Qual seu grande sonho?

Por: Marcio Zeppelini
11 Outubro 2017 - 17h27

388

O teste no Bolshoi

Desde pequena, Svetlana só tinha conhecido uma paixão: dançar e sonhar em ser uma Gran Ballerina do Bolshoi Ballet. Seus pais haviam desistido de lhe exigir empenho em qualquer outra atividade. Os rapazes já tinham se resignado: o coração de Svetlana tinha lugar para somente uma paixão, e tudo mais era sacrificado pelo dia em que se tornaria a Bailarina do Bolshoi. Haviam criado um apelido especial para ela: lankina, que, no antigo dialeto, significava "a que flutua". Era uma forma carinhosa de brincar com a bela e talentosa Svetlana, pois a palavra também podia significar "a que divaga", ou "que sonha acordada".

Um dia, Svetlana teve sua grande chance. Conseguira uma audiência com Sergei Davidovitch, Ballet Master do Bolshoi, que estava selecionando aspirantes para a Companhia. Dançou como se fosse seu último dia na Terra. Colocou tudo o que sentia e que aprendera em cada movimento, como se uma vida inteira pudesse ser contada em um único compasso. Ao final, aproximou-se do Ballet Master e lhe perguntou:

"Então, o Sr. acha que eu posso me tornar uma Gran Ballerina?"

Na longa viagem de volta a sua aldeia, Svetlana, em meio as lágrimas, imaginou que nunca mais aquele "Não" deixaria de reverberar em sua mente. Meses se passaram até que pudesse novamente calçar uma sapatilha . Ou fazer seu alongamento frente ao espelho.

Dez anos mais tarde, Svetlana, já uma estimada professora de ballet, criou coragem de ir à performance anual do Bolshoi em sua região. Sentou-se bem a frente e notou que o Sr. Davidovitch ainda era o Ballet Master. Após o concerto, aproximou-se do cavalheiro e lhe contou o quanto ela queria ter sido bailarina do Bolshoi, e o quanto doera, anos atrás, ouvir-lhe dizer que não seria capaz.

- Mas, minha filha, eu digo isso a todas as aspirantes - respondeu o Sr. Davidovitch.

- Como o Sr. poderia cometer uma injustiça dessas? Eu dediquei toda a minha vida! Todos diziam que eu tinha o dom. Eu poderia ter sido uma Gran Ballerina se não fosse o descaso com que o Sr. me avaliou!

Havia solidariedade e compreensão na voz do Master, mas não hesitou ao responder:
- Perdoe-me, minha filha, mas você nunca poderia ter sido grande o suficiente se você foi capaz de abandonar seu sonho pela opinião de outra pessoa.


Acredite em seu sonho

O primeiro passo para conquistar algo é SONHAR. O sonho faz parte do planejamento, faz parte da construção. É uma etapa na qual você tem o pensamento livre para atingir lugares inimagináveis, intangíveis e irreais. É um momento em que você é poderoso e forte, capaz de conseguir tudo. É imbatível e legitimamente otimista, pois você sabe que vai conseguir.

Depois da fase "sonho", vem o "pés-no-chão": Inicia-se um planejamento para se conseguir aquilo que deseja, colocando datas, valores e etapas para chegar lá. E, sendo o planejamento bem feito, não tem porque dar errado. Você chegará lá.

Mas, voltemos ao sonhar: o ingrediente mais importante para que seu sonho passe para a segunda fase (a do planejamento) é a . Não estou falando em Deus ou religião - estou falando de acreditação, de asseveração!

Se em seu sonho não existir fé, ou seja, se você não acreditar que você é capaz de conseguir, seu sonho não progride e vira utopia.

Seu sonho vale ouro e ninguém tem o direito de roubá-lo.

No entanto, quanto maior for seu sonho, maior a chance de pessoas - próximas ou distantes - tentarem lhe desencorajar. Você vai ouvir muito "não vai dar certo" ou "isso é difícil demais". Tome essas opiniões alheias como "lenha" para aumentar a chama de suas vontades. Não desanime e siga em frente com seu sonho!

Eu tenho um sonho: palestrar em sua cidade!

Abraços Inspiradores, beijos transformadores!
Marcio Zeppelini



Seu sonho vale ouro e ninguém
tem o direito de roubá-lo.
Marcio Zeppelini

PARCEIROS VER TODOS