Prêmio 10: História que mobiliza

Por: Revista Filantropia
01 Setembro 2010 - 00h00

A Revista Filantropia e a Resource Alliance promoveram a segunda edição do prêmio Uma Boa História Mobiliza. O objetivo era estimular a divulgação de experiências interessantes de captação de recursos vividas pelas organizações sociais. Dentre as 64 histórias enviadas, os três vencedores, de diferentes regiões do país, mostraram que, com criatividade e dedicação, é possível mudar realidades.

Conheça agora as histórias do projeto Cabra é Bom, de Pernambuco; do Instituto Rodrigo Mendes, de São Paulo; e do Socorro aos Necessitados, do Paraná.

Associação de Desenvolvimento Comunitário Rural Dona Quitéria/Pernambuco – PE

Para ajudar pessoas carentes que vivem no interior de Pernambuco, a Associação de Desenvolvimento Comunitário Rural Dona Quitéria desenvolve o projeto Cabra é Bom. A iniciativa funciona da seguinte forma: doa-se uma cabra para as pessoas, que se comprometem a cuidar do animal até que ele dê cria. Dessa forma, um dos filhotes, preferencialmente fêmea, é devolvido ao projeto para dar continuidade à ação, sendo doado para outra pessoa.

Certa vez foi doada uma cabra a uma senhora muito pobre que tinha sido mãe recentemente. No mesmo período, a cabra também deu cria. A senhora, por ter problemas para amamentar o seu bebê, utilizou o leite do animal. O aprendizado foi tremendo para todos da comunidade. Como diz o ditado em nossa região, ‘com uma cajadada matamos dois coelhos’: o bebê e o filhote da cabra foram alimentados.

A história foi um aprendizado para todos da comunidade. O leite da cabrinha supriu a falta do leite da mãe. E a ideia do projeto é justamente essa: suprir as necessidades das pessoas para que elas possam ter seu rebanho. www.igrejaobpc.com.br

Instituto Rodrigo Mendes/São Paulo – SP

Era apenas uma tarde de domingo e Rodrigo esperava por um simples encontro com os amigos. Seu grande desejo era ser médico, mas o convite para dar aulas de pintura surgiu por acaso. Em um primeiro momento, o mundo das artes pareceu uma ideia pouco atrativa. Mas diante das intensas sessões de fisioterapia, a atividade poderia tornar os seus dias mais interessantes.

Em pouco tempo, várias aquarelas coloriam o seu quarto, despertando o interesse daqueles que o visitavam.
O entusiasmo era tanto que amigos e familiares se mobilizaram para organizar uma pequena exposição. E quem poderia imaginar que dessa iniciativa surgiria um projeto social? Essa experiência foi tão marcante para o processo de recuperação do Rodrigo que ele fez questão de compartilhar sua história com outras pessoas. A partir desse fato, nasceu o Instituto Rodrigo Mendes.

A organização social desenvolve programas de inclusão nos campos da Arte e da Educação. O objetivo principal é investir em ações que gerem oportunidade para pessoas em situação de vulnerabilidade. Como parte das atividades pedagógicas, desde 1997, ao final de cada ano letivo, são organizadas exposições com a produção dos alunos.
Para valorizar o trabalho artístico e gerar renda tanto para os autores das obras quanto para o instituto, foi criado
um Banco de Imagens que realiza a catalogação digital desse acervo. Em geral, 20% do valor da venda da arte é revertida para o aluno e 80% para a sustentabilidade das ações do instituto. Dependendo do formato da parceria, esse modelo pode ser alterado.

Hoje, as imagens estampam produtos de importantes empresas como Tilibra, Bauducco e Artex, e uma coleção própria de porcelanas é vendida no varejo e no mercado corporativo. Como resultado, já foram gerados mais de R$ 100 mil em direitos autorais e mais de R$ 75 mil com a venda das obras. E esta história não para por aqui. Este ano duas novas parcerias foram fechadas.

A produção artística interna representou um grande ativo para o instituto. Isso serviu como ponto de partida para a criação de uma área de autossustentabilidade financeira. O histórico do relacionamento com os clientes do Banco de Imagens aponta para outros importantes aprendizados: evitar a postura do instituto de mero assistencialista, construir parcerias a partir de um entendimento de benfeitorias para ambas as partes, ter cuidado na forma como a parceria será divulgada na mídia e no próprio ponto de venda do parceiro, além da publicação dos resultados alcançados.
Outro ponto importante foi a busca pela profissionalização da exploração do Banco de Imagens. Para se manter competitivo no mercado e atender a demanda de importantes empresas, é indispensável que a organização proponha e respeite padrões de qualidade e estética dos produtos. Para isso, o instituto estabeleceu uma parceira com uma empresa especialista em licenciamento e design com o objetivo de padronizar e garantir a sua identidade visual.

