Você tem medo de aproveitar sua vida?

Por: Marcio Zeppelini
30 Outubro 2015 - 15h13

shutterstock 64512922

O par de patins

José era apaixonado por patins. Era tudo o que ele queria na vida. Pediu, implorou, tanto fez que, um belo dia, eis que conseguiu! Ficou muito feliz com o par de patins, tão feliz que não desgrudava deles um só minuto.

Era dia e noite, o menino e os patins.

Só que, no primeiro tombo, no primeiro arranhão, ele ficou com muito medo dos patins e resolveu guardá-los. Os patins ainda eram a coisa que ele mais queria naquele momento. O que ele mais gostava de fazer era estar com eles. Mas ele preferiu não arriscar e não usá-los mais, pois poderia se machucar e se ferir.

O tempo foi passando, e os patins ficaram guardados. Passaram-se anos, e o garoto se esqueceu dos patins.

Então, um belo dia, ele se lembra e sente muita saudade daqueles patins! Resolve recuperar o tempo perdido. Vai até o armário, revira tudo e, finalmente, encontra-os. Corre para calçá-los e, aí, tem uma surpresa: os patins não cabem mais nos seus pés.

O menino, acometido de uma profunda tristeza, chora e lamenta os anos perdidos, lamenta o que não vai mais poder recuperar. É claro que ele poderia comprar outro par, mas nunca seriam iguais àqueles...

Não guarde seus patins!

A vida passa rápido demais para você guardar seus sonhos para depois. Há uma imensidão de vontades e desejos guardados dentro de você - busque-os antes que seja tarde.

Às vezes, ficamos acometidos por simbologias ou rótulos que a sociedade nos impõe e que dificultam extravasar nossos sentimentos, colocando à tona tudo aquilo que realmente desejamos. A "Zona de Conforto" parece bastante saudável: não andando de patins, não me machucarei. Mas nos esquecemos que também "não estamos andando de patins". Ou seja, supostamente para nos proteger, estamos desperdiçando nossa vida.

Viver intensamente é um direito (eu arriscaria dizer que é um dever) que todos nós temos. E devemos buscar isso. Ninguém tem o direito de tolher nossos sentimentos, castrar nossos desejos ou simplesmente fazer com que a vida passe sem que possamos ser nós mesmos.

A mudança é difícil, mas acredite: o sacrifício é temporário - a mudança é para sempre!

Abraços sustentáveis,

MARCIO ZEPPELINI

Em tempo: semana passada disse que não faria a coluna, pois estaria de férias - de fato, estou. Mas a distância e as saudades (estou nos Estados Unidos) nos empoderam a mente para reflexões mais profundas sobre nossa existência na Terra.

Dedico a coluna de hoje, então, a todos aqueles que se amam mas que, por razões diversas, estão fisicamente longe um do outro. Em especial, à minha filha Tamara, que hoje completa 22 aninhos, e há 10 anos mora a 2 mil km de distância de mim (em Salvador/BA).

Então, Tamara e demais leitores: Tire os patins do armário e viva a vida intensamente!


"Há uma imensidão de vontades e desejos guardados dentro de você - busque-os antes que seja tarde" 

Marcio Zeppelini

PARCEIROS VER TODOS