Natureza e sociedade em harmonia

Por: Thaís Iannarelli
01 Janeiro 2009 - 00h00

A busca pela inclusão social e preservação do meio ambiente fazem parte do dia-a-dia da Fundação Odebrecht. Criada em 1965, a instituição privada sem fins lucrativos é mantida pela Organização Odebrecht e tem como missão promover a educação de jovens para a vida e o trabalho, visando à sua formação como cidadãos responsáveis, conscientes, participativos e solidários. “Acreditamos que estamos ajudando a formar uma nova classe média rural estruturada para a vida produtiva, educada e saudável, e também contribuindo para a realização pessoal e profissional de jovens nos lugares onde nasceram e querem viver”, explica Maurício Medeiros, presidente executivo da fundação.

A atuação principal da fundação se concentra na região do Baixo Sul da Bahia, com foco na Área de Proteção Ambiental (APA) do Pratigi. “Desde 2003, a Fundação Odebrecht apoia o Programa de Desenvolvimento Integrado e Sustentável dessa região, beneficiando as comunidades de 11 municípios”, conta Maurício.

Segundo ele, a estratégia de ação do programa encontra inspiração na própria natureza. “Funciona como as partes de um único ecossistema: o capital humano, que se refere à educação de qualidade adaptada à realidade do campo; o ambiental, com a utilização racional dos recursos naturais; o produtivo, com a geração de trabalho digno e justa distribuição de renda por meio da implantação de cadeias produtivas; e o social, garantindo o acesso à justiça e aos direitos básicos. Esses itens são fomentados de forma concomitante, sinérgica e interdependente, tendo como referência os Oito Objetivos do Milênio e a Carta da Terra”.

Outro objetivo da fundação é consolidar um modelo de desenvolvimento integrado e sustentável para áreas de proteção ambiental. “É importante que esse modelo seja passível de replicação em outros contextos e tenha potencial para se tornar política pública no Brasil”, diz Maurício.

Responsabilidade social

O comprometimento com a qualidade e a produtividade sempre figuraram na pauta da empresa. “A organização cumpre a responsabilidade social ao apoiar projetos necessários às comunidades, gerar recursos para o Estado, criar oportunidades de trabalho e desenvolvimento pessoal e dividir os resultados com seus integrantes e acionistas”, conta Maurício.

Em 2007, a empresa Odebrecht investiu R$ 41,1 milhões em 47 projetos culturais, 176 projetos sociais e 30 projetos ambientais. O trabalho realizado pela fun-dação, entretanto, não está ligado a nenhuma obra da construtora. Segundo Maurício, “a nossa contribuição é extra e tem como meta contribuir com uma causa”.

Projetos desenvolvidos

Ao todo, são 13 Oscips (organizações da sociedade civil de interesse público) e cooperativas ligadas ao Programa de Desenvolvimento Integrado e Sustentável do Baixo Sul da Bahia. Para formar essa integração, leva-se em conta o capital produtivo, social, humano e ambiental, abordados em diferentes projetos do Baixo Sul da Bahia:

  • Capital produtivo: quatro cadeias produtivas levam oportunidades de trabalho e renda digna até as comunidades dos 11 municípios do Baixo Sul – mandioca, aquicultura, palmito e piaçava;
  • Capital humano: o objetivo é levar educação de qualidade para os jovens da região por meio de quatro casas familiares: Casa Familiar Rural de Presidente Tancredo Neves, Casa Familiar do Mar de Cairu, Casa Familiar Agroflorestal de Nilo Peçanha e Casa Familiar Rural de Igrapiúna. Essas unidades funcionam com uma metodologia chamada Pedagogia da Alternância, pela qual os jovens passam uma semana em regime de internato, com aulas na sala e no campo, e duas semanas em suas propriedades, aplicando seus novos conhecimentos sob o acompanhamento de monitores especializados.

