Novembro azul e o câncer de próstata

Por: Thaís Iannarelli
03 Novembro 2015 - 20h14
Após o outubro rosa, entramos no mês de novembro, que será colorido com a cor azul! A iniciativa visa conscientizar a população masculina sobre a importância da realização dos exames periódicos relacionados à doença e seu diagnóstico precoce.

A primeira comemoração aconteceu em 2000, na Austrália e a iniciativa se espalhou para o mundo e agora comemoramos no dia 17 de novembro o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata.
Segunda a pesquisa da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) quase 50% dos brasileiros nunca foram ao urologista e 47% dos homens entrevistados nunca fizeram o exame de toque retal, que é fundamental para detectar o câncer de próstata. Hoje a doença atinge cerca de 60 mil homens todos os anos no Brasil, sendo a neoplasia maligna mais comum no público masculino. Contudo, quando o câncer de próstata é detectado precocemente, o índice de cura ocorre em aproximadamente 90% dos casos. 
Desde 2013, a SBU recomenda, baseada em trabalhos científicos publicados nos últimos anos, que o exame de toque retal seja feito a partir dos 50 anos para homens sem casos na família e aos 45 anos para negros e homens com casos na família. Em sua fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas, por isso a consulta anual ao urologista é indispensável para o acompanhamento da glândula.
 
As causas do câncer de próstata ainda são desconhecidas, embora apareça com mais frequência em homens com mais de 65 anos de idade. As chances de desenvolver a doença aumentam em até dez vezes se já houve algum caso de câncer de próstata na família, comopai ou irmão. Outros fatores, como o estilo de vida, alimentação inadequada à base de gordura animal e pobre em frutas, legumes, verduras e grãos também podem interferir no surgimento da doença.
Fonte: Câmara dos Deputados

PARCEIROS VER TODOS