Afilie-se gratuitamente à Rede Filantropia

Receba conteúdo de gestão, agenda de eventos e notícias do Terceiro Setor

Cadastre-se gratuitamente

Faça seu LOGIN na Rede Filantropia.

Sua conta bancária te faz infeliz?

Por: Marcio Zeppelini
12 Outubro 2017 - 15h34

375

A camisa de um homem feliz

Um rei, sofrendo de uma doença mortal, estava deitado sobre suas almofadas de seda e coberto por um manto dourado. Um famoso curandeiro disse que somente uma coisa poderia conceder sua cura: colocar sobre a cabeça a camisa de um homem feliz.

Os mensageiros saíram buscando por toda a cidade por um homem feliz. Mas cada pessoa por eles interrogada nada expressava senão tristeza e preocupações. Finalmente, após terem abandonado toda a esperança, os mensageiros encontraram um pastor que ria e cantava enquanto observava seu rebanho.

- Não posso imaginar alguém mais feliz que eu - disse o pastor, rindo, ao ser questionado se era feliz.
- Então, dê-nos uma camisa sua - ordenaram os mensageiros do rei.
- Eu não tenho nenhuma camisa! - respondeu o pastor.

A patética notícia, de que o único homem feliz encontrado pelos mensageiros não possuía nenhuma camisa, fez com que o rei ficasse durante dias sem dormir!

Finalmente, após mais de uma semana de reclusão e reflexão, o rei ordenou que suas almofadas de seda e suas pedras preciosas fossem distribuídas entre o povo.

Segundo conta a lenda, daquele momento em diante o monarca passou a ser saudável e feliz.

Adaptado do livro "O Mercador e o Papagaio"


Dinheiro X felicidade

Em muitos contos e ensinamentos - em especial os religiosos - coloca-se dinheiro e felicidade como coisas antagônicas, que não se completam ou, pior, não se juntam nem por decreto.

Tenho que discordar disso! O dinheiro pode, sim, trazer felicidade. Além de trazer tranquilidade (o que é o princípio da felicidade), nos traz, num mundo capitalista, a possibilidade de realização de sonhos - a casa própria, a viagem perfeita, um curso no exterior ou a ajuda a um ente querido. Dentre tantas outras "felicidades" que o dinheiro pode comprar, devo destacar também que, na falta de educação, saúde e previdência públicas de qualidade, o dinheiro nos permite usufruir essas benesses.

Assim, devemos batalhar, sim, por uma situação financeira estável e favorável para que possamos nos sentir mais felizes. Entendo, portanto, que o dinheiro e a felicidade podem andar juntos!

No entanto, o que quero alertar é que muitos de nós passamos a vida inteira reclamando que estamos sem dinheiro, e nos esquecemos de olhar em volta que a felicidade também está no espírito de leveza e tranquilidade que podemos ter em diversas situações que não requerem dinheiro - uma tarde com nossos filhos, um passeio no parque, uma boa prosa com um amigo ou mesmo o contemplar do horizonte no oceano. Dançar, brincar, correr, dar risadas, se divertir, passear... enfim... são tantos os verbos que podem ser feitos sem nenhum centavo no bolso...

Mesmo que você ainda não tenha atingido o patamar financeiro que lhe traga felicidade "paga", agradeça a tudo aquilo que a vida lhe traz com o seu status financeiro atual. Reflita sobre tudo aquilo que a vida lhe entrega gratuitamente e passe a dar mais valor a esses seus "bens", sem deixar de correr atrás de uma vida financeira mais confortável.

E, responda novamente: Sua conta bancária te faz infeliz?
Que você tenha uma Páscoa próspera e feliz - com ou sem dinheiro!

Abraços inspiradores,
Marcio Zeppelini

 

"Dançar, brincar, correr, rir, passear...
verbos que não necessitam de nenhum centavo no bolso..."
Marcio Zeppelini

PARCEIROS VER TODOS