Captação de recursos na área cultural

Como criar um plano de captação de recursos para projetos culturais de artistas e de organizações do meio, além de produtores culturais, independentemente se atuam no Terceiro Setor ou nas economias tradicional e criativa.

Carga Horária: 8 horas

Com: Michel Freller

Categorias: Captação de Recursos, Comunicação & Marketing, Cultura

Conheça as novidades da Instrução Normativa do MINC, de 20 de março de 2017, que altera diversos aspectos da Lei Rouanet.
O objetivo é democratizar o acesso à Cultura fora dos grandes centros, em cidades do Norte, Nordeste e Centro Oeste, assim como a possibilidade de captar até 10% antes da aprovação do projeto
.
 
Dependentes de investimentos públicos ou privados para sair do papel, os projetos culturais, em sua maioria, buscam captar recursos por meio de patrocínios mediante a utilização de leis de incentivo fiscal e editais de financiamento público. Rígidas e complexas, essas ferramentas tornam viáveis a realização de eventos no Brasil, mas para obter êxito é necessário conhecê-las detalhadamente.
 
Ao responsável pela captação cabe compreender amplamente as legislações vigentes e todos os aspectos das práticas de financiamento à cultura. Somente a partir de uma visão global é possível a este profissional desenvolver estratégias mais eficientes e conseguir as verbas necessárias para tornar realidade seus projetos culturais.
 
Já a economia criativa – expressão empregada há pouco tempo pelo mercado – vale-se de processos que envolvam criação, produção e distribuição de produtos e serviços, usando o conhecimento, a criatividade e o capital intelectual como principais recursos produtivos. Essa engrenagem moderna de desenvolvimento é formada por atividades que resultam em indivíduos prontos para exercitar a imaginação e explorar positivamente seu valor econômico.
 
O treinamento apresenta a parte técnica, abordando os incentivos fiscais, os meandros das legislações e as diferenças entre doação, patrocínio e investimento. Ao mesmo tempo, mostra aos participantes como definir um bom projeto – com e sem incentivos – e como obter recursos em tempos de economia criativa. Detalha ainda as características que devem fazer parte de um plano de captação – como a prestação de contas – e dá exemplos de casos práticos.
 

 Conteúdo Programático

  • Parte técnica
    • Os incentivos fiscais e seus sites (MinC, ProAC, Lei Mendonça, outros estados e municípios)
    • Diferenças entre os arts. 18 e 26
    • Diferenças entre doação, patrocínio e investimento
    • Incentivo para projeto pontual, festivais, museus
    • Plano anual
    • O que é um bom projeto?
       
  • Conceitos de economia criativa
    • Aspectos gerais
    • Cenário brasileiro e mundial
    • Impacto nos projetos culturais
    • Potenciais individuais e coletivos na produção de bens e serviços criativos
       
  • Estratégias disponíveis (com e sem incentivos) 
    • Empresas (grandes e médias)
    • Escritórios especializados (prós e contras)
    • Pessoa física e mantenedores
    • Aluguel, produtos e serviços
    • Apoiadores
    • Verba livre
    • Evento anual
    • Governos (federal, estadual e municipal)
    • Siconv (administração pública federal)
       
  • Plano de captação 
    • Divulgação
    • Relacionamento
    • Rede
    • Contratos
    • Formalização de parcerias
    • Prospecção e pesquisa
    • O encontro pessoal (como conseguir? O que falar?)
    • Material de captação
    • Contrapartidas e benefícios
    • Follow-up e acompanhamento
       
  • Prestação de contas para o MinC e para os patrocinadores (clipping)
     
  • Casos práticos

Público-alvo

  • Produtores culturais, artistas, captadores de recursos.
  • Gestores e voluntários em organizações, profissionais da área de marketing e comunicação.
Palavras-chave
  • Captação de recursos, Ministério da Cultura, incentivos fiscais, doação, patrocínio, investimento, produção cultural, produtor cultural, economia criativa, Siconv, ProAC, Lei Mendonça.
 