Esses itens contribuíram para o fortalecimento e a valorização do trabalho, aumentando a credibilidade institucional
que é também um importante ativo do instituto, sendo indispensável no momento da prospecção e no desenvolvimento de novas parcerias.

Além da geração de recursos e do orgulho de associar o trabalho da organização a marcas importantes, essas parcerias permitiram, por meio da sua capilaridade e de seus canais de distribuição, levar a causa e o trabalho do instituto para o conhecimento de um número maior de pessoas, inclusive para outros países da América do Sul.

Por isso, o maior ganho da organização com todos esses aprendizados foi valorizar criativamente a produção
dos programas pedagógicos. Por meio deles, desenvolvemos uma alternativa de sustentabilidade para suas atividades, buscando sempre atualizações e melhorias para competir e criar, profissionalmente, novas ideias e oportunidades. www.institutorodrigomendes.org.br

Socorro aos Necessitados/Curitiba – PR

Em 1941, um grupo de empresários do Paraná decidiu criar uma associação civil de caráter filantrópico – a Socorro aos Necessitados. A instituição presta assistência a idosos e crianças carentes, abrigando-os em lugares apropriados: creches e centros de permanência. Atualmente, a entidade mantém o Lar dos Idosos Recanto do Tarumã; o Centro de Educação Infantil Meu Pequeno Reino; e o Centro de Atenção à Pessoa Idosa.

Nesses anos de atuação, algumas campanhas foram desenvolvidas, em especial a Resgatando Sonhos, realizada
para mobilizar recursos em prol do Lar dos Idosos Recanto do Tarumã. Detalhe: a verba para implementá-la era nenhuma! Então, o primeiro passo foi reunir gestores e atuais parceiros (fotógrafo, agência de comunicação, assessoria de imprensa etc.). Nessa reunião ficou decidido que iríamos trabalhar o conceito Regatando Sonhos para desmitificar a ideia de que asilo é um lugar para se esperar a morte chegar.

Com o roteiro finalizado, o passo seguinte era realizar a produção das fotos para a campanha. E foi em um clima de glamour, emoção e nostalgia que o trabalho foi produzido.

De um lado, cinco idosos moradores do lar entusiasmados com a ideia de registrar os seus sonhos. Do outro, cinco personalidades curitibanas sensibilizadas com a possibilidadede mudar essas e outras vidas para melhor.

Sossela foi o profissional responsável pela sessão de fotos, que registrou os participantes em duplas de acordo com o hobby, profissão e sonho. Ari Leitolesg, 72, fez par com a dj Bibba Pacheco, compartilhando a paixão pela dança. César Massa, engenheiro agrônomo, 64, dividiu o comando do avião bimotor com o piloto Eloy Biesuz. O jardineiro
Pedro Silva, 91, exibiu girassóis ao lado do empresárioMauro Tessler. Altevir Bozza, 74, tocou violino com o maestro Paulo Torres. E Jorge Xavier de Barros, 85, escreveu poesias com a escritora Anita Zippin.

Essa iniciativa nos fez aprender que da necessidade surge a oportunidade. A solução para um problema normalmente
é simples e está na própria instituição. Todos se solidarizam por uma boa causa e por uma boa história.
Como toda entidade do Terceiro Setor, nosso maior desafio é a sustentabilidade financeira. Surge daí outra grande dificuldade: como vender o nosso peixe? Como contar a nossa história? Como ter um diferencial? Como ter destaque? Como chamar a atenção? Como despertar o interesse? Como sensibilizar e mobilizar recursos para a causa do idoso?
Aprendemos, sem dúvida, que “uma boa história mobiliza”. Mobiliza todos os tipos de recursos. Nossos resultados
com a campanha foram: venda de camiseta, visibilidade, divulgação, mídia espontânea, doações, visitas, voluntariado, parcerias e alianças. A iniciativa começou como uma ação pontual, mas, por força da mídia, surgiram parceiros e mais parceiros. Fizemos um “repique” da campanha e a venda das camisetas tornou-se permanente.

Por meio da mobilização de recursos percebemos a importância do planejamento participativo e de um plano de comunicação integrado e eficaz. Não basta ter uma ideia, é preciso acreditar, mobilizar parceiros e fazer acontecer.
Para o desenvolvimento pleno da instituição ainda é necessária a profissionalização da gestão. Constatamos a importância do trabalho em equipe e a necessidade de estarmos preparados para os ajustes e para aproveitar as oportunidades.

A campanha foi um sucesso e virou case da instituição, inclusive já apresentado em universidades e outras ONGs. Para as pessoas envolvidas, a ação gerou a consolidação do posicionamento da organização e o resgate dos sonhos, além de proporcionar principalmente motivação, sinergia, alegria, contentamento. Nesse caso, “vestir a camisa” não é apenas uma metáfora.

“Quando se sonha sozinho é apenas um sonho. Quando se sonha junto é o começo da realidade”. (D. Quixote)

ww.socorroaosnecessitados.org.br

 

 

PARCEIROS VER TODOS