Outra iniciativa é a Casa Jovem, em Igrapiúna, que se propõe a promover a educação de qualidade no campo por meio da capacitação de professores de estabelecimentos públicos de ensino e do desenvolvimento de uma tecnologia educacional orientada para o trabalho rural.

  • Capital ambiental: a Organização de Conservação de Terras (OCT) tem a missão de promover a conservação do solo, da flora, da fauna e dos recursos hídricos do Baixo Sul por meio de projetos sustentáveis e inclusivos. Atualmente, concentra esforços nas articulações de políticas públicas e na mobilização de recursos. Já a Associação Guardiã da APA do Pratigi (Agir), representativa da APA e suas comunidades, é o instrumento de integração social entre as comunidades da região, ou seja, o espaço para compartilhamento de valores e identificação de objetivos;
  • Capital social: o Instituto Direito e Cidadania (IDC) fomenta o capital social ao contribuir para o desenvolvimento da cidadania por meio da democratização do acesso à justiça e da educação. Trabalha também para a conscientização da comunidade e para a disseminação da democracia participativa mediante a educação para a cidadania, a estruturação e o fortalecimento das organizações sociais.

Parcerias

A Fundação Odebrecht atua diretamente com parcerias com instituições locais, facilitando seu acesso a grandes empresas e organizações. “Anualmente, é elaborado um programa de ação por instituição apoiada, no qual resultados, orçamentos e prazos são pactuados e acompanhados mensalmente por meio de relatórios”, explica Maurício. “Nesse processo, nossa participação é constante, permitindo a transferência de tecnologia empresarial para profissionalizar as organizações de base sem, no entanto, ferir a cultura e a identidade das comunidades”, complementa.

No lugar de ações assistencialistas, é praticado o investimento social privado, ou seja, o repasse de recursos é feito de maneira sistemática e monitorada. “Esse tipo de apoio permitiu, por exemplo, que, em 2006, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) aportasse US$ 1,1 milhão no programa, reconhecendo internacionalmente seu impacto positivo, a consistência dos resultados já obtidos e seu potencial de reaplicação”.

Em 2007, a Organização das Nações Unidas também se tornou parceira da iniciativa após identificar que a proposta do Baixo Sul da Bahia convergia com os Oito Objetivos do Milênio.

Metas para o futuro

A Fundação Odebrecht pretende aprimorar seus trabalhos daqui para frente. De acordo com Maurício Medeiros, o sonho é que a fundação seja referência em ações sociais, transferindo o aprendizado já adquirido.

“Temos três metas básicas: formar jovens lideranças locais que possam assumir projetos em andamento no Baixo Sul; fortalecer as cadeias produtivas, alcançando a auto-sustentabilidade e buscando a certificação dos produtos; e, por fim, consolidar e sistematizar um modelo de manejo sustentável de APAs passível de replicação em outros contextos, com potencial para se tornar política pública no Brasil.

Link
www.fundacaoodebrecht.org.br

EDITAIS FILANTROPIA PLATAFORMA ÊXITOS
14.822
Oportunidades Cadastradas
9.564
Modelos de Documentos
3.008
Concedentes que Repassam Recursos
Prazo
19 Nov
2019
13º Prêmio Ozires Silva de Empreendedorismo Sustentável
Prazo
24 Nov
2019
Lab Cidadania
Prazo
25 Nov
2019
UNESCO World Heritage Volunteers (WHV 2019) – Let’s...
Prazo
29 Nov
2019
11º Edital SulAmérica Para Apoio a Projetos Sociais
Prazo
15 Dez
2019
SUEZ - Institut de France Award 2019-2020
Prazo
20 Dez
2019
Programa VOA
Prazo
25 Jan
2020
Environmental Curricula Grants
Prazo
31 Mar
2020
United Nations Voluntary Fund on Disability
Prazo
Contínuo
Mitsubishi Corporation Foundation for the Americas
Prazo
Contínuo
Oak Foundation’s - Issues Affecting Women Programme

Cursos Relacionados

PARCEIROS VER TODOS