 

Evento em Parceria com


®2017 ➤ Diálogo Social ➤ Instituto Filantropia - (L)

 

Michel Freller

Empreendedor social, palestrante e consultor, graduou-se em administração pública pela Fundação Getulio Vargas (São Paulo) e tem mestrado em administração pela PUC-SP, com aperfeiçoamento em gestão, formatação de projetos e captação de recursos no Brasil e no exterior. É também professor na pós-graduação do Senac, conselheiro-diretor no Instituto Filantropia e conselheiro fiscal da Associação Brasileira de Captadores de Recursos (ABCR), além de fundador da Criando Consultoria. Ativo colaborador de organizações sem fins lucrativos há mais de 20 anos, desenvolve seu trabalho de consultoria com ênfase em planejamento, reorganização administrativo-financeira e mobilização de recursos. Paralelamente, tem forte participação em encontros de fundraising (captação de recursos) em diferentes países mundo afora.

Turma(s) Aberta(s)

10/Nov São Paulo
Das 9h às 18h

Como chegar?

Investimento por participante

Valor da inscrição por pessoa

Valor para afiliados Ouro
1 inscrição gratuita
As demais R$ 210,00
por participante
Valor para afiliados Prata
5x R$ 42,00
ou R$ 210,00 (à vista)
por participante
Valor para NÃO AFILIADOS ou Afiliados bronze.
5x R$ 79,80
ou R$ 399,00 (à vista)
por participante
Torne-se um Afiliado Bronze Gratuitamente
Auditório Engº João Francisco Zeppelini

Rua Bela Cintra, 178
Consolação (Centro) - São Paulo/SP
CEP 01415-000

São Paulo-São Paulo

São Paulo
10 de novembro de 2017 - 6ª feira - das 9h às 18h

10/11/2017 09:00 10/11/2017 18:00 America/Sao_Paulo Captação de recursos na área cultural Evento da Rede Filantropia Auditório Engº João Francisco Zeppelini
Rua Bela Cintra, 178
Consolação (Centro) - São Paulo/SP
CEP 01415-000
São Paulo-32
Rede Filantropia contato@institutofilantropia.org.br DD/MM/YYYY aAiyZVveEzAnBhlNYmDB22528

Horários do treinamento

8h30 Credenciamento
9h Treinamento – Parte 1
12h Pausa para almoço
13h Treinamento – Parte 2
16h Pausa para café
16h20  Treinamento – Parte 3
18h Fim de nossas atividades

OBS: Horários sugeridos ao palestrante, podendo haver alterações sem aviso prévio.


Incluído no investimento

  • Carga horária indicada do curso, coffe-break à tarde, material de apoio e certificado em PDF.
  • Wi-Fi grátis no local (sujeita a instabilidade conforme número de participantes)

Não inclui no investimento

  • Almoço, transporte, passagens e hospedagem
  • Estacionamento (na região, diária média entre R$ 15,00 e R$ 20,00).

Sobre o pagamento

  • Não aceitamos cheques ou depósito em conta corrente
  • Pagamentos em boleto terão sua liberacão no dia útil seguinte, após confirmação pelo banco
  • Parcelamento somente em cartão de crédito

Indicação de hospedagem

★★★★ Quality Suites Bela Cintra. Rua Bela Cintra, 521. Fone (11) 3728-0800
Mais requintado e sofisticado, fica a 2 quarteirões (350 metros) do Instituto Filantropia e também dá para ir a pé. Diária especial para alunos Filantropia R$ 275 para até 2 pessoas + 5% de ISS. Terceira pessoa no mesmo quarto, acréscimo de R$ 60. Reservas: Clique aqui
 
Informar o código FILANTROPIA no ato da reserva
 
 

Reserva de Passagens e Hospedagem

Os custos com passagens e hospedagem são de responsabilidade do participante. Mas, para sua comodidade, peça uma simulação de valores e horários de passagens aéreas com nossa Agência de Viagens Recomendada:
 
Augustus Turismo - (11) 3122-9999 - reserve@augustus.com.br / beatriz@augustus.com.br

Outras Informações

Entre em contato com a equipe do Filantropia:

Núcleo Instituto Filantropia - (11) 2626-4019
apoio@filantropia.ong