para quem só o guarda, e não o gasta?

Do livro: Fábulas (Monteiro Lobato)

Tesouro é o que é bem aproveitado!

Guardar dinheiro e ter uma reserva para alguma emergência é sempre muito importante. Mas daí a fazer dessas aplicações algo intocável já é uma tolice.

O maior tesouro de um ser humano é o conjunto de experiências pelas quais ele passou. É tão valioso que não pode ser colocado em testamento, e nem mesmo pode ser transferido em vida. É algo que só o indivíduo que o possui sabe do seu real valor.

Aplique seu dinheiro no que mais vale para você: sua vida.


Abraços sustentáveis,


Marcio Zeppelini


"Perder experiências é maior prejuízo do que perder tostões!"

MARCIO ZEPPELINI

PARCEIROS VER TODOS