Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

Por: Thaís Iannarelli
01 Setembro 2004 - 00h00
Conhecida como Abong, a associação nasceu em 1991 para representar organizações não-governamentais do Estado de São Paulo. Promovendo o intercâmbio entre as ONGs, a Abong possui cerca de 270 associadas que atuam em diversas áreas, como direitos humanos, desenvolvimento, meio-ambiente, políticas públicas, entre outras.

Com sede em São Paulo, a associação atua em todas as regiões do Brasil e tem grande enfoque em organizações com perfis políticos que buscam sociedades justas e lutam contra a exclusão e as diferenças sociais. Os serviços oferecidos são basicamente a representação em fóruns regionais e nacionais, publicações feitas pela Abong (cadernos, jornais e informes) e atividades de capacitação, como seminários e workshops. "Ao se associarem a Abong, as ONGs adquirem um instrumento de representação coletiva na esfera pública e de interlocução com o Estado, movimentos sociais, e outras organizações da sociedade civil. Além disso, a Abong já estabeleceu um padrão reconhecido de credibilidade e isso representa um inegável benefício para as suas associadas", declara Jorge Eduardo Durão, diretor geral da Abong desde 2003.

Modelo de organização

Preocupada em manter um modelo organizacional para trabalhar junto à sociedade, a Abong desenvolveu um Programa de Desenvolvimento Institucional (DI), contando com o apoio das agências EZE, ICCO e Fundação Kellogg. A associação apóia grupos ligados ao desenvolvimento institucional, como o International Forum on Capacity Building (IFCB) e o Grupo de Estudos do Terceiro Setor (GETS).

Atuação com enfoque político

A preocupação com ações ligadas à política é o maior enfoque da Abong. Promover interação entre a sociedade civil e os órgãos públicos e governos e contribuir para o fortalecimento da democracia são dois exemplos de objetivos da associação. Como esses, aprofundar temas políticos, fortalecer o desenvolvimento institucional e impulsionar a articulação entre associações nacionais e redes de ONGs da América Latina também são metas que a Abong procura continuamente atingir. "A participação nas atividades da Abong abre um importante campo de intercâmbio para as ONGs que a ela se associam. A Abong investe sistematicamente no desenvolvimento institucional de suas associadas", complementa Durão.

Como se associar

Para se tornar um associado da Abong, é preciso seguir alguns critérios:

  • possuir CNPJ e personalidade jurídica como associação civil sem fins lucrativos ou fundação;
  • ter autonomia frente ao Estado, igrejas, partidos políticos e movimentos sociais;
  • manter compromisso em construir uma sociedade democrática e participativa e em ampliar o campo da cidadania;
  • ter caráter público em relação aos objetivos e ações;
  • ter ao menos dois anos de experiência comprovada.

Além disso, é preciso apresentar os documentos exigidos e estar de acordo com a carta de princípios da Abong.

www.abong.org.br

PARCEIROS VER TODOS