Aqueles que querem ver

Por: Revista Filantropia
01 Maio 2007 - 00h00
Como é ser cego? Como é não conhecer o rosto dos amigos ou os caminhos que levam à escola? Os alunos do colégio A. Liessin Scholem Aleichem, no Rio de Janeiro (RJ), tentaram vivenciar o mundo de quem não vê, em um projeto social que envolveu toda a escola, em 2004, intitulado “Com o coração se vê mais longe”. A intenção era levar os alunos a pesquisar sobre a convivência com a diversidade, com a diferença – entre elas, a deficiência visual.

Numa palestra sobre inclusão social do deficiente visual, uma autora falou sobre a publicação de um livro falado. Alunos e professores acharam a idéia bastante interessante e, daí, nasceu o projeto “Tudo bem ser diferente”, que acabou por evoluir para “Com o coração se vê mais longe”.

Entre os fatos que alteraram o curso do programa, estão a visita da ex-aluna Etel Rosenfeld, uma das primeiras brasileiras a ter um cão-guia, e uma sugestão da Unesco que abordava a questão dos deficientes visuais – o colégio integra o Programa de Escolas Associadas, da Unesco.
O primeiro passo foi conhecer as dificuldades vividas pelos cegos. Os professores indicaram leituras que pudessem estimular alunos da 1ª à 6ª série a pensar sobre o tema, propuseram dinâmicas de olhos vendados, realizando tarefas como amarrar os sapatos ou separar livros, ouviram palestras e, especialmente, resolveram produzir livros falados, entre eles, um sobre a experiência de Etel.

Depois de constatar as diversas dificuldades enfrentadas pelos deficientes, iniciou-se um projeto de voluntariado entre os estudantes para gravar os livros falados – que contam até com dedicatórias em braile. Participaram, por iniciativa própria, crianças de 6 a 12 anos. Toda a gravação dos livros, doados ao Instituto Benjamin Constant, foi feita no período oposto às aulas. “Foi um grande aprendizado para as crianças, pois puderam conhecer outra realidade e a aprender com as diferenças”, comenta a psicopedagoga da escola Vânia Loureiro.

O colégio A. Liessin Scholem Aleichem é uma das 18.206 escolas brasileiras certificadas com o Selo Escola Solidária, do Instituto Faça Parte.

Colégio A. Liessin Scholem Aleichem
(21) 2495-5403

PARCEIROS VER TODOS