As gerações X, Y e Z no trabalho voluntário

Por: Revista Filantropia
01 Março 2012 - 00h00
Um dos assuntos mais debatidos na área de gestão de pessoas é a evolução das gerações, suas características e como lidar com cada uma no ambiente de trabalho. Nos programas de voluntariado não é diferente: a mistura entre a experiência de quem já realiza há muito tempo e o oxigênio de quem está chegando com um novo jeito de olhar o mundo enriquece e agrega um valor imensurável às organizações.
As gerações ganharam nomes, foram descritas por suas características e aspectos pessoais de acordo com sua época. A proposta aqui não é generalizar os comportamentos de que um é jovem e outro é idoso, mas sim entender as características segundo o momento histórico de cada indivíduo. Mas, como é entender essa nova forma de classifcar as gerações e como isso pode contribuir para mais sucesso na gestão dos programas de voluntariado?
Começando na década de 1930-1940, temos a chamada geração Baby Boomer. Os nascidos nesse período têm como principal característica a disciplina e a paciência. Essa geração foi seguida pela geração X, que criou uma ruptura com tudo o que já existia. São os nascidos entre 1950 e 1970. Chegaram para reivindicar, revolucionar, lutar por igualdades civis e cidadania. Essa geração se caracteriza pela lealdade e pela busca de competência e excelência.
Chegamos, então, à geração do milênio, a geração Y: os nascidos entre 1980 e 2000 que, desde cedo, já estavam conectados à internet, cheios de conhecimento tecnológico em meio à globalização, em que tudo é acelerado. Esses indivíduos trazem um desejo enorme de se divertir, de fazer do trabalho um espaço agradável e descontraído. O mundo para eles não tem fronteiras, e estão em aprendizado contínuo.
Temos ainda a geração Z, formada por indivíduos constantemente conectados por meio de dispositivos portáteis e preocupados com o meio ambiente. Essa geração não tem data definida: seus integrantes podem ser da geração Y, já que a maioria dos autores afirma que o nascimento das pessoas da geração Z se deu entre 1990 e 2009.
Ao todo, 2,9 mil jovens entre 18 e 24 anos, das gerações Y e Z, responderam à pesquisa Sonho Brasileiro, aplicada em 173 cidades de 23 Estados do Brasil nos últimos meses. O resultado mostrou que o jovem de hoje não é individualista: 74% deles disseram estar preocupados em fazer algo pelo coletivo no dia a dia. Ou seja, melhorar e transformar o mundo em que vivemos.
Acontece que esse jovem quer fazer isso sem deixar de ganhar o seu próprio dinheiro, sem abrir mão de sua independência financeira. A conclusão é que, hoje, o ideal para o jovem é conciliar trabalho e transformação social.
Essa mistura de gerações está mudando o mundo! A proposta de entender cada uma delas, e de ouvir o que elas têm a dizer, possibilita mais compreensão e menos conflito, sem críticas nem julgamentos. O gestor dos programas de voluntariado deve estar atento às características de cada uma para trazer à tona o que têm de melhor: em outras palavras, a fidelização da geração X associada ao forte desejo de transformar das gerações Y e Z. Gerações marcam um modo de ser e não envelhecem jamais!

Tudo o que você precisa saber sobre Terceiro setor a UM CLIQUE de distância!

Imagine como seria maravilhoso acessar uma infinidade de informações e capacitações - SUPER ATUALIZADAS - com TUDO - eu disse TUDO! - o que você precisa saber para melhorar a gestão da sua ONG?

Imaginou? Então... esse cenário já é realidade na Rede Filantropia. Aqui você encontra materiais sobre:

Contabilidade

(certificações, prestação de contas, atendimento às normas contábeis, dentre outros)

Legislação

(remuneração de dirigentes, imunidade tributária, revisão estatutária, dentre outros)

Captação de Recursos

(principais fontes, ferramentas possíveis, geração de renda própria, dentre outros)

Voluntariado

(Gestão de voluntários, programas de voluntariado empresarial, dentre outros)

Tecnologia

(Softwares de gestão, CRM, armazenamento em nuvem, captação de recursos via internet, redes sociais, dentre outros)

RH

(Legislação trabalhista, formas de contratação em ONGs etc.)

E muito mais! Pois é... a Rede Filantropia tem tudo isso pra você, no plano de adesão PRATA!

E COMO FUNCIONA?

Isso tudo fica disponível pra você nos seguintes formatos:

  • Mais de 100 horas de videoaulas exclusivas gratuitas (faça seu login e acesse quando quiser)
  • Todo o conteúdo da Revista Filantropia enviado no formato digital, e com acesso completo no site da Rede Filantropia
  • Conteúdo on-line sem limites de acesso no www.filantropia.ong
  • Acesso a ambiente exclusivo para download de e-books e outros materiais
  • Participação mensal e gratuita nos eventos Filantropia Responde, sessões virtuais de perguntas e respostas sobre temas de gestão
  • Listagem de editais atualizada diariamente
  • Descontos especiais no FIFE (Fórum Interamericano de Filantropia Estratégica) e em eventos parceiros (Festival ABCR e Congresso Brasileiro do Terceiro Setor)

Saiba mais e faça parte da principal rede do Terceiro Setor do Brasil:

Acesse: filantropia.ong/beneficios

PARCEIROS VER TODOS